Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

ANTÓNIO PRATES TRIUNFADOR INDISCUTÍVEL DA CORRIDA DO EX-COMBATENTE FUZILEIRO

12.05.19 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros do Montijo – 11/05/19 – Corrida de Toiros

Director: Ricardo Dias – Veterinário: Carlos Santos – Lotação: 40%

Cavaleiros: Duarte Pinto, Luís Rouxinol Jr, António Prates (praticante)

Forcados Amadores do Ribatejo, Tertúlia Tauromáquica do Montijo, Montijo

Ganadaria: Fernandes de Castro

ANTÓNIO PRATES TRIUNFADOR INDISCUTÍVEL DA CORRIDA DO EX-COMBATENTE FUZILEIRO

IMG_3315.JPGEntrou com ganas de triunfo, arriscou e conseguiu os mais emotivos momentos de uma larga corrida de toiros que se prolongou por mais de 3h30 de duração. António Prates chamou a atenção dos aficionados e do público em geral pelo seu toureio de garra, de entrega, a pisar os terrenos dos toiros e a conseguir alguns ferros de muito mérito, nomeadamente o extraordinário quarto curto ao toiro que encerrou praça e que foi o melhor de todos quantos foram cravados nesta tarde. Uma actuação premiada com fortes ovações e a mostrar que pode vir a ser um cavaleiro de muito interesse e com alternativa marcada para 22 de junho em Alcochete.

Duarte Pinto foi, uma vez mais, o clássico da classe, um toureio muito á antiga portuguesa, lidando bem, dando distâncias e procurando o mais puro do toureio. Bons ferros a que os toiros não emprestaram a devida emoção mas também ele a deixar um daqueles ferros de cortar a respiração frente ao quarto da tarde. Mais uma boa tarde para o cavaleiro de Paço de Arcos.

Das Faias, Pegões, veio Luís Rouxinol Jr e também ele decidido a não perder pontos para a concorrência. Algo acelerado no seu primeiro, esteve em melhor plano no bom quinto da ordem, mais centrado, com melhores ferros e boas decisões. Voltou a deixar alta a fasquia e bom ambiente.

Nesta corrida os 3 Grupos de Forcados disputavam o Troféu “José Coisinhas”, sargento-mor dos Fuzileiros, para a melhor pega, com o júri composto por 3 antigos Fuzileiros: Comandante Monteiro, Comandante Vacas de Carvalho e José Luís Figueiredo.

Os Amadores do Ribatejo abriram praça com uma boa pega de caras a cargo de Dário Silva ao primeiro intento e sentiram imensas dificuldades frente ao quarto da ordem que, lá atrás, tirava a cara e não dava muitas hipóteses aos terceiros ajudas para entrarem. Valente foi João Oliveira que por 6 vezes tentou a pega.

Pelos Amadores da Tertúlia Tauromáquica do Montijo Pedro Galamba não conseguiu consumar após 6 falhadas tentativas e o toiro foi pegado de cernelha à primeira por Luís Carrilho e Manuel Cabral.

Finalmente, pelos Amadores do Montijo, Élio Lopes consumou uma rija pega de caras à 3ª tentativa e João Paulo Damásio suportou bem os derrotes do toiro para consumar bem e à primeira tentativa, pega esta que foi considerada de forma unânime como a melhor da tarde.

Lidaram-se seis bons exemplares de Fernandes de Castro, que levaram emoção em especial às pegas, sendo justificada a chamada do ganadeiro após a lide do sexto toiro.

Não muito compreensível foi a atitude do novo director de corrida Ricardo Dias para com os forcados, com avisos a destempo dadas as dificuldades de colocação de alguns toiros e sem que estes tivessem muita vontade de investir para os forcados assim como a acção de mandar identificar elementos do grupo da Tertúlia após a pega do 2º toiro. Entende-se a sua vontade de justificar a escolha perante os elementos da IGAC que marcaram presença na corrida mas acho completamente exagerada a acção. Quanto ao resto cumpriu na sua primeira missão, assessorado pelo veterinário Carlos Nobre.

Texto e foto: António Lúcio

Nota: as minhas desculpas pelo desfoque da foto mas o momento foi excelente.