Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

COVID OBRIGA A NOVOS ADIAMENTOS

CARTAXO PASSA PARA SETEMBRO E LISBOA SÓ DEVE ABRIR TEMPORADA A 5 DE AGOSTO

15.07.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

WhatsApp Image 2021-07-15 at 17.11.16.jpeg

Segundo informação da empresa Ovação e Palmas, devido ao concelho de Cartaxo continuar em risco elevado a Lei não permite realizar Corridas de Toiros neste concelho, embora se possam fazer outros espetáculos.

 
Assim sendo a corrida de toiros programada para o próximo Domingo dia 18 de Julho, ficará adiada para o dia 03 de Setembro pelas 21 horas continuando os bilhetes válidos para essa data.
 

lx 2207 adiada.jpg

Quanto ao adiamento da abertura da temporada no Campo Pequeno a empresa comunica que " devido ao concelho de Lisboa continuar classificado como concelho de alto risco a corrida de toiros agendada para a próxima semana dia 22 de Julho será mais uma vez adiada! São permitidos outros espetáculos, mas não as Corridas de Touros! A data será anunciada em breve!

São validos os bilhetes já adquiridos!
 
Esperamos anunciar a nova data brevemente mantendo-se o mesmo cartel.
 
Alheios a este incómodo agradecemos a todos os que continuam a ser aficionados e todas estas vicissitudes apenas nos tornam mais unidos e com muito mais força para irmos avante!"

PRAÇA DE TOIROS DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO CUMPRE 100 ANOS EM SETEMBRO (2)

OS CARTÉIS DESDE 1951 A 1970

13.07.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

11 09 1950 (1).jpg

15.Ago.1951

 

6 vacas

Cavaleiro: Manuel Pinto Lobato

 

10.Set.1951

 

8 toiros de Pompeu Caldeira

Cavaleiros: Simão da Veiga Jr. E Manuel Pinto Lobato

Espada: Augusto Gomes Jr.

Forcados capitaneados por João Raiva

 

11.Set.1951

 

8 garraios de Joaquim Ferreira

Cavaleiros: Manuel Pinto Lobato, Rufino Apolinário

Espada: Joaquim Lopes da Neta

 

12.Set.1951

 

6 vacas de Francisco Santos

Cavaleiro: Rufino Apolinário

Espada: António Tomaz Ortega, de Vila Franca

 

15.Set.1952

 

8 toiros de Alberto Conde

Cavaleiros: Simão da Veiga Jr., Brilha de Matos

Espadas: Jayme Bravo, Juanito de la Cruz

Forcados de Lisboa, de Matias Leiteiro

 

09.Nov.1952

 

Festival taurino – Em disputa pelos 3 novilheiros, o troféu “Orelha de Prata”

6 novilhos de Francisco Santos (Alfaiate)

Cavaleiro: José Brilha de Matos

Espadas: Aníbal de Oliveira, Paco Cossío, Joaquim Lopes da Neta

Forcados Profissionais de Lisboa, cabo Matias Leiteiro

Preços: Sol 12$50 – Sombra-Sol 15$00 – Sombra 25$00

 

      

 

14.Set.1953

 

8 touros de Plácido & Irmão

Cavaleiros: Simão da Veiga Jr, Fernando Salgueiro

Bandarilheiros: Carlos Moreira, Júlio Procópio, Júlio Glória

 

15.Set.1953

 

8 garraios de Plácido e Irmão

Cavaleiro: Mário Frois

Forcados do Laranjeiro, cabo José Raiva

 

11.Out.1953

 

Grandioso Festival taurino

6 novilhos

Cavaleiros: D. José Ataíde, D. Luiz Ataíde e José Brilha de Matos

Forcados de Tomar (cabo: Manuel Faia)

Espadas: Manuel dos Santos, António dos Santos e Francisco Mendes

13.Set.1954

 

4 touros de Plácido & Irmão e 4 touros de Joaquim Ferreira

Cavaleiros: Simão da Veiga, Fernando Salgueiro

Forcados de Alcochete

Espadas: António dos Santos, Luis Gonzaga

 

14.Set.1954

 

8 garraios do Sr. Joaquim Ferreira

Cavaleiro: Mário Marques

Forcados da Borda d’Àgua

 

12.Set.1955

 

8 touros do Engº. D. Santos

Cavaleiros: Simão da Veiga, Artur Ribeiro da Costa

Forcados de Vila Franca, de Manuel Lira

Espadas: Joaquim Ezequiel (Gitano), Manuel Moisão

 

10.Set.1956

 

8 toiros de Irmãos Neto

Cavaleiros: Manuel Conde e José Brilha de Matos

Espadas: Joaquim Marques e Pedrito Calvo

Grupo de Forcados de Tomar (cabo: Manuel Faia)

 

 

5.Mar.1957

 

Espectáculo  de carnaval

 

09.Set.1957

 

8 touros de João Gregório

Cavaleiros: Manuel Conde, José Brilha de Matos

Forcados profissionais de Lisboa, de Adelino Carvalho

Espadas: António dos Santos, Armando Soares

 

15.Set.1958

 

8 toiros de Manuel Ferreira Porto

Cavaleiros: Simão da Veiga Jr., Alberto Luiz Lopes e o amador Manuel Porto

Espadas: Diamantino Vizeu e Javier Gomez

Forcados de Vila Franca (cabo: António Bordallo da Costa Porto)

 

19.Out.1958

Espectáculo de Variedades taurinas

7 rezes sendo 2 garraios e 5 vacas do ganadero João pedro da Borda de Água

Cavaleiro: Fino Apolinário (de Alhandra)

