Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

MANUEL DIAS GOMES VOLTOU A CHAMAR A ATENÇÃO NA CORRIDA DO CENTENÁRIO DA PRAÇA DE TOIROS DE SOBRAL

BOA PRESTAÇÃO DOS CAVALEIROS

13.09.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros de Sobral de Monte Agraço – 12/09/21 – Corrida Mista

Director: Sandra Srtecht – Veterinário: José Manuel Lourenço

Cavaleiros: Francisco Palha, Luís Rouxinol Jr

Forcados Amadores de Lisboa

Matador: Manuel Dias Gomes

Ganadaria: Pontes Dias (6)

IMG_4170

Começou da melhor forma a comemoração dos 100 anos da praça de toiros de Sobral de Monte Agraço, com uma boa corrida mista onde Manuel Dais Gomes voltou a chamar a atenção dos aficionados ao toureio a pé e onde os cavaleiros se exibiram em bom plano com um bom curro de Pontes Dias em que o quarto foi premiado com volta à arena e chamada do representante da ganadaria.

Francisco Palha esteve bem na lide do que abriu praça e logo com dois bons compridos. Na série de curtos lidou bem e deixou quatro de boa nota, no seu estilo e que o público reconhece e premeia. Mas seria no quarto da orem que aqueceria as bancadas logo no primeiro comprido em sorte de gaiola bem executada e melhor rematada e um outro em que aguentou a viagem do toiro de largo e cravou bem, merecendo logo música antes de cravar e bem o primeiro curto. Mais dois de boa nota e o remate com 2 palmitos que o público premiou com ovações.

Luís Rouxinol Jr, entrou pela porta da substituição (no lugar do lesionado Manuel Telles Bastos) e teve uma primeira actuação de muito bom nível, preocupando-se com a brega e com os remates, para além de uma série de quatro curtos de muito boa execução, rematando a sua primeira lide com um palmito bem cravado. No quinto da tarde, de novo esteve bem, com a ferragem curta bem apontada ora mais em curto ora mais de longe conforme o toiro o exigia.

Manuel Dias Gomes teve duas interessantes intervenções e voltou a chamar a atenção dos aficionados e público em geral pela qualidade do sue toureio. O seu primeiro tinha pouca força e desde que o recebeu por verónicas e chicuelinas, cedo percebeu que havia que o mimar e cuidar das suas investidas suaves. Com paciência e dando tempo ao toiro, desenhou uma boa faena de muleta por ambos os pitons. No que foi sexto da corrida, de novo esteve bem de capote por verónicas rematadas com 2 meias. A faena de muleta voltou a ter classe pois toureou com ligação e muito temple pelos 2 pitóns não faltando os circulares invertidos e uma série de naturais de muita qualidade. Venham mais oportunidades porque temos toureiro.

Dois grandes pares de bandarilhas de João Ferreira (saudou montera em mão) e outro de

Cláudio Miguel.

 

Para pegar os toiros da lide a cavalo, os Amadores de Lisboa trouxeram alguns elementos mais jovens ou menos rodados. Para o primeiro toiro foi para a cara Miguel Santos que apenas consumou à terceira tentativa, seguindo-se António Galamba também à 3ª, Daniel Batalha à 1ª a emendar Nuno Santos que se lesionou na única tentativa que executou e Tiago Silva encerrou à 2ª tentativa a prestação dos lisboetas.

Direcção de corrida muito aficionada e compreendendo bem o que se passava a cargo de Sandra Strecht assessorada pelo veterinário José Manuel Lourenço. Nas cortesias guardou-se um minuto de silêncio em memória de António Garçôa, João Aranha e Jorge Sampaio, antigo Presidente da República, tendo no exterior da praça sido descerrada uma placa evocativa da efeméride. Boa presença de público a rondar o máximo permitido.

Texto e foto: António Lúcio