Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

ARTE E SENHORIO: 75 ANOS DO GRUPO DE FORCADOS AMADORES DE LISBOA

28.09.19 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros do Campo Pequeno – 27/09/19 – Corrida de Toiros

Director: Lara Oliveira – Veterinário: Jorge Moreira da Silva – Lotação: ¾

Cavaleiros: João Moura Jr, João Ribeiro Telles, Francisco Palha

Forcados Amadores De Lisboa (75 anos)

Ganadaria: Pinto Barreiros (nº 49 – 465kg; nº 6 – 514 kg; nº 55 – 482kg; nº 33 – 500 kg; nº 54 – 484kg; nº 43 – 504kg)

IMG_9836.JPGARTE E SENHORIO: 75 ANOS DO GRUPO DE FORCADOS AMADORES DE LISBOA

Arte e senhorio, assim penso descrever com fidelidade aquilo que vimos na primeira das seis pegas de caras da noite de absoluta consagração dos Amadores de Lisboa na corrida em que se comemoravam, em Lisboa, os 75 anos do Grupo de Forcados Amadores de Lisboa. José Luís Gomes, um forcado eterno, um fora de série na arte de bem pegar toiros, voltou a fazer levantar o público das bancadas quando se fechou na cara do primeiro da noite. Faltam palavras e sobra emoção. Momento grande a abrir a noite e que teria encerramento com chave de oiro com uma soberba pega de caras a cargo do actual cabo e seu filho Pedro Maria Gomes frente a um manso e complicado Pinto Barreiros que saiu com pata e duro para o forcado. Muito bem em todos os momentos, foi muito bem ajudado.

 

Ainda no capítulo das pegas foram forcados de cara Pedro Gil, Francisco Mira, João Maria Bagão e João Varandas. Após as cortesias o Grupo havia sido homenageado pela empresa do Campo Pequeno com uma placa evocativa da efeméride e pela Câmara Municipal da Chamusca. Noite de brande nível dos Amadores de Lisboa.

 

No toureio a cavalo João Moura Jr conquistou o público e é seguramente o ou um dos triunfadores da temporada. Boa lide e bons ferros no bravo e nobre primeiro da noite, com alguns momentos de frisson que aumentariam na lide do também bravo quarto, que se arrancava de largo e de qualquer lado da praça e que permitiu alguns bons ferros e o remate com mourinas, a segunda de excelente execução e a última para deixar um de palmo.

 

João Telles enfrentou o segundo da noite, que teve classe e foi um bom toiro. Dois ferros curtos de muito boa execução e o último excelente a entrar nos terrenos do toiro. Frente ao quinto, que não foi colaborante teve uma lide intermitente, sem se definir completamente e não deu volta.

 

Francisco Palha lidou bem o cumpridor terceiro, de escassa presença. Uma lide de boa nota com bons ferros curtos nomeadamente o terceiro. Frente ao manso e complicado que encerrou praça, desconcertante na forma como se defendia, Palha teve dificuldades para deixar a ferragem a sesgo, com mérito e um ferro em que conseguiu fixar o morlaco nos tércios. Não deu volta.

 

O curro de Pinto Barreiros teve três toiros de boa nota, primeiro, segundo e quarto, este a merecer a chamada do ganadeiro à arena e que recusou a volta após alguns assobios – poucos e sem expressão. O sexto foi manso e muito complicado.

Excelente direcção de corrida por parte de Lara Gregório, com critério e pulso nas decisões tomadas. Foi assessorada pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

 

Texto e foto: António Lúcio