Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

05 Mai, 2020

HOJE TOUREIO EU...

100919 moita - mjmh.jpg

Terminado o 3º período do Estado de Emergência entrámos no Estado de Calamidade no passado domingo dia 4 e a economia vai recomeçando a dar alguns passos, tíbios ainda, mas passos que podem significar sair da asfixia financeira que começavam a sentir depois de um encerramento forçado de +- 45 dias.

A Tauromaquia não abre portas agora nem se sabe bem quando o poderá fazer novamente, com todas as nefastas consequências que daí advêm e na verdade ninguém sabe muito bem o que é que as Associações representativas do sector fazem para que possa haver uma luz ao fundo do túnel e que medidas foram apresentadas junto das entidades governamentais para os necessários e indispensáveis apoios ao reinício da actividade e as necessárias compensações para fazer face à forçada paragem por via da Covid-19 e dos Estados de Emergência e Calamidade.

Calamidade é o que pode acontecer a este espectáculo se nada se fizer. Se todos não contarem com todos... Ou, de outra forma, se as "capelinhas" continuarem por diante do interesse geral. Quando leio o documento elaborado pela Fundación del Toro de Lidia e apresentado ao Governo espanhol e não vislumbro nada a não ser uma carta a pedir reunião à Ministra da Cultura... Impõe-se perguntar porque é que se copia tanta coisa e as masi importantes parecem ser esquecidas e nem sequer se tenta uma aproximação ao que de bom está feito em Espanha e se adapta à realidade portuguesa?

Porque é que tudo é tratado com tanto secretismo? Porque é que se insiste em isolar aqueles que fazem a comunicação social taurina? Porque é que não avança uma campanha de divulgação das ganadarias e dos toureiros portugueses, do seu trabalho, da importância ecológica e económica da festa brava a montante da corrida de toiros?

Será assim tão difícil pedir aos toureiros uns pequenos vídeos dos seus treinos, aos ganadeiros do trabalho diário nas suas ganadarias, aos campinos, aos emboladores, etc etc etc...? A Prótoiro até tem uma plataforma, uma marca própria, a Touradas, onde pode divulgar esses trabalhos e partilhá-los nas mais diversas redes sociais. Porque não o faz?

Não creio que a actividade tauromáquica em Portugal tenha alguma hipótese viável de recomeçar em 2020. As limitações de segurança impostas pelas DGS inviabilizam economicamente qualquer espectáculo com lotação limitada a menos de 1/3 da capacidade actual das nossas praças de toiros. Temos pois que pensar como é que será 2021...

Quem terá capacidade financeira para montar bons espectáculos?

Que ganadeiros terão toiros rematados para essa temporada?

Quantos espectáculos se poderão montar tendo em conta a fragilidade financeira da maioria das famílias?

Ficamos a aguardar respostas...