Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

ALCOCHETE, 13 DE AGOSTO - DECEPCIONARAM OS PARTIDO DE RESINA, ATÉ NAS PEGAS...

15.08.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros de Alcochete – 13.08.13 – Corrida à Portuguesa

Director: Tiago Tavares – Veterinário: Carlos Santos – Lotação ¾ fortes

Cavaleiros: Joaquim Bastinhas, Luis Rouxinol, Filipe Gonçalves

Forcados: Amadores de Évora e ABV Alcochete

Ganadaria: Partido de Resina

 

DECEPCIONARAM OS PARTIDO DE RESINA, ATÉ NAS PEGAS...

 

O aliciante de ver toiros da antiga ganadaria de Pablo Romero, agora Partido de Resina, com três cavaleiros que competem sempre pelo triunfo em cada corrida, acompanhados de dois Grupos de Forcados que honram as jaquetas e a figura do forcado, levou a que muita gente estivesse presente na praça de Alcochete, com uma magnífica lotação, mas, no final sentia-se alguma decepção pelo comportamento dos toiros.

 

Os toiros de Partido de Resina, com 4 anos e pesos entre os 500 e os 580 kilos, saíram muito avisados, a orientarem-se com incrível sentido, cortando caminho, furtando-se por muitas vezes a investir ainda que com as montadas bem por perto, apertando noutras, demonstrando mansidão no geral. Por vezes lá se decidiram a investir para meia dúzia de ferros, mas também é verdade que muitas vezes barbearam tábuas, o que, convenhamos, não abina em nada quanto à respectiva bravura.

 

Joaquim Bastinhas, inteligentemente e com a experiência de muitos anos, soube lidar o primeiro e deixar-lhe a ferragem da ordem com mérito, rematando com o seu habitual par de bandarilhas. E no que foi quarto da ordem voltou a estar em profissional, sacando a lide possível, com dois bons ferros e um par de bandarilhas.

 

Luis Rouxinol também sentiu dificuldades no seu primeiro, complicado e de incertas investidas, ao qual soube aproveitar para deixar ferragem em sortes diversificadas mas sem conseguir o êxito. O quinto foi melhor, tinha bonito tipo e Rouxinol subiu de tom com um ferro em sorte de gaiola a receber o morlaco e um segundo curto de excelente execução em sorte frontal, rematando com um par de bandarilhas em terrenos de dentro.

 

Filipe Gonçalves suou as estopinhas com o manso perdido que foi terceiro da noite. Melhorou na fase final da série de curtos e quando entrou os melhores terrenos. No que encerrou praça encastou-se para lhe sacar partido, com dois curtos de boa nota e um aplaudido par de bandarilhas.

 

A forcadagem não sentiu problemas de maior pois nas pegas os toiros acabaram por se entregar sem dar muita luta no geral e também por mérito dos forcados da cara e dos ajudas. Por Évora abriu praça João Madeira à 1ª, seguindo-se João Pedro Oliveira e Manuel Rovisco ambos à primeira tentativa. Pelos do Aposento do Barrete Verde de Alcochete abriu praça o cabo João Salvação à 1ª, seguido de Diogo Amaro numa rija cara à 2ª e Marcelo Lóia à primeira.

 

Na direcção de corrida esteve Tiago Tavares assessorado pelo veterinário Carlos Santos.