Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

UMA VISITA AO TEMPLO DO TOIRO BRAVO – HERDADE DA GALEANA

21.01.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

IMG_0894 (1).JPGQuando nos adentramos num templo (Templo: edifício destinado ao culto; monumento em honra de uma divindade; (do latim templu, local sagrado), sabemos que pisamos terreno sagrado, local de culto de uma religião ou onde se adora uma divindade. E, no caso, essa divindade é, nem mais nem menos, que o Toiro Bravo, o bos taurus ibericus, o toiro de lide. Objecto de culto desde os mais remotos tempos da civilização, conhece na Herdade da Galeana um dos seus locais de adoração e onde o tempo parece parar e até o silêncio se escuta.

 

Defesa plena da biodiversidade, onde convivem muitos outros elementos de uma fauna que só no espaço onde pasta a Toiro Bravo é possível encontrar, convivem nesse espaço de mais de 900 hectares espécies como os grous, as rolas e muitas outras espécies de aves, raposas, águias, lebres, patos… a par dos porcos pretos que se alimentam das bolotas do montado de sobro e azinho. Um espectáculo para os sentidos que, aqui, se mantém muito mais despertos e atentos. Cada momento é, verdadeiramente, único!

IMG_0996 (1).JPG 

A ganadaria de Murteira Grave foi fundada em 1944 por Manuel Joaquim Grave, avô do actual titular, e estreou-se, oficialmente, em 1950 na Praça de Toiros de Évora, na corrida de S. Pedro, vindo a adquirir antiguidade em 21 de Junho de 1964 ao lidar 6 novilhos na Monumental de Las Ventas em Madrid, sendo o seu percurso bem conhecido dos aficionados (vide www.murteiragrave.com). Em 1958 passou para o nome de Joaquim Manuel Murteira Grave e desde então sempre se lidou sob este nome, tendo como ferro uma espora, divisa amarela e azul.

 

IMG_0979.JPGDesde o ano de 2002 que a ganadaria é gerida por Joaquim Manuel de Vasconcellos e Sá Grave, veterinário doutorado em Produção Animal pela Faculdade de Medicina Veterinária de Lisboa e um enorme apaixonado pela ganadaria brava, levando a que, com os seus profundos conhecimentos técnico-científicos e a sua afición, tivesse investido muito na busca de um tipo de toiro que zootecnicamente se aproximasse do ideal (baixo, fino de agulhas, bem posto de cornamenta, que invista por baixo, humilhado) e que pudesse ter uma qualidade acima da média no que à capacidade de investida e de entrega durante a lide dizem respeito.

 

Nos últimos anos, com a mescla de sangues, as experiências feitas nos lotes de vacas a que eram agregados os diversos sementais, Joaquim Grave conseguiu um toiro harmónico no que a trapio respeita e de boas notas no que ao toureio diz respeito, mais homogéneos nas investidas e na qualidade das mesmas, vencendo vários troféus em disputa nas corridas onde os seus toiros entraram e abrindo, aos poucos, as portas de Espanha que se haviam fechado por causa das célebres doenças das vacas loucas e da língua azul.

 

Joaquim Grave mostrou-nos os diversos cercados desta idílica Herdade da Galeana, falando com paixão sobre os seus toiros e as suas ilusões com vista não apenas às próximas corridas (Lisboa – Campo Pequeno, uma corrida de enorme presença e trapio; Abiúl onde triunfou em 2017 e repete na corrida mista; e ainda outras duas para praças de Espanha), ao festival de Mourão a 4 de Fevereiro, mas também com vista aos anos vindouros onde as camadas que tivemos oportunidade de ver e fotografar deixam antever belos toiros. De realçar que para 2022, assim Deus o permita, existem 3 exemplares com uma pelagem quase branca na sua totalidade.

 

Na Herdade existem também dois espaços que servem para os almoços e convívios de que mais de 3400 pessoas puderam desfrutar nos dois últimos anos após visitas ao espaço da ganadaria e ainda uma sala de troféus recentemente concluída e que denota um bom gosto muito acima da média e que valoriza, esteticamente, todo o espaço.

 

Que os sucessos se mantenham e este espaço continue a ser um Templo Sagrado não apenas do Toiro Bravo mas de todas as espécies que aí vivem e se reproduzem.

 

Veja de sgeuida todas as fotos (clicar nas setas para avançar ou retroceder).