Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

RUI SALVADOR TRIUNFA NA CORRIDA DO EMIGRANTE EM TOMAR

08.08.15 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros “José Salvador” – Tomar – 07.08.15 – Corrida de Toiros

Director: Lourenço Lúzio – Veterinário: João Nobre – Lotação: + ¾

Cavaleiros: João Moura, Rui Salvador, Francisco Cortes

Forcados: Amadores de Santarém e Tomar

Ganadaria: Ascensão Vaz

RUI SALVADOR TRIUNFA NA CORRIDA DO EMIGRANTE

Excelente moldura humana para presenciar a segunda corrida de toiros da temporada nabantina, com um sonoro triunfo de Rui salvador frente ao bom quinto toiro da noite, fresca mas amena em termos de temperatura. O Grupo de Forcados Amadores de Santarém foi homenageado pelos seus 100 anos de existência, cumpridos nesta data e com direito a que a banda tocasse o «parabéns a você» antes da excelente pega de caras de José Maria Lebre (um veterano) que voltou a fardar-se na sua terra após muitos anos de ausência.

João Moura abriu praça frente a um burraco gargantilho de Ascensão Vaz que serviu para que o toureiro de Monforte proporcionasse uma lide agradável em especial na ferragem curta que foi rematada com dois palmitos. No quarto da ordem, que cedo buscou a defesa de tábuas, empenhou-se para o sacar desses terrenos e procurar cravar a ferragem, com mérito e esforço mas sem o brilho desejado.

Rui Salvador lidou em primeiro lugar um toiro mansote mas que não criou demasiados problemas e nele deixou bons ferros curtos que tiveram o aplauso do público. Mas o momento ou os momentos altos da corrida estavam guardados para a lide do quinto da ordem, que cumpriu bem, codicioso, e frente ao qual esteve a um grande nível na cravagem em sortes frontais, por vezes pisando terrenos de maior compromisso, mais em curto ou mais de largo consoante os terrenos. Uma grande actuação de Rui Salvador.

Em terceiro lugar apresentou-se Francisco Cortes, a comemorar 20 anos de alternativa. Uma primeira lide em que apenas o terceiro curto deve ser destacado e a rematar a corrida, uma actuação que foi a mais na série de curtos, apesar de algumas passagens em falso. O último curto foi de nota elevada, com o toiro a investir com alegria e a reunião a resultar ajustada.

Os Amadores de Santarém abriram praça com uma boa pega de Francisco Graciosa à 1ª tentativa, seguido por António Imaginário que apenas à 4ª conseguiu concretizar (as ajudas falharam algumas vezes) e a encerrar José Maria Lebre, com um cite gingão, a meter-se com o toiro, e a concretizar com raça e valor à 2ª tentativa depois de as ajudas falharem na primeira. Pelos Amadores de Tomar a primeira pega de caras esteve a cargo de Marco Fernando, o cabo, que consumou à 1ª com deficientes ajudas, seguido por Digo Romão á segunda e Alexandre Ferreira a consumar à terceira a última pega da noite.

Os toiros e novilhos de Ascensão Vaz (com o 1 e o 2 na espádua da mão direita), tiveram comportamento diverso, destacando-se pela positiva o saído em 5º lugar.

Boa direcção de Lourenço Luzio assessorado pelo veterinário João Nobre, tendo o espectáculo demorado 2h40.

António Lúcio