Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

PRAÇA ESGOTADA NA XIª CORRIDA DA AUTO AGRÍCOLA SOBRALENSE

11.09.17 | barreiradesombra

Praça de Toiros de Sobral de Monte Agraço – 10/09/17 – Corrida de Toiros

Director: João Cantinho – Veterinário: José M. Lourenço – Lotação: esgotada

Cavaleiros: António Telles, Luís Rouxinol, Tito Semedo, Ana Batista, Manuel Telles Bastis, Luís Rouxinol Jr

Forcados Amadores: Lisboa, Coruche

Ganadarias: Canas Vigoroux, Prudêncio (4º)

cortesias_5733.JPG

PRAÇA ESGOTADA NA XIª CORRIDA DA AUTO AGRÍCOLA SOBRALENSE

 

A praça de toiros de Sobral de Monte Agraço esgotou a sua lotação na XIª Corrida da Auto Agrícola Sobralense e teve um excelente ambiente e bons momentos de toureio. A tragédia também rondou, com a violentíssima colhida de João Mesquita (Amadores de Coruche) na pega aos exto da tarde, mas felizmente tudo não passou de um enorme susto, mostrando que o perigo é uma constante e que a corrida de touros não é uma farsa…

 

António Telles abriu praça com uma lide bem medida a um toiro de Canas Vigoroux que foi mansote e se defendeu um pouco para tábuas. António, em bom plano e com critério, deixou alguns ferros a sesgo e rematou a sua actuação com um bom curto em sorte frontal com um  quarteio bem ajustado.

 

Luís Rouxinol esteve em grande plano frente a um bravo e nobre, mas também de escassa força, toiro de Canas Vigoroux. O jabonero tinha qualidade e Rouxinol aproveitou ao máximo a nobreza e suavidade das investidas para se recrear na brega e nos remates e deixar uma série de curtos de boa nota e a rematar esta boa actuação, um grande par de bandarilhas.

 

Tito Semedo teve por diante o terceiro da tarde, mansote mas a investir sem problemas e teve uma passagem por Sobral sem grandes destaques, cumprindo a papeleta e rematando com um de violino e outro de palmo.

 

Ana Batista esteve bem na brega e a cravar. Um regresso em bom plano a esta praça, conseguindo uma boa actuação nos curtos, a qual foi rematada com dois de palmo sempre do agrado do público. Lidou um toiro de Prudêncio que foi manso.

 

Manuel Telles Bastos lidou o mais pesado da tarde, um toiro que foi reservado nas suas investidas. Telles Bastos andou bem na brega, com bom critério na escolha dos terrenos e presenteou o público com uma boa actuação. Deixou bons ferros curtos.

 

Para encerrar a corrida Luís Rouxinol Jr que se enfrentou a um manso que não colocou demasiados problemas a este jovem valor da nossa tauromaquia. Teve dois bons curtos, rematou bem as sortes e terminou a lide com um de palmo e outro de violino.

 

Para pegarem os seis toiros saltaram a trincheira os Forcados Amadores de Lisboa e os Amadores de Coruche. Por Lisboa foram caras César Gonçalves que se fechou bem ao primeiro intento, seguido por Pedro Gil numa grande cara à primeira e Daniel Batalha numa rija intervenção à segunda. Pelos de Coruche, Bruno Matias consumou facilmente à primeira, seguido por João Prates numa boa prestação à primeira. A tragédia rondou a praça na única tentativa de João Mesquita que foi violentamente colhido e teve de ser evacuado para o Hospital. Foi dobrado pelo valente Rui Godinho “Peitaça” que à segunda se fechou com habitual raça.

 

De realçar o excelente labor de brega de Manuel dos Santos “Becas” na colocação do sexto toiro para a pega.

 

A corrida foi bem dirigida por João Cantinho, assessorado pelo veterinário José Manuel Lourenço.

 

Crónica de António Lúcio