Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

TERMINOU A TEMPORADA TAURINA DO “BARREIRA DE SOMBRA”

30.10.10 | barreiradesombra

 

Chegados ao final de Outubro, e depois do êxito histórico de Santarém nos dias 23 e 24, colocámos ponto final na nossa temporada taurina no que a assistência a espectáculos tauromáquicos diz respeito, ocupando-nos a partir de agora às análises do que vimos e assistimos e áquilo que classificamos como momentos de uma época tauromáquica. Portugal viveu sob o sign de uma crise económico-financeira mas o que mais se fez notar foi a crise de novos e grandes valores e a pouca capacidade de inovar para levar gente ás praças. Salvo duas ou três raras excepções mantiveram-se os cartéis do costume, nas datas usuais e, mesmo assim, nalguns casos, com fracos resultados.

 

A televisão foi um importante veículo transmissor das virtualidades da nossa Festa Brava e honra seja feita à RTP e TVI pelas corridas transmitidas e à RTP/2 por manter programas como o «Arte & Emoção» e «Três Andamentos» para mostrar a um vastíssimo auditório tudo quanto se passa dentro e fora das arenas, com o toiro e o cavalo como figuras centrais. Nas ilhas dos Açores, e principalmente na Terceira, um programa taurino na TV e na rádio, além das páginas dos jornais, permitiram a muitos milhares de aficionados seguirem essa particular forma de tauromaquia que é a «tourada à corda».

 

Ainda no que à televisão diz respeito, continuamos a verificar um fenómeno de audiências que é sintomático: de cerca de 300 mil telespectadores numa transmissão a um máximo de 800 mil num directo do Campo Pequeno com toureio a pé. Os shares são elevados assim como as audiências. Alguém duvida da capacidade de penetração transversal a toda a sociedade do fenómeno tauromáquico?

 

Mas o mais importante acontecimento do ano teve lugar nos dias 23 e 24 de Outubro em Santarém, sob a batuta de Francisco Moita Flores, dos peticionários em defesa da festa brava e da empresa Aplaudir:

  • Mais de 53000 assinaturas reunidas na petição «Em Defesa da Festa Brava»
  • mais de 40000 bilhetes vendidos em 4 festivais
  • 3 lotações esgotadas na “Celestino Graça”
  • 30 cavaleiros, matadores e novilheiros
  • 30 toiros e novilhos lidados
  • 15 Grupos de Forcados Amadores
  • 240 forcados fardados
  • Mais de duas dezenas de bandarilheiros
  • Duas dezenas de presidentes de Câmara homenageados
  • Presença de artistas e figuras de diversas áreas da cultura, incluido o Secretário de Estado da Cultura Elisio Summavielle

 

Alguém terá dúvidas quanto á real-valia do fenómeno tauromáquico nos mais diversos pontos do País e nos diferentes estratos sociais?

 

A partir de agora dedicar-me-ei à análise da temporada 2010 que o «Barreira de Sombra» acompanhou, num total de 56 espectáculos ao vivo.