Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

REVISTA DO ANO TAURINO 2023 DO BARREIRA DE SOMBRA (2)

10.11.23 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Untitled 2.jpg

  1. Breve introdução

Tal como já referido, esta foi a nossa 36ª temporada no activo, com um menor número de espectáculos onde marcámos presença mas procurando estar presentes em alguns dos grandes momentos taurinos do ano, falhando alguns deles mas efectuando a cobertura possível de uma temporada onde foram bastantes as corridas de toiros com especial incidência no Ribatejo, Estremadura e Alentejo e corridas dispersas pelas Beiras (em escasso número) no Minho e Douro Litoral.

De realçar que no final da temporada – Setembro – o Canal One Toro transmitiu 2 corridas a partir de Lisboa e houve o regresso das crónicas das corridas a grandes órgãos de comunicação social generalista como CM, DN e Novo.

Agosto marcou também o regresso do “Retiro da Afición” na Rádio Marinhais, 102.5 fm, com António Lúcio e Paulo Beja.

Neste ano taurino houve algumas revelações, jovens que marcaram pontos, grandes lides, grandes pegas e grandes toiros, casas cheias e outras esgotadas. Bons sinais mas que há que interpretar com prudência.

  1. As praças de toiros onde estivemos presentes

Foram 20 as praças onde assistimos a 38  espectáculos, 2 delas em Espanha (Olivença e Badajoz).

Por ordem decrescente de espectáculos:

  1. Vila Franca – 6 (3 corridas mistas, 2 novilhadas populares e 1 festival)
  2. Campo Pequeno – 4 (3 corridas à portuguesa, 1 corrida mista)
  3. Arruda dos Vinhos – 3 (2 corridas à portuguesa, 1 corrida mista)
  4. Santarém – 3 (3 corridas à portuguesa)
  5. Sobral de Monte Agraço – 3 (2 corridas à portuguesa, 1 festival)

Seguem-se as praças de

Com dois espectáculos: Azambuja e Moita

Com um espectáculo: Alcácer do Sal, Badajoz, Benedita, Caldas da Rainha, Cartaxo, Mourão, Olivença, Torres Vedras, Vila Nova da Barquinha, Abiul, Chamusca, Montijo e Évora.

  1. Por categoria de espectáculo
  • 19 corridas à portuguesa (50%)
  • 9 corridas mistas (23.9%)
  • 4 novilhadas populares (10.52%)
  • 3 festivais (7.89%)
  • 2 corridas só matadores (Espanha) (5.26%)
  • 1 novilhada (2.63%)

A média estimada de espectadores é de 3031.

Uma vez mais a corrida só com cavaleiros e forcados (à portuguesa) ocupou lugar de destaque no nosso marcador da temporada e os espectáculos onde houve toureio a pé tiveram também uma forte presença. As novilhadas populares tiveram lugar na Moita, Vila Franca e Abiul, devido à inclusão de 1 novilheiro aspirante no espectáculo (que passaram a ser 2), casos em que actuaram Tomás Bastos e Gonçalo Alves ao lado de matadores de toiros.