Espadas: Georgete Leal (de Setúbal) e Maria Liberdade (de Lisboa)

Um Grupo de Forcados de Vila Franca

Parte Cómica – Cantinflas o rei do riso

14.Set.1959

 

4 touros de Vaz Monteiro e 4 touros de Oliveira Santos

Cavaleiros: Pedro Louceiro, David Ribeiro Teles

Forcados de Tomar, de Manuel Faia

Espadas: Joaquim Barroca, César Marinho

 

12.Set.1960

 

8 touros de António Branco Teixeira e Fernando Salgueiro

Cavaleiros: Alberto Luis Lopes, Pedro Louceiro

Forcados Académicos de Santarém

Espadas: Armando Soares, José Simões

 

13.Set.1960

 

7 garraios Herdade de Camarate

Cavaleiros: Lolita Muñoz, Dr. António Figueiredo Capela

Espada: Manuel Lopes, Rogério Silva, Jesus Ferreira, Carlos Ribeiro

Forcados Académicos de Santarém (cabo Rui Manuel)

 

11.Set.1961

 

8 toiros Herdade de Camarate

Cavaleiros: José Brilha de Matos, Pedro Louceiro

Espadas: José Trincheira, Fernando Santos

Forcados Académicos de Santarém

 

10.Set.1962

 

6 toiros de Norberto Pedroso e 2 de José da Silva Lico

Cavaleiros: David Ribeiro Teles, Brilha de Matos e Dr. Varela Cid

Espada: Manuel dos Santos

Forcados Académicos de Santarém (cabo Rui Manuel)

 

09.Set.1963

 

4 toiros de Manuel Vinhas e 4 toiros de António Cabral Ascensão

Cavaleiros: David Ribeiro Teles e José Mestre Baptista

Forcados Profissionais de Lisboa, de Adelino Carvalho

Espadas: Manuel dos Santos e José Simões

 

10.Set.1963

 

6 garraios

Cavaleiro: Joaquim José Correia

Espadas: Ricardo Chibanga e Carlos Mabunga

Forcados da Borda d’Àgua

 

20.Set.1963

 

8 reses

Cavaleiro: António Correia

Espadas: Manuel dos Santos (Sobral), Victor Santana, António Manita, Henrique Pitada

Forcados “Destemidos” do Sobral, cabo Augusto Diogo

 

14.Set.1964

 

4 toiros de Manuel João Coimbra Barbosa e 4 toiros do Dr. Brito Pais

Cavaleiros: David Ribeiro Teles e José Mestre Baptista

Espadas: Armando Soares e Júlio Gomes

Forcados Profissionais de Lisboa de Adelino Carvalho

 

25.Out.1964

 

6 vacas e 1 touro

Cavaleiro: José Carvalho (Arruda dos Vinhos)

Espada: Carlos Vieira (Carlitos), José Augusto Braz, Sebastião Diniz (Bicho), António Manuel

Forcados: “Destemidos” do Sobral capitaneados por José Luiz

 

12.Set.1965

 

Cavaleiros: José Mestre Batista – Alfredo Conde

Espadas: José Júlio – Júlio Gomes

Forcados Académicos Colégio Nuno Álvares de Tomar

4 Toiros de Irmãos Neto e 4 toiros do Dr. António Henriques da Silva

 

13.Set.1965

 

4 garraios e 2 vacas do Engº. D. Santos (Alcochete)

Cavaleiro: Elisa Barroso

Forcados capitaneados por Júlio Marques (Bezugo)

 

14.Set.1965

 

4 garraios e 3 vacas de Plácidos e Barbeiros (Santo Varão)

Cavaleiros: Gustavo Zenkl e Victor Ribeiro

Forcados: Colégio Nun’Àlvares de Tomar, cabo Manuel Faia

Espada: Carlos Mabunga “Bigode”

 

12.Set.1966

 

8 toiros

Cavaleiros: David Ribeiro Teles, Pedro Louceiro

Espadas: José Júlio, Ricardo Chibanga

Forcados de Tomar

12.Set.1967

 

6 garraios

Cavaleiros: Gustavo Zenkl, Victor Ribeiro, Jorge Carvalho,

 D. Francisco Azarujinha

Forcados de Alcochete

 

Set.1968

 

Domingo: D. José de Ataíde – Luis Miguel da Veiga – Vítor Ribeiro

Forcados Amadores de Montemor

Toiros de ?

2ª Feira: David Ribeiro Teles – Frederico Cunha

Forcados Amadores de Vila Franca

José Simões – “Espartaco”

Toiros de João Coelho Capaz Herds.

3ª Feira: Jorge de Carvalho (Arruda dos Vinhos) – Ana Maria (Azambuja)

Forcados Amadores de Vila Franca

 

13.Jul.1969

 

7 reses de José Luis Dias

Cavaleiro: Bárbara Andrews

Espadas: Manuel M.P.Dias (Malveira), António Cherri (Lisboa), Dário venâncio (Vila Franca), Carlos Alberto (Vila Franca) e José Vultos (Mora)

Forcados Juvenis Académicos de Vila Franca

 

13.Set.1969

 

6 novilhos do Visconde da Corte

Cavaleiros: Jorge de Carvalho e Manuel Santana “Nélito”

Espada: Ana Maria (Azambuja)

Forcados Académicos de Vila Franca

 

14.Set.1969

 

7 toiros de Lopes Branco

Cavaleiros: David Ribeiro Teles, Alfredo Conde, Victor Ribeiro e Jorge Carvalho

Forcados de Montemor (cabo Joaquim José Capoulas)

