Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

JOÃO AUGUSTO MOURA E “CLARINERO” DE FALÉ FILIPE, OS DESTAQUES DO ENCERRAMENTO DE TEMPORADA EM LISBOA

O novilheiro João Augusto Moura e o novilho “Clarinero”, marcado com o nº 44 e negro de pelagem da ganadaria de Falé Filipe, encontraram-se na arena do Campo Pequeno e por casualidade do sorteio, sagrando-se como os mais destacados da corrida de encerramento da temporada lisboeta de 2010,  a par de João Moura jr e seu irmão, o amador Miguel Moura. João Moura não quis deixar créditos por mãos alheias mas a sorte não esteve consigo nesta noite.

 

A praça registou cerca de ¾ da sua lotação preenchida e, estranhamente, os responsáveis máximos do Sporting não estiveram presentes assim como o plantel sénior, nesta que se anunciava como mais uma corrida do Sporting. Mas também é verdade que a festa se faz dos acontecimentos dentro da arena e aí foi o novilheiro João Augusto Moura quem mais se destacou na lide do sexto e último da ordem, um excelente novilho de Falé Filipe, bravo e nobre. O novilheiro entendeu-o bem, deu-lhe as distâncias correctas, correu bem a mão e ligando os muletazosem redondo, com boas séries por ambos os pitons e rematando a sua actuação com alguns circulares invertidos. No que fora terceiro da noite, que exigia muito do toureiro e não foi de grande categoria, João Augusto cumpriu pelos mínimos.

 

João Moura Jr teve também uma segunda lide de bom nível, iniciada com uma sorte de porta-gaiola bem justa na reuião, seguindo com bons ferros curtos, em sortes bem delineadas, cambiando em algumas reuniões, e chegando ao público. No seu primeiro cumpriu a papeleta.

 

O maestro João Moura teve duas actuações distintas, mais fraca a primeira com um toiro que não facilitou nas reuniões, e em melhor plano no seu segundo, com bons momentos, rematados com dois ferros de palmo.

 

A primeira parte foi preenchida com uma agradável lide de Miguel Moura, dando distãncias e de largo partindo para uma boa série de curtos, fortemente aplaudidos pelo público.

 

Quanto às pegas, estiveram em praça os amadores de Évora e de Monforte. O novilho lidado por Miguel Moura foi pegado por um misto dos dois grupos com o forcado eborense Gonçalo Ribeiro a fechar-se bem à primeira, e as outras duas intervenções dos Amadores de Évora foram de bom nível com uma excelente cara de Bernardo Patinhas à 1ª tal como Ricardo Casas Novas, enquanto que os Amadores de Monforte tiveram na cara dos toiros o cabo Paulo Freire que se despediu com uma fácil cara á 1ª e depois Márcio Paulo a consumar à 3ª depois de ter estado mal nas reuniões nas outras duas tentativas.

 

Lidaram-se toiros de Vinhas, que serviram no geral, e novilhos de Falé Filipe, complicado o primeiro e excelente o segundo, enquanto que o novilho de Passanha saíu a cumprir.

 

Boa direcção de corrida de Ricardo Pereira assessorado pelo veterinário Salter Cid.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me