Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

TOIROS SÉRIOS PARA GRANDES FORCADOS

Praça de Toiros do Campo Pequeno – Lisboa – 03/09/2020 – Corrida de Toiros

Directora: Lara G. Oliveira – Veterinário: Jorge M. da Silva – Lotação: 50%

Cavaleiros: Rui Salvador, Gilberto Filipe, Manuel Telles Bastos, Duarte Pinto, Ana Rita, Parreirita Cigano

Forcados Amadores de Montemor e Alcochete

Ganadaria: Veiga Teixeira

IMG_4282.JPG

Anunciada como a corrida do toiro-toiro, com a ganadaria Veiga Teixeira a enviar seis exemplares de excelente apresentação e pesos de acordo com o tipo da ganadaria, alguns deles de muito boa nota, nomeadamente o bravo primeiro e o muito bom quarto da noite, teve no veterano Rui Salvador o toureiro que mais se destacou aproveitando muito bem as belas investidas do nº623 e de 528 kg.

O saber de Rui Salvador, alicerçado numa carreira já larga, soube aproveitar ao máximo as potencialidades da belas investidas do bravo que abriu praça para uma lide com o sabor de um bom vinho reserva, já que quer a lidar quer a cravar trouxe todo esse sabor que se mantém no palato por um tempo maior e que permite desfrutar… Foi assim numa lide onde houve ferros curtos de muito mérito numa lide que teve muitos motivos de interesse. Quem sabe não esquece e Salvador mostrou tudo o que sabe. Parabéns mestre!

Gilberto Filipe é um cavaleiro de entrega e que coloca a carne no assador. Contudo, por vezes, a abordagem das sortes, imprimindo muita velocidade ás montadas acaba por retirar mérito ao que de bom sabe e pode fazer. O toureio é para se executar devagar e as reuniões, com moderada velocidade, têm outro valor. Dois curtos de boa nota são o destaque da sua actuação frente ao segundo da noite rematada com um ferro de violino.

Para lidar o terceiro da noite saiu à arena Manuel Telles Bastos. Uma lide com boa brega, e onde esteve em bom plano na cravagem dos terceiro e quarto curtos.

Duarte Pinto também abusou um pouco da velocidade nas abordagens iniciais e esteve bem a lidar o bom toiro que teve pro diante e que, quando citado e o cavaleiro lhe permitiu a primazia na investida o fez com raça e a permitir bons ferros nomeadamente no terceiro (mais de largo) e no quinto (mais em curto), sendo fortemente aplaudidos.

Para lidar o quinto, manso e complicado, esteve em praça Ana Rita que, com valentia e destreza, resolveu bem os problemas que o toiro teve. Chega facilmente ao público e teve uma lide com motivos de interesse. Rematou de violino e dois de palmo sempre do agrado do grande público.

E para encerrar o capítulo dos cavaleiros, Parreirita Cigano que conseguiu os seus melhores momentos nos dois últimos ferros curtos, colocando-se em terrenos de compromisso para cravar dois ferros em sortes cambiadas que foram de grande exposição e com o penúltimo ferro a ser dos melhores da corrida.

Toiros sérios, como referimos, para grandes forcados e com emoção a rodos em algumas das seis valentes pegas de caras a que assistimos e que estiveram a cargo dos Forcados Amadores de Montemor e de Alcochete, respectivamente.

Os alentejanos de Montemor tiveram na cara do primeiro toiro o forcado Vasco Ponce que consumou bem e ao primeiro intento. Francisco Byssaia Barreto consumou com galhardia à primeira no terceiro da ordem. Francisco Borges foi para o quinto da noite com a habitual classe mas ao recuar, por duas vezes, desequilibrou-se e não conseguiu fechar-se e com o toiro a derrotar com violência, só conseguindo consumar à 4ª tentativa e com ajudas carregadas.

Os Amadores de Alcochete pegaram o segundo da noite por intermédio de Vítor Marques à segunda tentativa, seguido por Manuel Pinto que aguentou barbaridades na primeira tentativa e esteve de novo enorme na segunda tentativa, bem ajudado. Para encerrar praça com chave de ouro, outra grande pega à primeira por intermédio de João Belmonte, à primeira e com uma enorme ajuda de João Rei.

Na direcção do espectáculo esteve Lara Gregório de Oliveira assessorada pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

Texto e foto: António Lúcio