Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

ROUXINOL E TELLES NOS MOMENTOS DA TARDE EM ALCOCHETE

05.06.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros de Alcochete – 05/06/21 – Corrida de Toiros

Director: Lara Oliveira – Veterinário: Jorge Moreira da Silva

Cavaleiros: António R. Telles, Luís Rouxinol, António Prates (substituiu Marcos Bastinhas)

Forcados: Amadores de Vila Franca e Aposento do Barrete Verde de Alcochete

Ganadaria: Murteira Grave

ALCOCHETE 050621.JPG

Cem anos comemora a castiça praça de toiros de Alcochete e anunciou para este sábado uma corrida à portuguesa onde os toiros de Murteira Grave eram um dos pontos fortes. Não desiludiram em presença e, por vezes, trouxeram emoção ás bancadas, com os toureiros mais veteranos a superiorizarem-se e a darem a volta a toiros que não eram fáceis e que exigiram o bilhete de identidade. Menos fortuna para o mais jovem do cartel e que substituiu o lesionado Marcos Bastinhas.

António Ribeiro Telles teve uma grande lide frente ao que abriu praça e que começou pro dar importância ao toiro logo desde os três compridos. Foi, de novo, um compêndio de bem lidar, a dar distâncias ou a pisar mais os terrenos do toiro quando tal era exigido e a série de curtos teve momentos de muito valor com segundo, quinto e sexto a serem de elevado nível pela sua execução e consumação.  O quarto da ordem não facilitava e ameaçava descair para tábuas. António lidou e levou-o na garupa das montadas para depois procurar os melhores terrenos, os mais idóneos, para deixar a ferragem curta de onde os dois últimos foram os melhores.

Em segundo lugar actuou Luís Rouxinol que rubricou uma grande lide a um toiro que melhorou ao longo da sua passagem pela arena. O terceiro curto foi de muito boa nota e na série de curtos, onde bregou com critério, teve um terceiro ferro de excelente execução com entrada ao pitón contrário e reunião muito justa. No quinto da ordem, que se adiantava de início, teve de porfiar para se impor. Foi uma actuação de bom nível, com critério, com remates de elevado valor e rematando com um par de bandarilhas e um palmito. Deu importância ao toiro, lidou primorosamente.

António Prates substituiu o lesionado Marcos Bastinhas e não teve a sorte pelo seu lado pois sofreu um forte embate contra a trincheira antes de cravar o primeiro comprido já que o toiro apertava forte. Optou pelo toureio com cambiadas, a que nem sempre o toiro se prestava mas acabou com dois ferros que chegaram ao público.  No que encerrou praça, aguentou muito em algumas reuniões e sofreu alguns toques e voltou a melhorar na fase final da lide a um toiro que foi manso.

Dois Grupos de Forcados perfilaram-se para pegar estes seis Murteira Grave: os Amadores de Vila Franca e Aposento do Barrete Verde de Alcochete. Por Vila Franca Guilherme Dotti abriu praça com uma pega â 4ª tentativa e onde nem sempre esteve bem na cara do toiro, faltando ajudas na hora certa. Pedro Silva consumou uma boa cara ao primeiro intento mandando e recuando bem e Vasco Pereira (cabo) fechou-se à segunda tentativa depois de não ter recuado bem e a reunião sair defeituosa na primeira. Pelo Aposento do Barrete Verde de Alcochete abriu João Armando à primeira e a receber o toiro cá atrás e aguentando bem com o grupo a fechar com coesão; Diogo Amaro sentiu dificuldades nas reuniões e só à 4ª conseguiu consumar, enquanto que o cabo Marcelo Lóia efectuou uma boa pega de caras à segunda tentativa no que fechou praça.

Dirigiu o espectáculo Lara Oliveira que concedeu volta ao ganadeiro após a lide do quinto da tarde, assessorada pelo veterinário Jorge Moreira da Silva, registando-se uma boa entrada de público.

Texto e foto: António Lúcio