Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

 

Lidaram-se menos toiros portugueses em arenas nacionais no que respeita aos últimos cinco anos e também diminuiram as exportações de toiros acentuado-se essa tendência iniciada entre 2008 e 2009, sinais da diminuição do número de espectáculos em Portugal e também em Espanha e França, com aquela a registar também um superavit elevado de toiros em face dos espectáculos. São estas as primeiras impressões após a leitura dos dados estatísticos da Associação Portuguesa de Criadores de Toiros de Lide (APCTL) que o Dr. João Santos Andrade nos facultou e que resultam do trabalho desinteressado dos médicos veterinários que estão em cada espectáculo como delegados técnicos da IGAC.

 

Se atentarmos nos dados referentes ao número de toiros lidados por época tauromáquica, 1611 em 2011 em Portugal, os números oscilam entre os 1547 de 2006 (ano em que se registaram 291 espectáculos) e os 2085 toiros no ano 2000 (num total de 384 espectáculos). E se atentarmos nas variações das exportações de toiros lusitanos para França e Espanha então teremos uma situação muito mais complicada para os nossos ganadeiros pois do «boom» dos anos de 1997 e 1998 (784 e 627 reses exportadas, respectivamente) e os problemas com a língua azul  em 1999 e 2000 em que quas enão se lidaram reses portuguesas no estrangeiro, tudo se encaminhava para a recuperação do mercado como o demonstram os número de 207 e 2008 (405 e 340 reses exportadas). Mas a crise económica e financeira e a falta de apoios camarários em muitas praças de 2ª e de 3ª, fizeram diminuir drasticamente esses números que, em 2011, foram de apneas 112 reses lidadas em Espanha e em França.

 

 

Figura 1 – Toiros Lidados (Fonte: APCTL)

 

A balança entre Espanha e Portugal pende nestes dois últimos anos nitidamente a favor dos espanhóis que têm em Portugal um mercado de menor exigência e para ondem vendem «ao preço da carne», ou seja, ao desbarato, as reses que em Espanha nunca conseguiriam lidar. O mercado livre e a concorrência assim o permitem. Mas também é verdade que se analisarmos os dados de 2005 a 2011, somos claramente superavitários no negócio com 1260 toiros.

 

Figura 2 – Variação das exportações (Fonte: APCTL)

 

Em termos gerais, e de acordo com os dados estatísticos compilados pela APCTL, lidaram-se 80 reses portuguesas em Espanha, distribuídas por 14 corridas picadas, 2 novilhadas e 2 espectáculos de recortadores e 32 em França, em 4 corridas e 3 novilhadas, enquanto que em Portugal se lidaram 170 reses espanholas. Ainda quanto a ganadarias em actividade em Portugal, nestes 284 espectáculos, 81 ganadarias eram associadas na APCTL, 18 não associadas e 28 ganadarias espanholas. No estrangeiro os toiros portugueses foram de 12 ganadarias associadas.

 

E das ganadarias portuguesas, aquela que mais lidou foi a de Palha com um total de 74 reses, seguida de perto pela de Passanha com 67, as de Murteira Grave e Varela Crujo Herdeiros ambas com 46 reses lidadas. Depois, Sesmarias Velhas do Guadiana (44), Couto Fornilhos (41), Pinto Barreiros e São Marcos (39), Herds. De Alberto Cunhal Patricio (38), Ortigão Costa e Carlos Falé Filipe (36), Santa Marias (35), Luis Rocha , Manuel Assunção Coimbra e Herdeiros de Conde Cabral (34), a açoriana de Rego Botelho (31), Guiomar Cortes Moura (26) e com 25 as de José Samuel Pereira Lupi, Rio Frio, Francisco Romão Tenório e José Luis Vasconcellos S. Andrade.

 

Outro dado interessante se pode extrair destas estatísticas da APCTL, nomeadamente no que se refere às assistências de público considerado o total dos espectáculos ou apenas as corridas de toiros, sendo que nestas crescem substancialmente as médias (em cerca de 380 espectadores mais). Também se nota uma estabilização da média de espectadores em torno aos dois mil duzentos e vinte, apesar da diminuição de 26 espectáculos em relação ao ano anterior.

 

 

Figura 3 – Total de espectáculos em Portugal (Fonte; APCTL)

 

Figura 4 – Corridas de Toiros em Portugal (Fonte: APCTL)

 

Se olharmos para um mapa de Portugal, teremos de assinalar mais de 120 localidades (mais propriamente 124) como aquelas em que se realizaram espectáculos tauromáquicos em 2011. Do Nordeste Transmontano ao Algarve, do litoral ao interior e às Ilhas dos Açores, os 284 espectáculos de 2011 mostraram toda a transversalidade e universalidade da Festa Brava, mais de 630 mil espectadores assistentes em praça!