Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

MOITA, 13/09/18 - FRANCISCO PALHA IMPARÁVEL EM NOITE DE PROVA SUPERADA PARA OS FORCADOS DO APOSENTO DA MOITA

14.09.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros “Daniel do Nascimento” – Moita do Ribatejo – 13/09/18 – Corrida de Toiros

Director: Tiago Tavares – Veterinário: Jorge Moreira da Silva – Lotação: ¾

Cavaleiros: João Moura, António Telles, Luís Rouxinol, Francisco Palha, Miguel Moura, Luís Rouxinol Jr, António Telles (filho)

Forcados: Aposento da Moita

Ganadaria: Passanha (7)

cortesias dia 13.JPGFRANCISCO PALHA IMPARÁVEL EM NOITE DE PROVA SUPERADA PARA OS FORCADOS DO APOSENTO DA MOITA

Muitos aliciantes nesta “Corrida das Dinastias” no que foi o 3º espectáculo da Feira Taurina da Moita e uma interessante entrada de público para presenciar o triunfo claro e inequívoco de Francisco Palha e a prova superada com valor e galhardia pelos forcados do Aposento da Moita, numa noite onde a presença e trapio dos toiros de Passanha não foi acompanhada por igual dose de bravura, não comprometendo contudo o bom nível geral do espectáculo.

 

Abriu praça João Moura. E não tendo disso uma daquelas exibições de mão cheia, a sua passagem pela Moita foi em tom moderado, cravando alguns ferros de melhor nota mas sem deslumbrar. Foi homenageado ao intervalo pelos seus 40 anos de alternativa.

 

António Telles lidou bem o segundo da ordem, numa actuação que foi em crescendo, destacando-se nos dois últimos curtos de muito boa nota e com a marca “Telles” com viagens de largo e com quarteio bastante ajustado para cravar como mandam as regras.

 

Disposto ao triunfo, sempre, Luís Rouxinol veio também a mais durante a sua lide. Mexeu bem no toiro, que não era fácil, cravou ferragem de agrado geral e terminou com um bom par de bandarilhas.

 

Francisco Palha está imparável. O segundo comprido, o melhor da noite, em viagem de largo, a provocar a investida do toiro foi o prólogo para uma série de quatro curtos, todos de muito valor, a provocar o toiro e a ir ao seu encontro provocando-lhe a saída de tábuas e cravando ferros que fizeram o público levantar-se das bancadas.

 

Miguel Moura apesar de decidido não esteve afortunado pois o seu primeiro comprido em sorte de gaiola ficou muito fora de sítio e as pronunciadas batidas ao pitón contrário não permitiram que as reuniões fossem muito ajustadas.

 

Luís Rouxinol Jr cedo entendeu o toiro que tinha por diante e depois de ter deixado dois compridos tem dois ferros curtos de boa nota, para terminar com um bom par de bandarilhas, bastante aplaudido.

 

Ao amador António Telles filho coube-lhe um avantajado eral de Passanha com o qual esteve francamente bem, com bons ferros e a mostrar uma interessante evolução. Foi uma actuação muito positiva a encerrar esta boa noite de toureio na Moita.

 

Prova superada com valor e galhardia pelos Forcados Amadores do Aposento da Moita. Pegar sete toiros em solitário é obra e o resultado não podia ser mais positivo. Cinco grandes pegas à  1ª, uma à segunda  e outra á terceira, por intermédio de José Maria Bettencourt, muito bem a abrir praça com uma rija pega; Marcos Prata numa pega espectacular à 1ª suportando vários derrotes; João Ventura muito bem ao primeiro intento; Leonardo Mathias numa rija intervenção à segunda com boa intervenção do 1º ajuda. Seguiram-se  Bernardo Cardoso, muito bem à primeira, despedindo-se das arenas tal como o 1º ajuda José Maria Ferreira; Martim Afonso de Carvalho também numa boa pega de caras à 1ª; e João Gomes a encerrar para com uma pega à 3ª tentativa.

 

Direcção acertada de Tiago Tavares assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

 

Texto e foto: António Lúcio