Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

PONTO FINAL NA TEMPORADA COM BONS MOMENTOS NO REDONDO

02.11.11 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros “Coliseu do Redondo” – 01.11.11

Director: Agsotinho Borges – Veterinário: Matias Guilherme – Lotação: ¼

Cavaleiros: Rui Salvador, Luis Ruxinol, Marcelo Mendes

Forcados Amadores do Redondo

Espadas: Vítor Mendes, António João Ferreira, Tiago Santos

Ganadaria: Falé Filipe

 

PONTO FINAL NA TEMPORADA COM BONS MOMENTOS NO REDONDO

 

Terminou a temporada de 2011 com uma corrida mista no magnífico e acolhedor “Coliseu do Redondo” com um cartel interessante de veterania e juventude, de toureio a cavalo e a pé e que foi, em muitos momentos, um bom espectáculo onde a entrega dos toureiros e as características de toiros e novilhos trouxeram emoção às bancadas. Momentos altos com as lides de Rouxinol e Marcelo Mendes no toureio a cavalo e de Vítor Mendes e António João Ferreira no toureio a pé, alternaram com alguma inexperiência dos forcados locais. Mas valeu bem a deslocação até ao Redondo.

 

Rui Salvador enfrentou um toiro manso e de violentas arrancadas e sofreu algusn toques também pela falta de colaboração da montada. Com a garra que lhe é habitual e apesar de bailar com a mais feia do curro, deixou uma série de curtos com quarteios bem marcados.

 

Luis Rouxinol esteve em bom plano quer a lidar quer a cravar. Procurou as viagens mais em curto na ferragem curta, cumprindo bem o seu papel e rematou com um par de bandarilhas e um de palmo a pedido do público em mais uma boa actuação.

 

Marcelo Mendes foi de menos a mais complicando as coisas nos compridos. Mas depois, e já montado no seu cavalo vedeta, o “Único”, soube aproveitar as boas e nobres investidas do novilho para uma brega de ladeios de muita proximidade que aqueceram as bancadas e terminou com um bom par de bandarilhas. Foi uma boa actuação a encerrar a sua primeira temporada como cavaleiro de alternativa.

 

Os Forcados Amadores do Redondo sentiram muitas dificuldades para pegarem os dois primeiros toiros e seria no terceiro que registariam a sua melhor actuação com uma grande pega de caras ao primeiro intento de Carlos Silva que citou bem e se fechou com determinação à córnea. O primeiro da tarde foi pegado a sesgo e apenas ao quinto intento por intermédio de Hugo Figueira (enorme na 1ª e na 2ª tentativa) e o segundo por Hélder Delgado que, ao sopé e a sesgo, à primeira dobrou Nuno Oliveira que não teve intervenção atempada e segura das ajudas nas duas tentativas que efectuou.

 

No toureio a pé, o veterano maestro Vítor Mendes esteve bem de capote a lancear à verónica e construiu uma interessante faena de muleta por ambos os pitons, a que não faltaram belos passes de trincheira, molinetes e afarolados rematando as séries de derechazos. Registe-se uma série de naturais de muita qualidade, com a rês a obedecer aos voos da muleta, largos e templados esses muletazos que foram fortemente aplaudidos pelo público.

 

António João Ferreira também recebeu o seu exemplar com verónicas, tendo iniciado a faena de muleta com passes cambiados e prosseguindo com séries de derechazos, alguns deles de muito boa nota. Foram bons esses momentos mas depois de ter tentado sem êxito os naturais a faena perdeu intensidade.

 

O novilheiro Tiago Santos mostrou evolução no manejo do percal e cravou 4 pares de bandarilhas, tendo sofrido inclusivé uma voltareta sem consequências. Com a muleta construiu uma faena de razoável nível, aproveitando bem as investidas do novilho, deixando boa nota nesta sua actuação.

 

Lidaram-se toiros e novilhos de Falé Filipe, des distintas condições e presença, manso e complicado o primeiro, de boa nota terceiro, quarto e quinto e os restantes a cumprirem.

 

O espectáculo foi dirigido com alguma condescendência por Agostinho Borges, assessorado pelo veterinário Matias Guilherme