Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

VILA FRANCA - 2 DE OUTUBRO - DOIS BRAVOS “TEIXEIRAS” E DUAS GRANDES PEGAS DE CARAS

03.10.10 | barreiradesombra

Os toiros de Veiga Teixeira saíram díspares de presença e de tipo, variados no comportamento, mas dois deles foram bravos (2º e 3ª) e a pedir contas aos cavaleiros e forcados, sendo que o saído em terceiro lugar se lesionou durante a lide e caíu algumas vezes, deixando contudo todos na dúvida quanto à lesão com as fortes investidas que teve antes e depois dos ferros. Nota positiva para o curro vindo dos campos de Coruche.

 

Nesta corrida apresentavam-se 3 cavaleiros em diferentes momentos de carreira e mais placeados uns que os outros. No conjunto, globalmente falando, não se impuseram aos toiros e nem sempre lhes sacaram o partido quem podiam, e deviam, ter tirado. Houve alguns bons ferros mas...

 

Ana Batista teve uma primeira lide de menos a mais, com alguns desacertos na cravagem apesar de estar bem a lidar, e foi nos curtos que conseguiu os seus melhores momentos. No que foi quarto da ordem voltou a cumprir a papeleta pelos mínimos.

 

Pedro Salvador arriscou na série de curtos ao seu primeiro depois de três compridos à tira bem apontados. Na fase final da lide, o quarto curto foi excelente pela forma como abordou a sorte, atacando o toiro, provocando-lhe a investida e cambiando no momento certo. Foi o  melhor ferro da noite. No quinto da ordem cumpriu sem destaque de maior.

 

Manuel Teles Bastos teve uma primeira actuação abaixo das suas potencialidades e prejudicado pelo facto de o toiro cair algumas vezes. Saía forte e com pata para o ferro ou no remate mas perdia as mãos com frequência. O toureiro poderia ter optado por lidá-lo mais em curto e talvez o resultado fosse outro. No que encerrou praça, teve nos dois últimos curtos o melhor da sua actuação.

 

No capítulo da forcadagem, a competição foi forte entre os amadores do Ribatejo, Aposento do Barrete Verde de Alcochete e Alenquer, com algumas boas pegas de caras. Pelos do Ribatejo, abriu praça o cabo João Machacaz que concretizou bem à 1ª e Mário Gonçalves na pega da noite à 2ª, com alguns derrotes mais fortes. O Barrete Verde de Alcochete teve a defender as suas cores os forcados Diogo Timóteo que só à 4ª conseguiu fechar-se e o cabo João Salvação numa boa cara ao primeiro intento. Finalmente, pelos de Alenquer António Pedro consumou à 1ª com o toiro a cair após a reunião e Ricardo Filipe noutra bela pega de caras ao primeiro intento.

 

Direcção acertada de Ricardo Pereira coadjuvado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva, os quais poderiam e deveriam ter mandado substituir o terceiro da noite.