Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

EDUARDO LEONARDO – 5 ANOS DE PROFUNDA SAUDADE

17.05.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Escrevi, a 16 de Maio de 2005 no site que haviamos criado, o toirosecavalos.com:

”Estou demasiado emocionado para que esta faena saia em condições. Mas, meu querido Eduardo, você merece, onde quer que esteja, que eu me arrime ainda mais para sacar adiante esta nossa lide. “O nosso amigo Eduardo morreu esta tarde”, disse-me o Paulo Pereira ao telefone. Partiu com um sorriso nos lábios, calmo e sereno, com aquela espantosa tranquilidade com que nos habituou a estar perante a vida e nesta nossa Festa Brava.

Partilhámos juntos muitas tardes e noites de toiros, muitos milhares de kilómetros por essa estrada fora. E o Eduardo a todos contagiava com a sua alegria de viver, com as suas histórias sempre na ponta da língua, aqui e além temperadas como só ele sabia, com sabor e algum sarcasmo, com alguma malícia própria dos que agarram a vida com toda a força e a souberam viver de forma intensa.

Aprendi muito com o Eduardo desde que iniciámos a nossa caminhada comum no ToiroseCavalos. Tive o privilégio de, com ele, corrigir muitos dos defeitos que alguém que não tem a formação do jornalismo pode ter. Aprendi a ver mais os toiros e a conhecer melhor terrenos e querenças. Mas aprendi, sobretudo, algo da sua lição de vida.

Não vale de nada sermos mais um. Temos de ser os melhores. Esta era a expressão que muitas vezes utilizava e que, cada vez mais, faz todo o sentido. Também na nossa missão de informar temos de ser sempre os melhores.

O Eduardo convidou-me para com ele, e uma equipa extraordinária, fazer parte e trabalhar na organização do III Congresso Nacional de Tauromaquia e aí apresentar uma comunicação. Distinguiu-me dessa forma ao permitir o contacto e conhecimento e um trabalho sério com gente do toiro, aficionados a sério. E enriqueceu, dessa forma, os meus conhecimentos e capacidades. Tal como quando me deu o privilégio da apresentação do cavaleiro Paulo Caetano e do seu livro «De costas voltadas para o mar» em pleno Equimagos em Salvaterra de Magos.

Convivi de perto com a sua doença, os seus temores e a sua enorme força de vontade para superar essa terrível cornada que o cancro lhe deu. Não é fácil, de forma alguma, ser colocado perante esta terrível realidade e a sua morte, aos 65 anos, quando ainda tanto tinha para dar á Festa, aos seus amigos, á sua esposa e, principalmente, ao seu filho Eduardo João.

Meu querido amigo, não há despedidas! Há sempre um até qualquer dia e a certeza da sua presença entre nós, em cada momento, em cada frase, em cada corrida! “

O nosso comum amigo e hoje responsável de Marketing e Relações Públicas do Campo Pequeno, Paulo Cordeiro Pereira, traçava uma breve biografia do Eduardo:

“Vítima de doença prolongada, faleceu ao início da tarde de hoje segunda feira, no Hospital Distrital de Santarém, o nosso companheiro de trabalho Eduardo Leonardo. Contava 65 anos.


Com a sua morte perde o jornalismo tauromáquico um dos seus mais destacados vultos e o espectáculo de toiros um dos seus mais acérrimos defensores.
Com notável espírito de iniciativa e sempre aberto à inovação, a ele se deve, na sua quase totalidade, o êxito que o site www.toirosecavalos.com desfruta hoje em dia no panorama tauromáquico português.


A Eduardo Leonardo se deve também a realização de dois Congressos Nacionais de Tauromaquia, em 2001 (Santarém) e em 2004 (Salvaterra de Magos), para além de várias iniciativas culturais ligadas à tauromaquia.


Natural de Santarém, subscreveu a página dedicada à Festa Brava, do Jornal do Ribatejo, foi apresentador de programas de tauromaquia e comentador de corridas de toiros na Radiotelevisão Portuguesa, tendo também deixado colaborações noutros órgãos de comunicação social, algumas delas assinadas com o pseudónimo de Bernardino Cesário.


Dessas colaborações destacam-se as que manteve no Diário do Ribatejo, Jornal do Oeste, Vida Ribatejana, Jornal de Notícias e TV-Top. Foi também colaborador de várias rádios locais ribatejanas.


De 1976 a 1979 integrou a Comissão da Praça de Toiros de Santarém, praça onde organizou, em 1990, a primeira corrida do jornal “O Ribatejo”, corrida que serviu também para a comemoração dos 75 anos de actividade do Grupo de

Forcados Amadores de Santarém.


No final dos anos cinquenta foi também toureiro amador.” (Paulo Cordeiro Pereira)