Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

O TOIRO, AMO E SENHOR NA ARENA DO CAMPO PEQUENO. NOITE HISTÓRICA PARA A GANADARIA DO DR. ANTÓNIO SILVA

13.04.19 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros do Campo Pequeno – 12/04/19 – Corrida de Toiros

Director: Lara G. de Oliveira – Veterinário: Jorge M. Silva – Lotação: ¾

Cavaleiros: António Telles, Rui Fernandes, Duarte Pinto

Forcados: Amadores de Montemor e de Vila Franca de Xira

Ganadaria: Dr. António Silva

O TOIRO, AMO E SENHOR NA ARENA DO CAMPO PEQUENO. NOITE HISTÓRICA PARA A GANADARIA DO DR. ANTÓNIO SILVA

IMG_1382.JPGMuito se fala sempre do toiro como eixo fundamental da festa brava e das condicionantes da bravura ou da sua ausência para o êxito do espectáculo tauromáquico, Mas, depois, quando esse toiro que dá importância aos putativos ou reais triunfos sai á arena, poucos falam dele, do seu comportamento, do seu tipo, de tudo o que puseram e impuseram na arena com a seriedade e a bravura por diante, ainda que em diferentes graus. De parabéns a jovem ganadeira Sofia Lapa pelo imponente curro de toiros que trouxe a Lisboa, dignos de qualquer primeira praça do mundo taurino. A apresentação, irrepreensível. O trapio e a seriedade, notórios e sublinhados pelos aplausos que mereceram na sua entrada na arena lisboeta. A bravura que o público premiou (a senhora directora esqueceu-se ou achou que era cedo) do segundo toiro da noite. Depois a merecida volta no quinto da ordem e a repetição no último da corrida, duas impressionantes estampas de toiros de lide e com o último – nº 59, Esmeraldo de nome e 604kg - a ter honras de voltar para o campo. Com tudo isto, o toiro-toiro foi amo e senhor da arena do Campo Pequeno numa noite histórica para a ganadaria coruchense de Dr. António Silva.

 

Os três cavaleiros, com distintos conceitos de lide, cumpriram a papeleta, foram aplaudidos pelo público, pediram e cravaram mais um e mais dois, mas, lamento ter de o escrever, não assinaram nenhum triunfo redondo.

 

António Telles foi de menos a mais na série de curtos, utilizando algumas sortes em terrenos cambiados para dar a volta ao toiro. No que foi quarto da ordem, que media e tinha sentido e mobilidade, Telles esteve bem na ferragem curta. Esteve bem a lidar e deu volta em ambos os toiros acompanhado pelos forcados.

 

Rui Fernandes teve dois curtos de muito boa execução no bravo segundo da noite, e voltou a estar bem com os curtos, alguns deles em sortes cambiadas frente ao bom quinto toiro e onde deu volta com forcados e a ganadeira Sofia Lapa que fez questão, no final, de chamar o seu maioral “Janica”.

 

Duarte Pinto cumpriu frente ao colaborador terceiro da noite, com dois bons curtos e foi autor dos dois melhores ferros compridos da noite frente ao que encerrou praça e onde a ganadeira foi de novo chamada à arena.

 

Noite grande também para os dois Grupos de Forcados. Efectivamente foi uma lição de como se devem colocar os toiros, de escolha dos terrenos por parte dos forcados da cara, de bem ajudar. Um hino á forcadagem. Os cites, bem feitos, o provocar a investida do toiro, o recuar na cara do toiro, as ajudas a entrarem a tempo, suportando derrotes por vezes violentos, deixaram bem alto o pavilhão destes dois grandes Grupos de Forcados. Aqui ficam os nomes dos seis heróis da noite e o meu olé por tão brilhante prestação.

 

Pelos Amadores de Montemor: Francisco Bissaia Barreto, João da Câmara e Francisco Borges com o primeiro ajuda em grande destaque também e a ser chamado para a dupla volta á arena.

 

Pelos Amadores de Vila Franca de Xira: David Moreira, Rui Godinho e Francisco Faria.

 

Estreou-se na direcção do espectáculo Lara Oliveira que esteve bem excepto na situação de não ter premiado o segundo toiro e não ter chamado o ganadeiro á arena, assessorada pelo veterinário Jorge Moreira da Silva que deveria ter mandado devolver o terceiro toiro da ordem após o terceiro curto em que ficou a claudicar claramente da mão esquerda.

 

Noite para fazer aficionados e onde a ganadaria do Dr. António Silva deixou a fasquia muito alta para o resto da temporada,

Texto e foto: António Lúcio