15.Set.1969

 

8 toiros Porto Alto

Cavaleiros: David Ribeiro Teles e Edith Evans

Forcados Académicos de Vila Franca

Espadas: Armando Soares e Ricardo Chibanga

 

13.Set.1970

 

Cavaleiros: José Mestre Baptista, Luis Miguel da Veiga, Jorge Carvalho (amador)

Forcados do Ap. Barrete Verde de Alcochete

6 toiros do Engº. Rui Gonçalves

 

14.Set.1970

Cavaleiros: David Ribeiro Telles, Gustavo Zenkl

Forcados Académicos de Vila Franca

Espadas: Ricardo Chibanga, Manuel António

8 toiros de João Gregório

15.Set.1970

8 garraios de João Capaz e Irmão (Coruche)

Cavaleiros: Emidio Pinto, Manuel Santana “Nélito”, João Moura, Manuel da Cruz

Forcados Juvenis de Vila Franca de Xira

CORRIDAS ANUNCIADAS ATÉ AO FINAL DE JULHO

10.07.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Até ao dia de hoje estão anunciados 9 espectáculos que se realizarão, se as regras do confinamento não o impedirem, entre os dias 16 e 31 em Mourão, Estremoz, Cartaxo, Lisboa, Évora, Montijo, Caldas da Rainha e Salvaterra de Magos.

Fique com os cartéis e cartazes.

160721 moura.jpg170721 estremoz.jpg180721 - cartaxo nova data.jpg180721 - moura.jpg

220721 lisboa atual.png

240721 - Évora.png290721 montijo.jpg

300721 - Caldas da RAinha.PNG310721 salvaterra.jpeg

 

CALDAS DA RAINHA ABRE PORTAS A 30 DE JULHO

Corrida Caldas Sport Clube – Comemoração da subida de divisão e Reaparição da cavaleira Sónia Matias

10.07.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

300721 - Caldas da RAinha.PNG

A emblemática Praça de Toiros de Caldas da Rainha iniciará a sua temporada 2021 na noite da próxima sexta-feira 30 de Julho pelas 21h, com uma corrida de celebração da subida de divisão do Caldas Sport Clube e que, ao mesmo tempo, marca a reaparição nas arenas da cavaleira Sónia Matias, que partilha cartel com Ana Batista, Parreita Cigano, e os praticantes Joaquim Brito Paes, António Ribeiro Telles (filho) e Tristão Ribeiro Telles, frente a um imponente curro de toiros com ferro e divisa de Canas Vigoroux.

Actuarão dois Grupos de Forcados: Montemor e Caldas da Rainha.

Poderá fazer a compra antecipada do seu bilhete, evitando filas, através do telefone 916 845 816.

Recordamos que serão cumpridas todas as disposições da DGS relativas a uso de máscara, gel desinfetante e distanciamento social.

A Cultura é Segura, a Tauromaquia é Segura. Contamos consigo dia 30 em Caldas da Rainha.

 

FALECEU JOÃO CORTESÃO

09.07.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

998735_10201072772694122_1105120999_n.jpg

A Festa Brava perdeu mais um dos seus. Perdemos todos maisum amigo, uma figura de referência e que nos últimos anos se dedicava ao seu blogue e aí dar azo à sua prosa, por vezes corrosiva mas cheia de afición.

João Cortesão, de 74 anos, faleceu hoje em sua caas, em Coimbra, onde se encontrava com graves problemas de saúde. A sua última aparição pública, ja muito debilitado, foi no dia 30 de Maio em Azambuja onde João Moura Caetano lhe brindou a sua lide.

Não são conhecidos ainda quaisquer pormenores sobre as cerimónias fúnebres.

A toda a sua família apresentamos as nossas mais sentidas condolências. QDEP.

PRAÇA DE TOIROS DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO CUMPRE 100 ANOS EM SETEMBRO

OS CARTÉIS DAS CORRIDAS ATRAVÉS DOS TEMPOS - ATÉ 1950

09.07.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

maqueta da praça 1961-62.jpg

A relação de todos os cartéis e de todos os espectáculos realizados na Praça de Toiros de Sobral de Monte Agraço, desde 1921 data da sua inauguração, não se revelou tão viável quanto desejado pois apesar dos esforços efectuados, de alguns anos não conseguimos encontrar qualquer registo.

Para a história ficam aqueles cartazes que aqui vos deixamos.

 

 

 

 

 

Data

 

Cartel

 

11.Set.1921

12.Set.1921

 

Grandiosas Corridas de inauguração

Serão lidados 16-Touros-16, 8 em cada tarde, da afamada ganaderia do Exmo. Sr. Antonio Luiz Lopes

2 Cavaleiros – Rufino Pedro da Costa e Arthur Ferreira da Silva

Espada: “Alfarero”

Bandarilheiros: José Ribeiro Thomé, João Froes, Francisco Rocha,  Matheus Falcão, António da Cruz e António Carvalho

Um valente Grupo de Forcados de Vila Franca de Xira tendo por cabo o destemido Manuel Burrico

Preços: Sombra barreira 4$00; Sombra reservada 3$00; Sombra bancada geral 2$50; Sol 2$00

«Surpreza!!! Ao ser corrido o terceiro touro, na corrida de Segunda-feira, voará sobre a Praça um Aeroplano...»

