Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Praça de Toiros do Campo Pequeno – 05.09.13 – Corrida à Portuguesa

Director: Pedro Reinhardt – Veterinário: José M. Lourenço – Lotação: quase cheia

Cavaleiros: António Telles, Pablo Hermoso de Mendoza, Miguel Moura

Forcados: Amadores de Lisboa e Évora

Ganadaria: Passanha

 

SEM OVOS... NÃO SE FAZEM OMELETES. TOUREIROS ESFORÇADOS MAS FOI TIRAR ÁGUA DE POÇO SECO

 

A continuar a aposta nesta linha de toiros a Festa Brava vai rapidamente cair no buraco pois não há quem aguente espectáculo tão enfadonho, toiros mansos e sem vontade de investir, pagando bilhetes caríssimos para ver as figuras e com vontade de sair do seu lugar ainda antes da sexta lide. Foi mau o comportamento dos seis irrepreensivelmente apresentados toiros de Passanha e os toureiros bem se esforçaram por tentar tirar alguma água de um poço completamente seco de casta e de bravura.

 

António Telles cumpriu no seu primeiro com um terceiro comprido de muito boa nota bem preparado e um segundo ferro curto entrando bem de frente, face a um toiro que sempre procurou adiantar-se e adivinhar o caminho das montadas. No quarto da noite foi uma lide clássica, sem concessões à bancada, com sobriedade e valor na forma como se colocou para as sortes e deixou a ferragem, de boa nota, em sortes frontais.

 

Pablo Hermoso de Mendoza esteve francamente bem no seu primeiro, com boa brega e sortes bem desenhadas quer nos compridos quer nos curtos, com alguns momentos de boa nota e bons ferros entrando nos terrenos do toiro.  O quinto, um manso de solenidade, parado e na defensiva, não ligava às montadas ainda que estas rodassem na sua cara a palmos de distância. Pablo cravou-lhe os ferros, sem chama e sem sabor e houve assobios, prolongados no momento da recolha de morlaco.

 

Miguel Moura atacou ambos os toiros com sortes cambiadas, umas mais ajustadas que outros, saindo de vários pontos do redondel e cravando assim a ferragem curta. Duas actuações também prejudicadas pela pouca ou quas e nula colaboração dos toiros.

 

Dois Grupos de Forcados Amadores apresentaram-se para pegar estes Passanhas: Lisboa e Évora. O Grupo de Lisboa mandou para a cara do primeiro Gonçalo Gomes que recuou muito bem e consumou ao primeiro intento tal como Daniel Batalha e Manuel Guerreiro, este a demonstrar enorme decisão pela ncessidade de provocar cara a cara a investida ao mansíssimo quinto. Pelos Amadores de Évora e frente ao segundo da noite esteve com muita decisão Gonçalo Pires que se fechou à 2ª; seguido de Manuel Rovisco à terceira e João Pedro Oliveira numa boa cara ao primeiro intento.

 

Na direcção de corrida esteve Pedro Reinhardt assessorado pelo veterinário José Manuel Lourenço, com praça cheia.