Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

QUANDO CAEM AS MÁSCARAS….

28.02.17 | António Lúcio / Barreira de Sombra

IMG_3510.JPGMostra-se o verdadeiro caráter das pessoas. Não restam dúvidas que, muitas das vezes, a fachada não corresponde ao interior e, no caso do ser humano, as máscaras não são apenas um apetrecho que se utiliza nesta época do Carnaval.

 

A máscara permite a fantasia, o disfarce, que até pode ser grotesco (e representar na perfeição quem o utiliza), como se assiste nestes dias de presunta folia mas onde muita gente aproveita para viver aquilo que na vida real não passa de um imaginário qualquer, querendo assumir a fantasia do que não são e nunca poderão vir a ser e que os mais grotescos, quiçá, o sejam assim na sua própria vida diária, na sua verdadeira essência.

 

E se essa essência não resiste à máscara, ao disfarce, para mostrar aquilo que não são, continuarão sempre assim, a precisar desse disfarce, que cai com frequência, porque tudo o que é genuíno não carece de máscara ou de disfarce.

 

Se transpusermos isto para a tauromaquia, sem máscaras e sem disfarces está, sempre, o toiro.  E as grandes figuras, que sempre o serão. Reconhecidos e deixando saudades dos seus feitos, dos que os tornaram diferentes dos demais, sem máscaras, em disfarces. Figuras dentro e fora das arenas.

 

As tentativas de imitação nuca passarão disso e a sua mentalidade não lhes permite ver além do seu ângulo de visão, do que lhes dizem os aduladores mais próximos, presumindo também eles, mas que ao fim de algum tempo, e caída a capa do disfarce, já não se podem ver nem ouvir. E ainda são capazes de negar as evidências. Desses não rezará a história dos grandes…

 

Quando caem as máscaras vê-se o quão déspotas podem ser alguns e o quão faltos de personalidade e de caráter podem ser outros.

 

A livre expressão de opinião – consagrada na Lei Fundamental, a Constituição da República Portuguesa -, dentro dos limites do respeito pela verdade e pela dignidade das pessoas, não pode nunca ser cerceado ou limitado apenas porque não se gosta dessa opinião. E o respeito pela Lei e pela dignidade das pessoas é muito bonito. Ainda que para alguns…