 

15.Ago.1923

 

Feira Anual – 17h30

8 touros de Galrinho & Mendes, da Azinhaga

Cavaleiro: D. Alexandre de Mascarenhas

Bandarilheiros: Ribeiro Thomé, António Trujillo (Malagueño), Francisco Rocha, Jaime Dias, Filipe Félix e Fernando Cigarra

Um destemido grupo de Moços de Forcado

«A entrada dos touros far-se-há a pé, às 8 horas da manhã»

 

15.Set.1924

 

17,30 – 8 puros e bravíssimos touros

Cavaleiro: Rufino Pedro Costa

Bandarilheiros: Custódio Domingos, Agostinho Coelho, Rodrigo Raposo, Fernando Henriques, Filipe Félix, José Segarra e Manuel Custódio

Um valente grupo de forcados de Lisboa tendo por cabo o arrojadíssimo pegador Augusto da Mariana

 

15.Ago.1925

 

8 vacas do Sr. Galrinho (Golegã)

Cavaleiros: José Segundo Jr. E Francisco Lourenço Rodrigues

Forcados do Sobral de Augusto Direitinho

 

25.Set.1925

 

Às 17 e meia horas – Deslumbrante corrida de 8 bravíssimas vacas

Cavaleiros: Os distintos amadores sobralenses António Batista Júnior e Joaquim Calhorda Júnior

Bandarilheiros: Os afamados «diestros» Borges Flores, Eugénio Dias, Henrique Lemos, Henrique Ribeiro (Cadou), Hubert Dias, José Dias e Júlio Lopes

Forcados: um valentíssimo grupo sobralense

José Lobato (cabo), Arthur Timóteo (Rachadinho), Hermínio Batista, Domingos Dias, Chico Dias e Miguel Rocha

Campinos: João Costa (Jones), Reinaldo Fragoso (Marrêta), João Lopes (o Paes) e Alfredo Azevedo (Picanço)

 

4.Jul.1926

 

Em Beneficio dos Bombeiros Voluntários de Sobral de Monte Agraço

8 touros de Galrinho & Mendes

Cavaleiros: Rufino Pedro da Costa, Artur Pedro da Costa e o amador Francisco Lourenço Rodrigues de Pêro Negro

Bandarilheiros: Custódio Domingos, Plaz Flores, José Segarra, José Parracho, Joaquim d’Oliveira

Forcados de Lisboa, cabo Augusto da Mariana

 

5.Jul.1926

 

Bandarilheiros: Augusto Direitinho, José Faria, Manuel Neves, Joaquim Baltazar Alves Dias, Mário Ferreira d’Oliveira

Forcados: Manuel Rosalino, João Severino, Luis Severino, António Severino e José Domingos capitaneado pelo destemido cabo Francisco Jacinto da Silva Cordeiro “O Chico Banda Só”

 

16.Ago.1926

 

Feira Anual – 17h30

8 touros de Galrinho & Mendes

Cavaleiros: Rufino Pedro da Costa e Arthur Ribeiro da Costa

Bandarilheiros: Ribeiro Thomé, Francisco Rocha, Manoel Raimundo, Carlos dos Santos e Domingos Mesquita

Um valente e rijo grupo de moços de forcado tendo por cabo o destemido José Luiz.

13.Set.1926

 

8 touros de Roberto e Roberto (Salvaterra de Magos)

Cavaleiros: Rufino Pedro da Costa, Artur Ribeiro da Costa e Rufino da Costa Trigueiros

Bandarilheiros: Alfredo dos Santos, Francisco Rocha, Fernando Henriques, Carlos dos Santos, Manoel Raimundo

Um valente grupo de Moços de Forcado capitaneados por José Luiz

 

 

3 a 5.Jul.1927

 

 

12.Set.1927

 

8 touros de António Branco Teixeira (Coruche)

Cavaleiros: João Vilhena, Justino Vilhena

E o artista Manuel Virginio Matias

Forcados de Vila Franca de Manuel Burrico

 

01.Jul.1928

 

8 bravíssimas vacas de Galrinho & Mendes

Cavaleiros: Joaquim Alberto (Bombarral) e Francisco Pires (Aldeia Gavinha)

Moços de Forcado: Horácio Cunha (cabo), Joaquim Franco, Ernesto Louro, António Dias, Diamantino Marques, Armindo Diniz, Fortunato Garrido e Francisco Camelo que farão a Casa da Guarda

 

02.Jul.1928

 

8 bravíssimos touros de Galrinho & Mendes

Cavaleiro: João Branco Núncio

Bandarilheiros: Rafael Gonçalves, Francisco Gonçalves, Carlos Santos, Joaquim Durão, Francisco Rocha, Salvador Balfagon “Alfarero”

Grupo de Moços de Forcado capitaneados pelo arrojado Manuel Burrico

 

10.Set.1928

 

Às 17,30 – 8 bravíssimos toiros de Terré e Irmão (Golegã)

Cavaleiro: João Branco Núncio

Bandarilheiros: Agostinho Coelho, Rafael Gonçalves, Francisco Gonçalves, Francisco Rocha, Carlos Santos e Salvador Balfagon “Alfarero”

Forcados de Manuel Burrico

 

11.Set.1932

12.Set.1932

 

8 rezes cada tarde de Manuel Vieira Galrinho

Forcados do Sobral e Lisboa

Cavaleiros: João Gama e outro

Bandarilheiro: Carlos Moreira

1 touro em pontas «Cochicho» (Touro célebre para curiosos)

15.Ago.1933

 

17,30 – 8 bravíssimas vacas de Joaquim Lima Monteiro

Cavaleiro: um distinto amador de Vila Franca de Xira

Bandarilheiros: os distintos amadores de Lisboa e Sobral de Monte Agraço – Miguel Costa, Tomaz Pires, Augusto Moreira, Joaquim António Portugal, Justino da Silva, José Pitada e Braz da Cunha

