Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

PÓVOA DE VARZIM -8 DE JULHO – ÊXITO ARTÍSTICO

09.07.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

 

Na primeira da temporada, Pedro Salvador e Pedro Viegas foram ‘terríficos’ perante os anunciados terríficos Castros

 

Com muito sol e muito pouco público, a 3ª. Corrida dos Caçadores do Norte, organizada pelo Clube de Caçadores da Estela, a freguesia mais ao norte do concelho poveiro, foi um êxito artístico.

 

Pedro Salvador, que lidou o primeiro da tarde em permanente crescendo de conhecimento e entrega, veio à Praça de touros da Póvoa, mostrar que a sua meritória actuação no Corrida da Leicar em 2011, foi um sério sinal de que não constava nos carteis, só para encher programa. A lide em redondo que imprimiu ao 4º. de Ernesto de Castro, um dos melhores exemplares da tarde, empolgou as bancadas do primeiro ao último dos sete ferros com que foi brindado. Excelente actuação de valor e entrega de um jovem cavaleiro que merece mais oportunidades, uma actuação rematada com uma pega de Pedro Viegas, dos Amadores de Alcochete, que levantou as bancadas, pela ‘alma’ com que foi executada. Esta foi das sempre esperadas lides de, três em um.

 

João Moura Caetano, com uma actuação muito valente e segura no 2º. da tarde, a denotar a dita fase boa que as actuações em praças espanholas têm registado, com ferros de poder a poder, aguentando as investidas de um exemplar incansável e com raça, claudicou na lide do 5º., um hastado que não entendeu, mais exigente e reservado, lidável e que quando provocado, ia á luta, só que não teve opositor à altura.

 

Duarte Pinto teve neste seu regresso à Póvoa, duas meritórias actuações. Melhor e mais segura a que imprimiu ao 3º. da tarde, baixando o nível na lide de 6º. e último, o mais pesado do lote, um toiro que requeria uma lide com menos um ou dois ferros, e mais toureio e temple. Agradou, mas o abuso de ‘mais um ferro’, acaba por tornar o bom em aceitável.

 

Pegaram os grupos de forcados:

Amadores do Montijo- o 1º. Por Ricardo Almeida, desfeiteado logo no primeiro intento, com um derrote que causou comoção e preocupação. Felizmente, depois de uma passagem pela enfermaria, regressou para satisfação de todos. Ricardo Almeida foi dobrado por Carlos Morais, que só à segunda logrou concretizar a pega. O 3º. foi pegado à primeira por Ricardo Silva, uma estreia de raça, e o 5º. também á primeira, por Fávio Siqueniq, com muito valor.

 

Amadores de Alcochete – o 2º. por João Gonçalves, à primeira. O 4º. a melhor e mais empolgante da tarde, por Pedro Viegas. o 6º. e último, também à primeira, pega rija e valente de Tomás Vale.

 

Dirigiu com acerto e com ritmo, o espectáculo durou 2 horas e meia, Nuno Nery, assessorado pelo veterinário, dr. José Luís Cruz.

 

Crónica e fotos de José Andrade