Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

JUANITO PASSA “EXAME” DA ENCERRONA COM DISTINÇÃO E SAI EM OMBROS EM VILA FRANCA

03.10.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

20211003_185943.jpg

Praça de Toiros Palha Blanco – Vila Franca de Xira – 03/10/21 – Corrida de Toiros

Director: Ricardo Dias – Veterinário: Jorge Moreira da Silva

Matador de Toiros: Juanito

Ganadarias: Falé Filipe, Palha, Varela Crujo, Murteira Grave (volta á arena), Calejo Pires, Ribeiro Telles

JUANITO PASSA “EXAME” DA ENCERRONA COM DISTINÇÃO E SAI EM OMBOS EM VILA FRANCA

Quando um toureiro se encerra com seis toiros, perante o exame de uma plateia, a única garantia que tem é a sua mente, da sua capacidade de enfrentar todos os desafios que isso implica, da sua disponibilidade mental para interpretar o seu conceito de toureio, conhecendo as ganadarias eleitas para esse gesto… Tem de ser um desafio tremendo para si próprio e sair em ombros, essa ambição, quando concretizada como aconteceu esta tarde em Vila Franca com João silva “Juanito” deve tê-lo transportado aos céus e a  desfrutar como teria sonhado.

Lidou toiros de Falé Filpe, com boas condições de lide, nobre e suave, condições que também teve o de Palha lidado em segundo lugar. Em terceiro um Varela Crujo de muita cara mas que manseou; o 4º foi bravo e teve classe, repetindo investidas com fijeza e mereceu a volta à arena). Em quinto um bonito toiro de Calejo Pires que teve qualidade mas pouca força, e encerrou a tarde um encastado e complicado toiro de Ribeiro Telles.

E mereceu porque não virou a cara à luta em nenhum momento e mostrou argumentos para conquistar o público, que lhe tributou ovações de pé e exigiu reais voltas á arena após as lides de 2º 3 4º, este na companhia do ganadeiro Joaquim Grave. O toureio a pé saiu dignificado, em alta e com a colaboração da cabana brava portuguesa.

Esteve bem com o capote em toda a tarde: verónicas, chicuelinas, largas, largas cambiadas de joelhos, uma delas á porta gaiola no último toiro, Tudo com cadência, sem atropelos, a tourear.

E com a muleta, seis faenas muito bem construídas, com o toureio fundamental pelo lado direito ou ao natural a ser muito bem desenhado, mandando e templando as investidas, muitas vezes correndo bem a mão para aumentar a amplitude do muletazo, rematando com bons passes de peito. Alguns dos naturais foram de grande expressividade, levando as investidas ao limite e bem por baixo, obrigando e muito os toiros.

Alguns momentos de grande plástica aconteceram no bravo quarto toiro da tarde, de Murteira Grave, com o matador a conseguir ligar os muletazos uns após os outros dada a forma como o toiro repetia essas investidas de classe. E o toureiro pode com ele, exprimindo muito provavelmente o que lhe ia na alma e que se viu na aclamada volta à arena como já havia sucedido no segundo, de Palha.

Se dúvidas houvesse, a forma como recebeu o último da tarde à porta-gaiola dissipavam-nas. Foi, toda a tarde, a demonstração clara da sua determinação e mostrou que pode chegar longe assim os toiros o poupem e os esquemas não o parem.

Enhorabuena Juanito. Suerte Torerazo!

Texto e foto: António Lúcio