Um valente grupo de moços de forcado de Sobral de Monte Agraço tendo por cabo o valente forcado Domingo Filipe da Costa

01.Jul.1934

 

17,30 – 8 bravíssimas vacas de Galrinho

Cavaleiro: José Silva

Espada: António João Santos Moraes

Forcados capitaneados por Francisco Camelo

09.Set.1934

 

Cavaleiros: Joaquim Félix (Folgados) e José Farinha Torres (Sapataria)

Forcados: Aldeagalega da Merceana (cabo Manuel Cordeiro) e da Feliteira (cabo António d’Oliveira)

 

10.Set.1934

 

Cavaleiro: José Casimiro Júnior

Forcados do Campo Pequeno, cabo Vitalino Torres

Bandarilheiro: Carlos Moreira que lidará um touro em pontas

 

11.Set.1934

 

Cavaleiros: Joaquim Félix (Folgados) e José Farinha Torres (Sapataria)

Forcados: Aldeagalega da Merceana (cabo Manuel Cordeiro) e da Feliteira (cabo António d’Oliveira)

 

07.Jul.1935

 

Em benefício dos Bombeiros Voluntários, para aquisição de uma auto-maca

8 bravíssimas vacas de Manuel Galrinho

Cavaleiros amadores: José Francisco Varela Torres e Hermínio Cabaço

Forcados do Sobral, cabo Manuel Patrício e composto por Frederico Marques, Adelino Marques, Constantino Lopes, Firmino Sá, António Morgado e Miguel Reis

Intervalo Cómico

15.Ago.1936

 

8 vacas de Irmãos Robertos

Cavaleiro: José Torres (Moita)

Forcados do Sobral, cabo Manuel Patrício

 

12.Set.1937

 

8 vacas de José Mendes Mota (S.Vicente de Paúl)

Cavaleiro: Manoel dos Santos “El Africano”

Forcados da Região

 

13.Set.1937

 

8 toiros de José de Lacerda Pinto Barreiros (Carregado)

Cavaleiro: Simão da Veiga Jr.

Forcados do Campo Pequeno, de Vitalino Torres

 

14.Set.1937

 

8 vacas de José Mendes Mota (S.Vicente de Paúl)

Cavaleiro: Manoel dos Santos “El Africano”

Forcados da Região

 

11.Set.1938

 

8 vacas de Joaquim Lima Monteiro

Cavaleiro: Manuel dos Santos “El Africanista”

Forcados da Feliteira

 

12.Set.1938

 

8 touros da Viúva Soler (Cláudio Moura)

Cavaleiro: Simão da Veiga Jr.

Bandarilheiro: Carlos Moreira

Forcados do Ribatejo

 

13.Set.1938

 

8 vacas de Joaquim Lima Monteiro

Cavaleiro: Manuel dos Santos “El Africanista”

Forcados da Feliteira

 

26.Set.1938

 

8 touros de Cláudio Moura

Cavaleiro: Simão da Veiga jr.

Bandarilheiros: Carlos Moreira, Júlio Procópio

 

17.Out.1938

 

4 touros Cláudio Moura e 4 touros Francisco dos Santos

Cavaleiro: José Casimiro Jr.

Bandarilheiros: Júlio Procópio, Carlos Moreira, Pedro Gorjão

Forcados do Sobral

 

10.Set.1941

 

8 toiros de Viúva Oliveira e Filhos

Cavaleiro: José Casimiro Júnior

Espada: António Martins “Revertito”

Forcados capitaneados por Pé de Cherim

 

14.Set.1942

15.Set.1942

 

8 reses de Francisco dos Santos

Cavaleiro: Manuel Conde

Forcados do Sobral e Vila Franca

 

15.Ago.1943

 

7 vacas e 1 touro de Francisco Santos

Cavaleiro: Manuel dos Santos “El Africanista”

Forcados de Vila Franca

1 corrida à corda à moda dos Açores

 

13.Set.1943

 

8 novilhos Casa Pancas

Cavaleiro: Maria da Graça

Forcados de Vila Franca (cabo: Augusto Linho)

 

14.Set.1943

 

8 vacas de Francisco Santos

Cavaleiro: Manuel dos Santos “El Africanista”

Forcados do Sobral

 

15.Ago.1944

 

Festival – 8 reses

Cavaleiro: Francisco Miguel

Forcados de Vila Franca e Lisboa

11.Set.1944

8 toiros

Cavaleiro: Alberto Luiz Lopes

Espada: Gregório Garcia

Forcados de Vila Franca, de Augusto Linho

 

10.Set.1945

 

4 toiros Terré e 4 toiros José Lagoa

Cavaleiros: Alberto Luiz Lopes e Manuel Conde (amador)

Espada: Manolo Ortiz (de Málaga)

Forcados de Riachos, cabo António Serra Torres

 

11.Set.1945

 

6 vacas e 2 garraios

Cavaleiro: Carlos Arruda

Espada: Júlio Procópio

Forcados do Sobral

 

09.Set.1946

 

8 toiros de Irmãos Varelas

Cavaleiro: Francisco Murteira Correia

Espada: Augusto Gomes Jr.

