Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

TOIRO Nº 43 DE ENGº JORGE CARVALHO VENCE PRÉMIOS BRAVURA E APRESENTAÇÃO EM ARRUDA

18.08.17 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros “José Marques Simões” – Arruda dos Vinhos – 17/08/17 – Corrida de Toiros

Director: Rogério Jóia – Veterinário: José M. Lourenço – Entrada: cheia

Cavaleiros: Ana Batista, Manuel Telles Bastos, Duarte Pinto, Francisco Palha, Miguel Moura, Luís Rouxinol Jr

Forcados: Amadores de Vila Franca e Arruda dos Vinhos

Ganadarias: Nuno Casquinha, Engº Luís Rocha, Lampreia, Santiago, Manuel Veiga, Engº Jorge Carvalho

 

TOIRO Nº 43 DE ENGº JORGE CARVALHO VENCE PRÉMIOS BRAVURA E APRESENTAÇÃO EM ARRUDA

 

Pelo 20º ano consecutivo a praça de toiros de Arruda dos Vinhos foi palco de um concurso de ganadarias e este ano com o aliciante de ser uma corrida de Gala à Antiga Portuguesa, com um cortejo onde se reviveu o fausto da corte e que é sempre do agrado do grande público praticamente encheu a simpática praça de toiros. Disputaram os prémios de Apresentação e Bravura os toiros das ganadarias de Engº Luís da Rocha, Lampreia, santiago, Manuel Veiga e Engº Jorge Carvalho já que o de Nuno Casquinha (saído em 1º lugar) e que substituía o anunciado toiro de Varela Crujo não entrou no concurso por ter menos de 4 anos, segundo a organização. Estavam também em disputa prémios para a Melhor Lide, Melhor Pega e Melhor Grupo de Forcados.

 

Com um júri composto por Miguel Alvarenga, Catarina Bexiga e António Lúcio, os prémios em disputa foram concedidos por unanimidade de opinião dos 3 elementos e sem que tivesse havido discordâncias no público quanto á sua atribuição. Assim, e porque se tratava de um concurso de ganadarias, o toiro do Engº Jorge Carvalho, lidado em último lugar, marcado com o nº 43 e anunciado com 560 kg, foi considerado como o de melhor Apresentação e venceu também o prémio Bravura.

 

Como referido, o júri decidiu que o prémio de Melhor Lide fosse para Luís Rouxinol Jr, a de Melhor Grupo para os Amadores de Vila Franca e a de Melhor pega para Pedro Sabino (última pega da corrida) dos Amadores de Arruda dos Vinhos. O público aplaudiu as decisões do júri.

 

Abriu praça Ana Batista frente a um exemplar de Nuno Casquinha que foi mansote. A cavaleira de Salvaterra porfiou para deixar a ferragem, por vezes com o toiro a adiantar-se e teve o seu melhor momento na cravagem do 5º e último ferro curto com reunião justa. Deu volta com o forcado Guilherme Dotti dos Amadores de Vila Franca que consumou bem e ao primeiro intento.

 

Em segundo lugar actuou Manuel Telles Bastos que teve uma actuação francamente positiva frente ao toiro do Engº Luís da Rocha, toiro que saiu com pata e a carregar, com algum génio mas que cedo se rachou e descaíu para tábuas. A ferragem curta foi de boa e com critério, terminando com 2 curtos em sortes sesgadas, com mérito. Na volta à arena foi acompanhado pelo forcado João Costa, dos Amadores de Arruda dos Vinhos, que consumou bem ao primeiro intento.

 

Duarte Pinto houve-se a contento com o toiro de Lampreia, um toiro bem apresentado e que foi mansote. Pinto procurou eleger os melhores terrenos e teve dois curtos, terceiro e quarto, de melhor nota. De volta à arena na companhia de Gonçalo Filipe (G F A Vila Franca) que concretizou ao segundo intento a pega a este 3º toiro.

 

A segunda pare começou com uma boa lide de Francisco Palha, moralizado e aproveitar as condições de lide do bem apresentado toiro de Santiago. Esteve francamente bem com os curtos, dois deles de muito boa nota, terceiro e quaro, com entradas bem marcadas e reuniões justas. Dois grandes momentos. Tiago Silva, dos Amadores de Arruda, consumou bem à segunda tentativa.

 

Miguel Moura teve por diante um complicado toiro de Manuel Veiga. Esforçou-se por conseguir o triunfo que as poucas qualidades do toiro não permitiram. O primeiro curto foi de boa nota e terminou, com mérito, a cravar outros dois em sortes sesgadas. Pedro Silva, dos Amadores de Vila consumou bem ao segundo intento.

 

Para encerrar praça frente a um bom toiro de Engº Jorge Carvalho, esteve Luís Rouxinol Jr. Uma lide bem estruturada, dando importância desde os compridos, e com uma série de curtos de boa nota, rematando com dois de palmo, um deles de violino. Uma actuação muito interessante, bem medida em termos de tempo e com alguma intensidade. Deu aplaudida volta com o forcado de Arruda Pedro Sabino que consumou valorosa pega de caras à primeira tentativa.

 

Boa corrida, com bom ambiente e boa direcção de Rogério Jóia assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

Crónica de António Lúcio