Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

SOBRAL M. AGRAÇO - JUAN LEAL: ARTE E TEMPLE NO TRIUNFO DA TARDE COM DUAS VOLTAS À ARENA

25.04.16 | António Lúcio / Barreira de Sombra

IMG_4477.JPG

Praça de Toiros de Sobral de Monte Agraço – 25.04.16 – Festival taurino

Director: Rogério Jóia – Veterinário: José Manuel Lourenço – Lotação: +1/2 casa

Cavaleiros: David Gomes, Francisco Parreira

Forcados: Amadores de Santarém

Matadores: César Jiménez, Julio Benitez “El Cordobés”, Juan Leal, Manuel Dias Gomes

Ganadaria: Calejo Pires

JUAN LEAL: ARTE E TEMPLE NO TRIUNFO DA TARDE COM DUAS VOLTAS À ARENA

O festival misto de 25 de Abril em Sobral de Monte Agraço voltou, uma vez mais, a mostrar a transcendência do toureio a pé e a forma como toca no grande público quando executado com arte e brilhantismo como sucedeu nesta calorosa tarde e que teve como intérprete maio o francês Juan Leal, autor uma fabulosa faena ao quinto erale da tarde, premiada com duas voltas à arena em companhia do ganadeiro. Momentos de enorme qualidade, para saborear e mais tarde recordar.

 

Recebido o quinto da tarde por verónicas de muita classe, de mãos baixas e um bonito e sempre vistoso quite por “lopecinas”. E a faena de muleta foi daquelas para verdadeiros aficionados tal a sua plasticidade, verdade nos muletazos, largos e profundos, com temple e aproveitando a bondade das investidas do eral, permitindo passes de enorme qualidade e sabor, de perfumadas essências, dominando por completo e fazendo com que o público também se rendesse à magia dos voos da muleta de Juan Leal que brindara ao presidente da Câmara Municipal de Sobral de Monte Agraço. Momentos “cumbre” de uma tarde para recordar.

 

César Jiménez abriu o capítulo do toureio a pé com bonitas verónicas, duas delas de cartel de toiros. E uma faena de muleta de muito interesse em especial pelo lado direito, com maestria e sabendo eleger os terrenos e as distâncias ante um eral que tinha génio e não era nada fácil. Alguns momentos foram de muita qualidade e o público soube reconhecê-lo.

 

Júlio Benitez “El Cordobés” teve por diante outro eral que tinha o seu génio mas tinha também qualidade e se o recebeu com uma larga cambiada de joelhos e chicuelinas, começou a faena de muleta de joelhos e de joelhos terminou depois de algumas séries com muletazos de muita qualidade por ambos os pitóns.

 

Manuel Dias Gomes esteve bem de capote, com 3 largas cambiadas de joelhos e verónicas. A faena de muleta teve qualidade, com um início de muito boa nota por ambos os pitóns, colocando-se muito bem e sacando tandas de muletazos de muita qualidade. Com o eral a “rachar-se” e a procurar a defesa de tábuas, Dias Gomes arrimou-se ainda mais e aí sacou passes de muito mérito.

 

O festival abriu com o toureio a cavalo. David Gomes e Francisco Parreira entenderam-se com dois erales que não complicaram e os dois cavaleiros cumpriram a papeleta sem destaques de maior. Os Forcados Amadores de Santarém concretizaram duas boas pegas de caras por intermédio de Francisco Graciosa e Luis Seabra, ambos muito bem e ao primeiro intento.

 

Nos bandarilheiro, o destaque maior vai para os dois magníficos pares de bandarilhas a cargo de João pedro "O Açoreano".

 

Os erales de Calejo Pires tiveram mobilidade, com génio e raça alguns deles e com os melhores a saírem em 4º e 5º lugares e com o ganadeiro a ser chamado a dar volta á arena.

 

Dirigiu o espectáculo Rogério Jóias assessorado pelo veterinário José Manuel Lourenço, tendo o espectáculo decorrido com excelente ritmo e uma duração de 2h40.