Forcados de Alcochete, cabo Artur Garrett

 

10.Set.1946

 

8 reses de Alberto Conde

Cavaleiro: Agostinho Ferreira dos Santos

Forcados do Sobral

 

15.Ago.1947

 

8 vacas

Cavaleiros: Elisa Barroso e Agostinho Ferreira dos Santos

Forcados do Sobral

 

15.Set.1947

 

8 toiros de Joaquim Oliveira Fernandes

Cavaleiros: Alberto Luiz Lopes e Rafael Luiz Lopes

Espada: Aníbal Oliveira

Forcados da Golegã, cabo João Barra Gameiro

 

19.Out.1947

 

8 garraios

Cavaleiro: José Matias da Silva

Espadas: Rogélio Diniz, Pais Sande e Castro (El Carapau)

Forcados do Sobral

 

26.Out.1947

 

6 garraios e 2 touros de José Lagoa Barbeiro

Cavaleiros: Carlos Santos Correia (Sobral), José Martins Silva (Cabeda)

Espadas: Pais Sande e Castro (Sobral) e José Costa Lopes (Sobral)

Forcados de Sobral, cabo João Ferreira

Parte cómica: António Augusto

 

2.Nov.1947

 

Festival com a cavaleira Elisa Barroso, em vésperas da sua partida para os Açores.

8 garraios de José Lagoa Barbeiro

Bandarilheiros e Forcados do Sobral

06.Mai.1948

 

8 garraios de Joaquim Ferreira

Cavaleiro: Manuel Bento Pargana

Espadas: José Graça dos Santos, Florêncio José Canas, Bernardino dos Santos

Forcados da Feliteira

Artista Cómico: António Augusto

 

15.Ago.1948

 

8 reses de Joaquim Oliveira Fernandes

Cavaleiros: Elisa Barroso e Maria Mil-Homens

Forcados do Sobral, cabo António Oliveira

 

13.Set.1948

 

8 touros de Joaquim Ferreira

Cavaleiros: Alberto Luiz Lopes, David Ribeiro Teles

Espada: António José d’Oliveira

Forcados de Riachos

 

14.Set.1948

 

8 garraios de Victorino Froes

Cavaleiro: Maria Mil-Homens

Forcados do Sobral (cabo: António Oliveira)

Parte cómica: António Augusto

15.Set.1948

 

8 touros de Joaquim Ferreira

Cavaleiros: Alberto Luiz Lopes e David Ribeiro Teles

Espada: António José d’Oliveira

Forcados de Riachos (cabo: Serra Torres)

 

17.Out.1948

 

6 reses de Manuel César

Cavaleiro: Elisa Barroso

Espadas: António Martins e Joaquim Gonçalves

Forcados da Região

15.Ago.1949

 

7 reses bravas

Cavaleiro: Rufino do Rio Apolinário (Alhandra)

Toureiras: Maria Augusta, Aurora Marques, Maria Luiza

Forcados da Região

 

12.Set.1949

 

8 toiros de Pompeu Caldeira, Lopes Aleixo, J. Oliveira Fernandes e Ferreira & Irmão

Cavaleiro: D. Francisco Mascarenhas (Fronteira)

Matador: Augusto Gomes

Forcados Amadores do Ribatejo (Serra Torres) e da Borda d’Àgua (Manuel Oliveira)

 

13.Set.1949

 

8 garraios de Ferreira & Irmão

Cavaleiros: Nazaré Felício, Maria Luísa, Maria Augusta

Espada: David Lopes Jr.

Forcados de Alhandra (cabo Alfredo Oliveira)

Reaparição do toureiro-acrobata António Augusto

 

11.Set.1950

 

8 toiros de Manuel César Rodrigues

Cavaleiros: José Casimiro, Artur Ribeiro da Costa

Espadas: Aníbal de Oliveira e Joaquim Marques

Forcados Alentejanos, cabo Rodrigues Consolado

 

12.Set.1950

 

8 garraios

Cavaleiro: Clemente Espadanal

Espadas: Joaquim Lopes da Neta e Maria Fernanda

Forcados de Sobral, cabo Francisco Formiga

 

05.Nov.1950

 

Festival de variedades Taurinas

8 reses

Cavaleiro: José Brilha de Matos e Manuel Rodrigues Lobato

Espada: Maria Fernanda e Guilhermino Rocha

Forcados de Sobral, cabo Francisco Formiga

ANDT E SAMS CELEBRAM PROTOCOLO

09.07.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

4L9A5621 (Copy).JPG

A Associação Nacional de Toureiros assinou um protocolo histórico com o Hospital do SAMS, extensível à sua rede de Unidades de Saúde implementada em todo o território nacional.

O SAMS é o maior subsistema privado de saúde do País, com uma história ímpar na prestação de serviços de saúde em Portugal.

A rede SAMS inclui o Hospital SAMS, o Centro Clínico de Lisboa, 17 clínicas pelo país, serviço de ótica, parafarmácia e um lar de idosos.

O SAMS garante aos seus beneficiários a proteção na saúde, em complementaridade ao SNS, através da sua rede de clínicas.

A relação institucional e de amizade entre a Associação Nacional de Toureiros, o Fundo de Assistência dos Toureiros Portugueses e o SAMS já ultrapassa os 25 anos.

Uma relação de dedicação e assistência aos Toureiros Portugueses, tendo como principal figura o Dr. Carlos Ferreira, médico dos toureiros, impulsionador da concretização deste protocolo.

Toureiros e respetivo agregado familiar irão agora usufruir de condições excecionais em todos os atos clínicos e serviços disponíveis na rede.

A assinatura do protocolo foi realizada pelo Presidente do Conselho de Administração do SAMS, António Fonseca e pelo Presidente da Associação Nacional de Toureiros, Nuno Pardal.

