Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Praça de Toiros de Arruda dos Vinhos – 16/08/19 – Corrida de Toiros

Director: Ana Pimenta – Veterinário: José M.Lourenço – Lotação: 80%

Cavaleiros: Marcos Bastinhas, Francisco Palha, Miguel Moura

Forcados Amadores de Vila Franca e Arruda dos Vinhos

Ganadaria: Engº Jorge Carvalho (nº 98 - 490kg; nº104 - 440kg; nº97 - 435kg; nº 96 - 450kg;nº 93 - 465kg; nº 81 - 480kg)

IMG_7700.JPG

Começo a crónica com um dos versos da célebre canção de Sérgio Godinho que entre o “hoje soube-me  a pouco, portanto, hoje soube-me a tanto…”: Pouco porque o público não esgotou as entradas para esta corrida com um muito interessante cartel de juventude em competição; pouco, porque escasseou a bravura nos toiros que saíram á arena; pouco porque ninguém se transcendeu… Mas também soube-me a tanto ou tanta; tanta saudade do grande mestre Joaquim Bastinhas que o público soube reconhecer; tanto respeito pela memória do Pitó nesse sentido minuto de silêncio; e poderia colocar mais uns tantos qualquer coisa na atribuição dos troféus e na contestação popular quando forma anunciados. Ou como alguns pouco percebem de toiros e de toureio… Por isso tanto me soube a tanto como me soube a pouco.

 

Marcos Bastinhas lidou bem o primeiro da noite, um toiro com tipo e que carregava forte após os ferros. Um toiro que media e ao qual Marcos lidou com acerto. A forma como rematou o primeiro comprido perante a recarga forte do toiro e o segundo curto foram importantes nesta primeira lide. O quarto da noite foi mais colaborador e com ele desenvolveu boa brega, aguentando depois e bem a investida de largo para deixar um bom segundo comprido. Três bons curtos e dois pares de bandarilhas, o segundo em terrenos mais apertados junto à porta de quadrilhas fizeram soar fortes as ovações. Seria em meu modesto entender a lide a premiar como a melhor.

 

Francisco Palha lidou em crescendo um novilhote de escassa presença, mansote e distraído. Dois compridos regulares e uma série de 5 ferros curtos, a subir o tom, melhores os 3 últimos, obrigando o novilho a investir após criteriosa brega numa actuação de muito bom nível premiada pelo júri como a melhor da noite e que não recolheu a aprovação do público. No quinto da noite, Francisco Palha voltou a impor-se frente a um toiro com muita presença e tipo mas que também não foi bravo. Dois bons curtos a pisar os terrenos do toiro, algumas passagens em falso, toiro a buscar a defesa de tábuas, violino e dois palmitos um deles a sesgo a rematar uma boa actuação.

 

Miguel Moura cumpriu frente ao terceiro da noite apesar de irregular na cravagem da ferragem. Uma actuação discreta frente a um toiro que revelou alguma sonseria. No que encerrou praça esteve determinado e conseguiu dois curtos de muito boa nota e que foram aplaudidos pelo público.

 

Para as pegas estiveram em praça os Forcados Amadores de Vila Franca e de Arruda dos Vinhos. Os de Vila Franca levaram os dois prémios em disputa – Melhor Pega para David Moreira no 3º toiro e Melhor Grupo. Foram forcados de cara Francisco Faria muito bem e à primeira (seria em meu entender a melhor das seis pegas); David Moreira também à primeira e o valente Pedro Silva à 3ª e enorme em todas as tentativas, faltando ajudas nas duas primeiras. Pelos Amadores de Arruda esteve bem e a consumar ao primeiro intento João Costa, seguido por pedro Belbute “Sabino” e Hélder Costa, ambos ao segundo intento.

 

Os toiros e novilhos do Engº Jorge Carvalho, ganadaria a comemorar 50 anos de existência tiveram apresentação e comportamento díspar exigindo bastante aos toureiros.

 

O júri dos prémios em disputa foi constituído por Nuno Griné, Vasco Lucas e Lourenço Luzio.

 

Dirigiu com acerto Ana Pimenta assessorada pelo veterinário José ManuelLourenço.

Texto e foto: António Lúcio