Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

NOITE DE CRIAR AFICÓN COM UM AMBIENTE EXTRAORDINÁRIO E ALGUMAS GRANDES LIDES E PEGAS. MOMENTOS DE EMOÇÃO MARCARAM A NOITE

22.07.22 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros do Campo Pequeno - Lisboa – 21/07/22 – Corrida de Toiros

Alternativa de Joaquim Brito Paes

Director: Lara Oliveira – Veterinário: Jorge M. Silva – Lotação: cheia

Cavaleiros: António Telles, João Salgueiro, António Brito Paes, João Salgueiro da Costa, Joaquim Brito Paes e António Telles filho

Forcados Amadores de Montemor e de Lisboa

Ganadaria: António Raúl Brito Paes

IMG_2666.JPG

“Este é o momento, estamos com o Campo Pequeno” foi o mote de uma bem programada publicitação desta corrida que reunia um cartel de sobeja qualidade e que levou os aficionados a quase esgotarem a lotação do Campo Pequeno numa noite que ficará para a História, uma noite marcada por momentos de fortes emoções, algumas grandes lides e pegas, enormes e sentidas ovações.

Joaquim Brito Paes superou com distinção esta prova de ascensão à categoria máxima dos cavaleiros, numa alternativa concedida por seu irmão António Brito Paes, e onde aliou a boa brega à cravagem de bons ferros compridos e com especial destaque para o extraordinário primeiro curto com pronunciada batida ao pitón contrário e boa reunião. Na fase final houve outro curto em que consentiu imenso na reunião e no que encerou esta sua actuação, de novo a fazer soar forte ovação após cravar em curto.

António Ribeiro Telles tem o dom da rápida percepção de terrenos e distâncias e colocou o segundo da noite a investir na série de curtos depois de um terceiro comprido de muito boa execução. Nos curtos destaque para o excelente terceiro de praça a praça a atacar o toiro e para o superior 4º que fez o público levantar-se, uma vez mais, dos seus lugares. Antes de iniciar a sua lide, e com o público de pé, a Banda tocou os Parabéns pelos 39 anos de alternativa emocionando-se António.

João Salgueiro teve momentos de enorme classe e valor na forma como abordou a lide ao terceiro da noite. Desde logo no segundo comprido, de muito boa execução. Bregou com acerto e a série de 5 curtos foi excelente, com entradas frontais vibrantes e a fazer o público levantar-se nas bancadas. Um grande momento de João Salgueiro nesta noite histórica.

António Maria Brito Paes é um equitador nato e isso também marca a diferença quando não se tem por diante um toiro colaborador, que esperava e se defendia nas reuniões. Lide adequada com primeiro curto de muito valor a aguentar e cumprindo nos restantes.

Salgueiro da Costa lidou o quinto, deixando um muito bom segundo comprido e uma série de 5 curtos com destaque para o primeiro em que pisou terrenos de muito compromisso e o terceiro em que atacou bem o toiro. Lide interessante a de Salgueiro da Costa.

Em sexto lugar actuou António Telles filho. E que bem que andou, com raça e vontade de triunfo, com boa brega e uma série de 6 ferros curtos em sortes frontais e com o último a ser extraordinário. Assinou um dos triunfos da noite e vai marcando posições.

Em praça e para pegarem os corpulentos toiros de António Raúl Brito Paes, de condição diversa mas a servirem para o espectáculo, enfrentaram-se os Grupos de Forcados Amadores de Montemor e de Lisboa que nos proporcionaram 5 grandes pegas à 1ª e uma, a última, apenas à 5ª tentativa. Raça, atitude, postura, vontade ficar na cara e boas ajudas foram a contante da noite. Por Montemor, e todos com grandes pegas à 1ª tentativa estiveram os forcados Vasco Carolino, Vasco Ponce e José Maria Vacas de Carvalho, enquanto que pelos de Lisboa estiveram na cara dos toiros Nuno Fitas, Daniel Batalha numa heroica e estoica pega à 1ª, e com Duarte Mira a encerrar praça apenas à 5ª tentativa.

Nas cortesias guardou-se um minuto de silêncio em memória de Carlos Serra, antigo elemento dos Amadores de Lisboa.

Correcta direção de corrida por parte de Lara Oliveira assessorada pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

Texo e foro: António Lúcio