Na cerimónia estiveram presentes pelo SAMS o vice-presidente João Carvalho, a diretora clínica Dra. Anabela Barros, o diretor de ortopedia Dr. Carlos Ferreira, o diretor adjunto para a cirurgia Dr. Joaquim Quiroga, o coordenador da gestão de produção Dr. Ricardo Ferreira, entre outros profissionais da unidade hospitalar.

Pela Associação Nacional de Toureiros marcaram presença os membros da direção, Rui Salvador, Américo Manadas, Manuel Dias Gomes e Claudio Miguel e ainda, a convite do SAMS, Antonio Ribeiro Telles, Luis Rouxinol, Sónia Matias, Luis Rouxinol Jr, José Carlos Amorim, Hugo Ferro e Fernando Clemente.

No final da cerimónia de assinatura foram entregues simbolicamente os Cartões de Saúde personalizados aos presentes, seguido de um beberete e de uma visita à unidade hospitalar.

A Associação Nacional de Toureiros agradece ao SAMS o acolhimento e também toda a colaboração para com os seus associados e o Fundo de Assistência.

Um agradecimento especial ao Dr. Carlos Ferreira pela sua dedicação e disponibilidade na assistência aos Toureiros Portugueses, mas também por ser o responsável por este protocolo.

 

CONHEÇA AS NOVAS REGRAS DO DESCONFINAMENTO PARA OS PRÓXIMOS DIAS

08.07.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

O Governo deu a conhecer as novas regras que se aplicam já a partir de amanhã.

“A grande novidade apresentada neste briefing é que vai passar a ser exigida a apresentação do Certificado Digital ou de um teste negativo para aceder a estabelecimentos turísticos e de alojamento local em todo o território nacional e para aceder a restaurantes para serviço de refeições no interior nos concelhos de risco elevado e muito elevado nas seguintes condições:

  • Sexta-feiras a partir das 19h00
  • Durante todo o dia aos sábados, domingos e feriados

Com esta alteração, os restaurantes deixam de ter de fechar às 15:30 ao fim de semana e nos feriados nos concelhos de risco muito elevado.” In ttps://24.sapo.pt/atualidade/artigos

A proibição de entrar e sair da Área Metropolitana de Lisboa  de sexta à tarde até ás 5h da manhã de 2ª feira termina.

Existem 34 concelhos em nível de alerta (acima dos 120 casos por 100 mil habitantes), 27 concelhos em risco elevado e 33 concelhos em risco muito elevado ou seja mais 14 do que na semana passada.

As regras variam consoante o tipo de risco de cada um dos concelhos.

Os 33 concelhos de risco muito elevado são, por ordem alfabética, Albufeira, Almada, Amadora, Arruda dos Vinhos, Avis, Barreiro, Cascais, Constância, Faro, Lagos, Lisboa, Loulé, Loures, Lourinhã, Mafra, Mira, Moita, Montijo, Mourão, Nazaré, Odivelas, Oeiras, Olhão, Porto, Santo Tirso, São Brás de Alportel, Seixal, Sesimbra, Silves, Sintra, Sobral de Monte Agraço, Vagos e Vila Franca de Xira.

Nestes concelhos aplicam-se as seguintes regras:

  • Limitação da circulação na via pública a partir das 23h00.
  • Teletrabalho obrigatório quando as atividades o permitam;
  • Restaurantes, cafés e pastelarias podem funcionar até às 22h30 (no interior, com um máximo de 4 pessoas por grupo; em esplanada, 6 pessoas por grupo);
  • Espetáculos culturais até às 22h30;
  • Casamentos e batizados com 25 % da lotação;
  • Comércio a retalho alimentar até às 21h00 durante a semana e até às 19h00 ao fim de semana e feriados;
  • Comércio a retalho não alimentar e prestação de serviços até às 21h00 durante a semana e até às 15h30 ao fim de semana e feriados;
  • Permissão de prática de modalidades desportivas de médio risco, sem público;
  • Permissão de prática de atividade física ao ar livre até seis pessoas e ginásios sem aulas de grupo;
  • Eventos em exterior com diminuição de lotação, a definir pela DGS;
  • Lojas de Cidadão com atendimento presencial por marcação.

 

No caso dos 27 concelhos em situação de risco elevado, Albergaria-a-Velha, Alenquer, Aveiro, Azambuja, Bombarral, Braga, Cartaxo, Constância, Ílhavo, Lagoa, Matosinhos, Óbidos, Palmela, Portimão, Paredes de Coura, Rio Maior, Salvaterra de Magos, Santarém, Setúbal, Sines, Torres Vedras, Trancoso, Trofa, Viana do Alentejo, Vila Nova de Famalicão, Vila Nova de Gaia e Viseu, aplicam-se as seguintes regras:

  • Limitação da circulação na via pública a partir das 23h00.
  • Teletrabalho obrigatório quando as atividades o permitam;
  • Restaurantes, cafés e pastelarias podem funcionar até às 22h30 (no interior, com um máximo de 6 pessoas por grupo; em esplanada, 10 pessoas por grupo);
  • Espetáculos culturais até às 22h30;
  • Casamentos e batizados com 50 % da lotação;
  • Comércio a retalho alimentar, não alimentar e prestação de serviços até às 21h00;
  • Permissão de prática de todas as modalidades desportivas, sem público;
  • Permissão de prática de atividade física ao ar livre e em ginásios;
  • Eventos em exterior com diminuição de lotação, a definir pela Direção -Geral da Saúde (DGS);
  • Lojas de Cidadão com atendimento presencial por marcação.

