Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

29 DE JULHO 2012 - TROFA - por José Andrade

30.07.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

É sempre de louvar as iniciativas que são tomadas no sentido de levar a ‘festa dos toiros’ a lugares tão diversos e distintos como ultimamente tem sido noticiado. Alguns desses lugares, Cidades, Vilas, e até Freguesias, onde até os mais conhecedores do meio, ficam espantados com a afición que por lá existe, e com o arrojo dos que a tal empreendimento se aventuram. Foi o que testemunhamos na corrida que ontem, dia 29 de Julho, do ano da graça de 2012, ocorreu na Trofa.

                                       

A iniciativa da Junta de Freguesia e da empresa de Paulo Pessoa de Carvalho, se não teve o êxito de registar uma mais considerável adesão de espectadores, pode inscrever no seu historial, um êxito artístico e promocional. Um êxito promocional, a que nem faltou a voluntária colaboração de uma dezena de almas dos ditos ‘amigos dos animais’. Foi uma colaboração, silenciosa, mas que deu vida ao ambiente que em redor da praça sempre traduz animação e interesse.

 

E o que do que de interessante decorreu no espectáculo, destacamos a ‘limpa’ actuação dos cavaleiros que compunham o cartel: - Luís Rouxinol, Ana Batista, e Duarte Pinto, que cumpriram a seu modo a função, sem grandes alardes, mas interessante de se ver. Sorte repartida, que muito se deve à boa prestação dos seis exemplares da ganadaria Francisco Luís Caldeira, compostos de esqueleto e carne, com bravura, que se apurada, pode aspirar a outros voos em praças de referência.

 

É da bravura dos toiros, que o luzimento das lides ganhou destaque, na lide dos cavaleiros, e especial empenho e realce, na intervenção dos dois grupos de forcados. Forcados que também repartiram sorte, ou azar, concretizando as pegas à primeira, ou à quinta tentativa. Assim, pelo Grupo de Montemor, pegaram:- o 1º. à primeira, por António Calça e Pina, o 3º. por Miguel Bibe, à segunda, depois de muito castigado no chão no primeiro intento, e Patrício Cecílio à quarta tentativa, no sexto e último.

 

Pelo Grupo dos Amadores das Caldas da Raínha, a função foi cumprida com as intervenções de, Vasco Félix da Costa, à primeira, no 2º. da tarde, António Galeano, no 4º., à segunda tentativa, aguentando um espectacular derrote para baixo, contrário ao derrote no alto, sofrido na primeira. O 5º. alterado na ordem das pegas, porque o grupo iria pegar mais tarde na corrida televisionada transmitida das Caldas da Raínha, foi concretizado à quinta tentativa por Óscar Carvalho, que dobrou Hugo Soares, muito maltratado.

 

Dirigiu a corrida o senhor Nuno Nery, assessorado pelo senhor dr. José Luís Cruz.