Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

“GUARDADO ESTÁ O BOCADO”… DUARTE SILVA TRIUNFA NA NOVILHADA DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO

15.09.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros de Sobral de Monte Agraço – 15/069/18 – Novilhada popular

Director: João Cantinho – Veterinário: José M. Lourenço – Lotação: 1000

Cavaleiros: Francisco Correia Lopes, Ricardo Cravidão, Manuel Oliveira

Forcados: Amadores de Lisboa

Novilheiros: Luís Silva, Rui Jardim, Duarte Silva

Ganadarias: Lopes Branco, Cunhal Patrício, Fontembro, Manuel Veiga, Sociedade das Silveiras (2)

IMG_3433.JPG“GUARDADO ESTÁ O BOCADO”… DUARTE SILVA TRIUNFA NA NOVILHADA DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO

 

Diz o ditado popular que “guardado está o bocado para quem o há de comer”. E o bom eral de Manuel Veiga teve por diante um jovem disposto ao triunfo e a mostrar que quer ser toureiro, pelas maneiras e pela atitude que colocou em tudo quanto fez no decurso da sua presença na arena. Bem e diversificado com o capote, foi na muleta que prendeu a atenção dos aficionados  e público em geral, com bons modos, sacando bem os passes pelos dois pitóns. Justificou claramente a sua inclusão nesta novilhada de oportunidade a novos valores. O seu nome, para fixar, Duarte Silva.

 

Abriu praça o cavaleiro Francisco Correia Lopes com uma actuação de razoável nível mas que sabe a pouco frente a um bom eral de Lopes Branco.

 

O mesmo se pode afirmar da actuação de Ricardo Cravidão e Manuel Oliveira que tiveram por diante bons erais da Sociedade das Silveiras.

 

Os Amadores de Lisboa estrearam alguns forcados de cara, jovens que mostraram valor e saber estar, consumando todas as pegas de caras ao primeiro intento. Foram eles: Ricardo Nunes, Miguel Santos e João Maria Bagão.

 

Ainda no que ao toureio a pé diz respeito, Luís Silva, da Moita, lidou um bom eral de Cunhal Patrício sem contudo aproveitar o máximo que o excelente pitón esquerdo do novilho permitia.

 

Rui Jardim, da Academia do Campo Pequeno, também podia ter ido mais além com o eral de Fontembro. Uns quantos muletazos de melhor nota souberam a pouco.

 

Dirigiu o espectáculo João Cantinho assessorado pelo veterinário José Manuel Lourenço.

 

Texto e foto: António Lúcio