Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

TAUROMAQUIA MARCOU PONTOS EM LOURES COM CASA QUASE CHEIA E UM BOM ESPECTÁCULO

25.07.22 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros em Loures (portátil) – 24/07/22 – Corrida de Toiros

Director: Tiago Tavares – Veterinário: Jorge M. Silva

Cavaleiros: João Moura; Sónia Matias, David Gomes, Diogo Oliveira (praticante)

Forcados Amadores do Ribatejo, Moita e Arruda dos Vinhos

Ganadarias: Engº Jorge Carvalho (1º, 6º e 7º) e Higino Soveral (2º, 3º, 4º, 5º e 6º)

IMG_3413.JPG

As corridas de toiros voltaram a Loures neste domingo, penúltimo de Julho, e com um excelente ambiente, mais de 1500 pessoas nas bancadas e um espectáculo que no geral resultou bem apesar de um piso que deixou muito a desejar, com um desnível tremendo de terreno e que havia de ter sido cuidado com antecedência. O público divertiu-se, marcou presença, assim como pelo menos um dos vereadores da Câmara de Loures e a quem Diogo Oliveira (de Bucelas) brindou a sua lide.

A João Moura coube abrir praça e fê-lo com a classe e a souplesse dos génios, numa lide séria, bom brega ajustada e uma boa série de ferros curtos, o terceiro dos quais com reunião muito cingida e com fortes aplausos do público a premiarem esta sua primeira actuação frente aum nobre e suave toiro do Engº. Jorge Carvalho. No seu segundo, quinta da poeirenta tarde, de Higino Soveral, deixou com solvência a ferragem da ordem ao som de música e aplausos do público.

Sónia Matias sentiu algumas dificuldades para lidar o seu primeiro, de Higino Soveral, que se adiantava por vezes, houve muitas passagens em falso. Sónia deixou dois compridos e 4 curtos sem destaque de maior. No sexto da tarde, do Engº. Jorge Carvalho, que teve qualidade, deixou 3 compridos e destacou-se no 3º curtos entrando bem de frente. Rematou com um de violino. Não a vimos confiada quanto ao piso e isso pode também ter influenciado o resultado final. O público não lhe regateou aplausos.

David Gomes lidou primeiro um toiro de Higino Soveral que cumpriu. Não esteve acertado com o 1º comprido mas melhorou na ferragem curta tendo terminado com um ferro em sorte de violino. A sua derradeira actuação, frente a um exemplar do Engº Jorge Carvalho que foi de boa nota e mereceu a chamada da representante da ganadaria à arena, assinou um bom triunfo, com uma lide bem medida, boa brega e bons ferros curtos com batidas ao pitón contrário e rematando com 2 de palmo.

Diogo Oliveira, cavaleiro praticante de Bucelas, assinou uma importante lide, frente a um colaborador exemplar de Higino Soveral e que teve honras de regresso à ganadaria. Começou por deixar dois bons compridos e se exceptuarmos o segundo curto, todos os restantes foram de muito nível com destaque para os terceiro e quarto bem apontados em sortes frontais com reuniões cingidas.

Tarde de boas pegas de caras a cargo dos 3 Grupos de Forcados: Amadores do Ribatejo, Moita e Arruda dos Vinhos, com cinco pegas à 1ª e apenas uma à segunda. Pelos Amadores do Ribatejo foram caras Leonel Godinho, Pedro Carolino (num misto dos 3 Grupos) e André Laranjinha. Pelos Amadores da Moita, Miguel Ângelo consumou à 2ª e Ricardo Leandro à 1ª, e pelos Amadores de Arruda dos Vinhos houve lugar à estreia de Ricardo Simões que consumou à 1ª tal como Nuno Aniceto no que encerrou praça.

O espectáculo foi bem dirigido por Tiago Tavares com assessoria veterinária de Jorge Moreira da Silva.

Texto e foto: António Lúcio