 

Nos concelhos em Alerta (34) - Alcobaça, Arouca, Arraiolos, Barcelos, Batalha, Benavente, Caldas da Rainha, Cantanhede, Carregal do Sal, Castro Marim, Chaves, Coimbra, Elvas, Espinho, Figueira da Foz, Gondomar, Guimarães, Leiria, Lousada, Maia, Monchique, Montemor-o-Novo, Oliveira do Bairro, Paredes, Pedrógão Grande, Peniche, Porto de Mós, Póvoa do Varzim, Reguengos de Monsaraz, Santiago do Cacém, Tavira, Valongo, Vila do Bispo e Vila Real de Santo António - e nos restantes concelhos as regras em vigor são:

  • Teletrabalho recomendado nas atividades que o permitam;
  • Restaurantes, cafés e pastelarias (máximo de 6 pessoas no interior ou 10 pessoas em esplanadas) até à meia-noite para admissão e 1h00 para encerramento;
  • Comércio com horário do respetivo licenciamento;
  • Transportes públicos com lotação de dois terços ou com a totalidade da lotação nos transportes que funcionem exclusivamente com lugares sentados;
  • Espetáculos culturais até à meia-noite;
  • Salas de espetáculos com lotação a 50%;
  • Foras das salas de espetáculo, com lugares marcados e com regras a definir pela DGS.
  • Escalões de formação e modalidades amadoras com lugares marcados e regras de acesso definidas pela DGS;
  • Recintos desportivos com 33% da lotação;
  • Fora de recintos aplicam-se regras a definir pela DGS.

Fonte: www.sapo.pt

UMA TEMPORADA DE ADIAMENTOS OU UMA TEMPORADA ADIADA?

07.07.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

CHAMUSCA CORTESIAS.jpg

Como já escrevi mais do que uma vez, não serão fáceis os próximos tempos, vítimas da incompetência e incapacidade de uns quantos que nos governam, da sua arrogância e prepotência, e, por outro lado, vítimas da falta de civismo e de responsabilidade de muitos outros que não entendem que a sua liberdade de fazer disparates e de não respeitar regras básicas não os prejudica apenas a eles como a toda a comunidade.

Estamos nisto da pandemia há 16 meses. Contratam-se e despedem-se profissionais de saúde como quem vai á loja da esquina comprar meio quilo de cebolas. Quando mais falta fazem, despedem-se… A máquina burocrática do Ministério da Saúde e da DGS impede comunicação e decisão a tempo e horas, situação em que o Governo e os interesses instalados são cúmplices. Está mais do que visto que não adianta fechar um sector ou uma área só porque sim, pois não houve festejos populares de Santo António em Lisboa e os números dispararam desde então para níveis preocupantes…

Pois bem, vacine-se e em força, contratem enfermeiros para a tarefa, recrutem-se farmacêuticos capacitados para a função de vacinação, militares e Cruz Vermelha. Abram-se mais postos de vacinação e com horários alargados. A Covid, tal como a gripe e algumas outras doenças vão tornar-se endémicas, vão precisar de medicação específica como de vacinação, e não conseguiremos no curto prazo voltar a valores de zero casos. É uma dura realidade mas é uma realidade com que há que saber lidar.

Proíbem-se os espectáculos tauromáquicos e outros espectáculos culturais apenas porque sim. Porque não há evidências de qualquer surto ocorrido nas corridas de toiros do ano passado e deste… Porque até a IGAC destacou no seu relatório anual a qualidade e o cumprimento das regras por parte dos intervenientes e dos espectadores das corridas de toiros.

Então proíbe-se porquê? Tem a DGS ou o Ministério da Saúde dados que desmintam o facto de não ter havido um único surto ou casos positivos entre intervenientes e espectadores das corridas de toiros e de outros espectáculos culturais? Não têm, seguramente. E por isso dizemos que a Cultura é Segura e que proibir as corridas de toiros em alguns locais é um acto discricionário, desprovido de bases científicas e apenas por uma ditadura do gosto é possível que tal aconteça.

Por causa das constantes alterações das regras, da falta de rigor científico de algumas delas (tem de se provar que há surtos ou casos positivos numa actividade para a limitar), da dependência da vontade política de alguns decisores ligados à DGS ou ao Ministério da Saúde, a temporada 2021 tem sido marcada por constantes anulações e adiamentos de espectáculos com tudo o que de negativo isto traz para as actividades culturais e todas as outras que nelas têm parte importante do seu sustento.

De adiamento em adiamento, esta temporada corre o risco de ser uma temporada adiada. O grande público vai estar à espera até à última hora para decidir se vai a uma corrida com medo de que a mesma seja adiada ou cancelada á última hora. Projectos adiados, vida adiada como tem sucedido nos últimos 16 meses. E quando alguns pensavam quem a partir de Abril/Maio tudo isto voltaria ao normal, sempre disse e escrevi que era esperar para ver.

E continuo a afirmar que a solução não está em fechar por fechar, proibir por proibir como muito gosta o Governo de Costa e com a oposição (?) a nada dizer porque quando se votaram os estados de emergência quase todos disseram que sim. Teremos de ser mais conscientes e respeitadores das regras do uso de máscara, de distanciamento social, de higiene maior do que nunca, de procurarmos a vacinação (ainda que não seja totalmente eficaz como já se viu), abrindo as portas da cultura, e outras, a todos. Não se pode proibir uma peça de teatro, um concerto musical, uma corrida de toiros e manter abertos centros comerciais onde muitos milhares de pessoas se cruzam durante todo o dia e até fazem enormes filas à porta das lojas.

Aqui sim, deve aplicar-se claramente o slogan TODOS DIFERENTES TODOS IGUAIS!!!

Texto e foto: António Lúcio