Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

ASSISTÊNCIA MÉDIA NOS ESPECTÁCULOS VERSUS SUBSÍDIOS ESTATAIS

26.01.15 | António Lúcio / Barreira de Sombra

No documento sobre o que foi a temporada tauromáquica de 2014 elaborado pela Protoiro e apesar de não nos dar os números referentes a todos quantos nela participaram e apenas o top ten (os dez mais), traz-nos uma importante comparação entre o número de médio de espectadores em diversos tipos de espectáculos – habitualmente subsidiados pelo Estado – e o dos espectadores pagantes em cada corrida de toiros. Os dados dos espectadores em cinema e teatro são referentes a 2013 e os de assistentes nas touradas são de 2013 e 2014 (onde houve um ligeiro incremento).

Se atentarmos bem nos números, veremos a disparidade e a importância de cada um, sendo que mais de 450 mil foram às corridas de toiros.

Cinema (2013) – 22 espectadores em média

Teatro (2013) – 126 espectadores em média

Corridas de Toiros (2013) – 2145 espectadores em média

Corridas de Toiros (2014) – 2240 espectadores

Como todos sabem, os espectáculos tauromáquicos não recebem qualquer tipo de subsídio governamental. Ou sejam, custeiam-se a si próprios, suportando os empresários tauromáquicos os prejuízos que existam em cada espectáculo. O que, aliás, é o normal em qualquer empresa, em qualquer ramo de actividade, excepto no cinema e no teatro (também em parte na música) em que o Estado, através da Secretaria de Estado da Cultura e do ICAM entrega, mediante concurso, umas largas centenas de milhar de euros para que, mesmo sem espectadores, se façam filmes e se produzam peças de teatro...

Aliás, seria bem interessante que a IGAC, a Secretaria de Estado da Cultura ou outro órgão estatal publicasse uma lista dos subsídios atribuídos ao Cinema, ao Teatro e à Tauromaquia nos últimos 10 anos!...