Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

E CONTINUAM A OFERECER MILHARES…

21.02.14 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Depois da anulação e relançamento de alguns concursos para arrendamento de praças de toiros, voltamos a verificar – e de acordo com dados divulgados por alguns dos sites taurinos portugueses – que afinal há muito dinheiro para oferecer por esses alugueres ainda que nos últimos anos as lotações dessas praças na esmagadora maioria dos espectáculos aí realizados seja baixa por todos os motivos conhecidos.

 

Em Reguengos, aonde ninguém havia chegado à loucura dos 60 mil euros pretendidos pela entidade proprietária para exploração do tauródromo local por um período de 3 anos, 4 empresas apresentaram valores entre 30 mil e 45750 euros, o que dá uma média mínima de aluguer por espectáculo de 5 mil a mais de 7 mil euros… Quem vai pagar??? O público no bilhete e toureiros e ganadeiros no cachet que será, necessariamente, mais baixo!

 

Na Chamusca, praça castiça e que cumprirá 95 anos de existência este ano, Paulo Pessoa de Carvalho foi o vencedor do concurso disputado com outros 5 empresários que ofereceram entre 1000 euros + 10% do lucro e os 8500 euros por 2 anos do vencedor. Esta praça dá uma corrida da Feira da Ascensão e por vezes outra fora desta data móvel.

 

Em Coruche, as entidades proprietárias da praça rejeitaram todas as propostas apresentadas e que ofereciam percentagens diversas sobre bilheteiras e valores mínimos garantidos: João Telles oferecia 10% de duas corridas e 20% da de dia 17 de Agosto; a Tauroleve 12% com um mínimo de 36 mil euros e a Emoção um valor de 30 mil euros, todas pelo período de 3 anos. Em média esta praça dá 2 espectáculos em Agosto.

 

Na Moita do Ribatejo, João Pedro Bolota/Aplaudir levou a melhor sobre os outros 3 candidatos, ao oferecer 20 mil euros por esta época e mais 22500 por cada uma das duas seguintes. Esta praça, que dá, em média 6/7 espectáculos por temporada tem a particularidade de que, por força do caderno de encargos, um conjunto significativo de entradas em sector de sombra ser para os accionistas da SMT, o que encarece sobremaneira o custo do aluguer.

 

Será que os senhores empresários têm máquinas de fazer dinheiro e nós não sabemos? É que se fizermos contas a uma média de 2000 espectadores que pagem em média 25 euros por por bilhete, teremos uma receita bruta média de 50 mil euros... o que é manifestamente baixo para cobrir todas as despesas de um espectáculo tauromáquico normal...