Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Praça de Toiros “Ortigão Costa” – Azambuja – 15.10.11

Director: Lourenço Luzio – Veterinário: João Nobre – Lotação: ¼ casa

Cavaleiros: Francisco Cortes, Marco José, Gilberto Filipe, Tiago Martins, Joaquim Guerra, Paulo d’Azambuja

Forcados: Azambuja, Arronches, Arruda dos Vinhos

Ganadarias: José Luis Dias (3) e Felicidade Dias (3)

 

GANADEIRO JOSÉ DIAS TRIUNFA EM AZAMBUJA. REDUZIDA PRESENÇA DE PÚBLICO PREJUDICA RESULTADOS FINANCEIROS A FAVOR DAS IPSS

 

Com reduzida assistência, o que veio a prejudicar o resultado financeiro em benefício das IPSS do concelho de Azambuja, o festival realizado na tarde de sábado, 15 de Outubro, teve no ganadeiro José Luis Dias o grande triunfador, com seis novilhos a darem muito bom jogo, sempre dispostos a investir e permitiam muito mais do que aquilo que na maioria das situações os cavaleiros foram capazes de mostrar, ao contrário dos forcados, que fizeram 3 pegas de nível, uma para da grupo, e que fizeram soar as ovações. Volta merecida para o ganadeiro.

 

Em disputa estiveram dois troféus da “Poisada do Campino” e destinados à melhor lide e à melhor pega. O júri, constituido por Sandra Batalha, António Lúcio e Francisco Morgado, decidiu por unanimidade que fossem destinados ao cavaleiro Gilberto Filipe pela lide ao terceiro da ordem e ao forcado Fábio Mileu dos Amadores de Arronches pela excelente pega de caras ao sério quinto da tarde.

 

Efectivamente Gilberto Filipe foi o que esteve melhor dos seis cavaleiros em praça. Encontrou bem as distâncias, percebeu que tinha um novilho de qualidade e pisou terrenos de compromisso para deixar a ferragem, com nível, numa lide bem conseguida e rematada com um bom par de bandarilhas.

 

Francisco Cortes cumpriu no que abriu praça e que teve qualidade e nobreza nas investidas. O cavaleiro de Estremoz fez jus ao apelido ilustre que leva e deixou ferragem bem cravada em lide agradável.

 

Marco José não aproveitou as excelentes investidas do segundo da ordem e a sua lide foi monótona e só no final com dois violinos conseguiu aquecer o ambiente. Foi pouco e foi pena pois reses da qualidade deste não saem todos os dias...

 

Tiago Martins recebeu o seu exemplar à porta dos curtos e se bem que tenha arriscado e conseguido um ou outro ferro de melhor nota, sofreu demasiados toques que deslustraram a sua actuação. Teve o mérito e a humildade que se saúdam de ir buscar o ganadeiro para partilhar a volta à arena.

 

Joaquim Guerra mostrou-se algo indefinido no conceito de toureio frente ao mais sério exemplar da tarde. Tentou as sortes cambiadas e optou por vezes pelo corredor de tábuas para deixara a ferragem numa lide a cumprir.

 

Paulo D’Azambuja teve também uma lide com alguns pormenores interessantes e com um ferro de muito boa nota como foi o terceiro em que se decidiu a atacar o toiro, em viagem de largo, frontal na abordagem e cravando bem. Deixou bons pormenores.

No capítulo das pegas, estiveram em praça 3 Grupos de Forcados: Azambuja, Arronches e Arruda dos Vinhos, os quais realizaram algumas boas pegas de caras, como já referido. Os Amadores de Azambuja abrirma praça com uma fácil pega de caras à primeira por intermédio de Tiago Barreto e no quarto da ordem foi Hugo Abreu que consumolu com raça e querer à primeira. Os Amadores de Arronches mandaram à cara do 2º da tarde o forcado Ricardo Martins que se fechou bem à primeira e no quinto da ordem foi Fábio Mileu que consumou uma pega tecnicamente correcta viajando até ao grupo bem fechado e vencendo o troféu em disputa. Finalmente, pelos Amadores de Arruda foram caras Carlos Carvlho que apenas à terceira concretizou depois de ter suportado dois derrotes mais fortes na primeira e Fábio Correia numa pega espectacular à primeira, bem fechado na cara e com o grupo a ajudar bem.

 

Na direcção de corrida estiveram, bem, o delegado técnico tauromáquico azambujense Lourenço Lúzio e o veterinário Dr. João Maria Nobre. Os toiros foram recolhidos a cavalo por José Manuel Dias e José Luis Dias e Gabriel Lopes e Paulo Marques.