Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

IMG_3362.JPG

 De acordo com os dados disponibilizados na passada semana pela IGAC e relativos à temporada de 2016, regista-se que se realizaram:

 

  • 158 espectáculos em praças fixas (82.72%)
  • 33 espectáculos em praças ambulantes (17.28%)

De onde resultaram, em termos de presença de espectadores (número calculado “à vista” pelos delegados técnicos tauromáquicos e tendo em conta a lotação oficial da praça):

 

  • 335057 espectadores nos 158 espectáculos em praça fixa – média de 2120.61
  • 27000 espectadores nos 33 espectáculos em praças ambulantes – média de 818.18

 

O que nos permite estabelecer que a média por espectáculo em 2016 foi de 1895.58 espectadores.

 

Se somarmos os valores referentes a espectadores na década 2007/2016, e ainda de acordo com o mapa publicado pela IGAC, teremos um total de 5 372 795 espectadores, o que dá uma média 2053.82 espectadores por espectáculo nessa década.

 

E quanto ao número total de espectáculos na década 2007/2016 eles foram 2616, o que dá uma média de 261.6 espectáculos por ano.

 

Se verificarmos, o maior número de espectáculos tauromáquicos realizados em Portugal corresponde ao período de 2007 a 2010, sendo que o decréscimo do número de espectáculos se acentua com a crise e a vinda da troika em 2011. Ou seja, quando os portugueses passaram a ter menos dinheiro disponível para gastar e onde tiveram de fazer as mais variadas opções, sendo que o espectáculo tauromáquico se viu bastante afectado por isso.

 

Contudo, e importa realçar este facto, o número médio de espectadores foi de 2053 na década e de 1896 em 2016.

 

Houve praças, como a do Campo Pequeno, cujas entradas de público cresceram, de 2015 para 2016, quase 6%, e no que se refere às praças com mais de 10 mil espectadores no total da temporada de 2016 temos:

 

  1. Campo Pequeno – 63291 espectadores – 14 espectáculos – média 4520.78
  2. Albufeira -  21946 – 22 espectáculos – média 997.54
  3. Nazaré – 17226 – 6 espectáculos – média 2871
  4. Vila Franca – 13984 – 6 espectáculos – média 2330.66
  5. Alcochete – 12945 – 5 espectáculos – média 2589
  6. Montijo – 12440 – 3 espectáculos – média 4146.66
  7. Évora – 12150 – 6 espectáculos – média 2025
  8. Moita – 11647 – 6 espectáculos – média 1941.16

 

Ou seja, as oscilações de espectáculos e de espectadores estão intimamente ligados com a crise económico-financeira que o País tem atravessado.

 

Realce-se, finalmente, que no ano de 2016 se deram espectáculos nos concelhos de  Alandroal, Alenquer, Castelo de vide, Ribeira de Pena, Seia e Vagos, que em 2015 não tinham realizado qualquer espectáculo tauromáquico. Albufeira, Lisboa e Évora foram os concelhos em que maior número de espectáculos se realizaram.