Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Com a esperança de conseguir cobertura financeira para o projeto de um monumento ao forcado, dei a conhecer uma iniciativa que, para esse efeito, tinha imaginado. Foi aproveitada. Teve êxito. Só que a receita não foi a favor do monumento. Tive agora outra ideia.

 

Sei que se a acharem rentável, os “caça ideias” não hesitarão em usá-la. Todavia, no interesse da Tauromaquia, vou expô-la. Desta vez já não penso em beneficiar o projeto  do  monumento  com  ela. 

 

O caso é  este.  As  touradas são consideradas sanguinárias pelos que se lhes opõem. É o argumento forte que usam para exigir a sua extinção. Admirando o toiro de lide, a raça brava como admiro, lembrei-me de um  espectáculo  capaz  de a preservar, satisfazendo simultaneamente gregos e troianos. Quer dizer, os que são a favor e os que são contra as touradas. Chamar-se-á,

 

                          TOURADAS  SEM  SANGUE  (TSS).  

 

Os sensíveis e teimosos anti taurinos já não poderão invocar o sangue do toiro como arma de arremesso. Os taurinos, terão uma forma de estimular a bravura do toiro sem ter necessidade de o fazer sangrar.

 

Os Forcados serão utilizados como eu tinha sugerido e tem sido cumprido nas várias Festas do Forcado a que se tem assistido.  Nas “TSS” juntar-se-ão a eles: “recortadores”, toureio de capote, eventualmente toureio cómico.

 

Espectáculo movimentado, diversificado, divertido, SEM SANGUE, onde quem realmente pode sofrer, são os homens e não os toiros, suscetível de atrair público. Inclusivamente os turistas que nos visitam. (O título é sugestivo…)

 

Tira-se assim o argumento do sangue aos anti taurinos. Satisfazem-se as suas delicadas sensibilidades e preserva-se a bravura do toiro estimulando-a.

 

 Está feita a sugestão. Claro que não me satisfaz nem a quem seja aficionado. Mas é a forma que arranjei de mandar os anti taurinos onde calculam que, em pensamento, os mando.

 

Quanto aos  “olheiros taurinos”, sempre atentos às iniciativas alheias, aproveitando-as  quando lhes parece que dão lucro, estejam à vontade. Compreendo-os.  Atravessamos um período difícil. Não há espaço, para romantismos ou moralidade retrógrada. É tempo dos espertos.

 

Carlos Patrício Álvares (Chaubet)

 

Visite http://citedelargo.wordpress.com - Blogue tauromáquico, desde já ao dispor, com maior incidência no tocante aos FORCADOS