Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

INÍCIO / CORTESIAS

LUÍS ROUXINOL

MARCOS BASTINHAS

DUARTE PINTO

FORCADOS DE SANTARÉM

1ª PEGA

2ª PEGA

3ª PEGA

FORCADOS AMADORES DE LISBOA

1ª PEGA

2ª PEGA

3ª PEGA

 

Praça de Toiros do Campo Pequeno – Lisboa – 30/07/2020 – Corrida de Toiros

Director: Tiago Tavares – Veterinário: Jorge Moreira da Silva

Cavaleiros: Luís Rouxinol, Marcos Bastinhas, Duarte Pinto

Forcados Amadores de Santarém e Amadores de Lisboa

Ganadaria: António Raúl Brito Paes (nº 107/566 kg; nº 139/590kg; nº 115/590 kg, nº 108/610 kg; nº 105/586kg indultado; nº 110/604kg)

IMG_3182.JPG

Ambiente com algum interesse durante a corrida e a aquecer em alguns momentos, nomeadamente nos inícios das lides de Marcos Bastinhas - e ainda em quatro ferros de muito boa execução no quinto da noite - e em dois ferros de Duarte Pinto no que encerrou praça. O quinto toiro, de nome Lezílio, regressou á ganadaria pelas qualidades evidenciadas e pelo seu excelente tipo. Luis Rouxinol teve pormenores mas o seu segundo não ajudou em nada ao seu labor.

Marcos Bastinhas esteve a um pequeno passo da glória maior, autor que foi dos momentos mais quentes e vibrantes da noite ao receber ambos os toiros e também nos dois primeiros terços da lide ao codicioso e encastado 5º da noite que não se cansou de investir de largo e carregar após os ferros permitindo dois compridos de grande categoria e outros dois curtos que levantaram as bancadas, deixando o toiro investir de largo e aguentando ao máximo para cravar em boas reuniões. Rematou com um par de bandarilhas no corredor. No seu primeiro teve bons pormenores e dois ferros de melhro valia. Empolgou o público e saiu em bom plano.

Duarte Pinto demorou a entender o seu primeiro e cumpriu a papeleta sem destaques de maior. O sexto da ordem exigia e Duarte mostrou boa brega e procurou dar vantagens, colocando-se de largo. Teve dois curtos de muito boa nota, encurtando distâncias e com o toiro a carregar forte quando sentiu a montada na sua jurisdição. Foram os momentos mais altos deste regresso de Duarte Pinto ao Campo Pequeno.

Luís Rouxinol saiu decidido a vencer a compita, como é seu apanágio, Boa prestação frente ao que abriu praça, distraido por vezes, ams ao qual deu a volta com boa brega e alguns ferros de boa nota. O seu segundo era complicado, tapou-se algumas vezes quando sentia o cavalo no seus terrenos. Deu-lhe luta e doixou dois ferros de melhor nota.

Noite dura para os forcados. Tal como aos toureiros, em alguns momentos notou-se a falta de corridas nesta anormal temporada interrompida em 7 de março. Pelos Amadores de Santarém foram caras Salvador Ribeiro de Almeida á 2 tal como João grave, e António Queirós e Melo consumlou à 3ª tentativa. Pelos Amadores deLisboa pegaram Duarte mira à 1ª, Vitor Epifânio à 2ª e João Varanda apenas à 5ª  no que encerrou praça.

Os toiros de António Raúl Brito Paes estavam muito bem apresentados, com trapio e tiveram condições de lide em diferentes graus com destaque maior para Lezilio, lidado em quinto lugar e que valeu a chamada do ganadeiro à arena e o regresso do toiro á ganadaria.

Boa direcção de corrida a cargo de Tiago Tavares assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva. O cornetim José Henriques cumpre o seu 49º aniversário na função.

Texto e foto: Atónio Lúcio

Luís Miguel Pombeiro está de parabéns pela seriedade com que montou esta primeira corrida da temporada 2020 do Campo Pequeno e pela ousadia que teve em assumir os destinos da praça de toiros da capital, ela própia um ex-libris do mundo taurino. Contudo, a nova normalidade de um ano anormal pelas contingências que todos vivemos, com uso de máscara, distanciamento social e todos os outros etecéteras, refletiu-se na afluência do público e nos intervenientes no espectáculo.

Primeira batalha ganha mas convém não baixar a guarda. O público dos toiros ainda tem medo por via de tudo quanto ouve nas televisões e continua alarmado, logo, não vai a ajuntamentos e o espectáculo ressentiu-se disso. Outros esperaram para ouvir contar o que se passou para decidirem se vão à próxima. E há que reforçar a ideia de que é seguro ir aos toiros.

Iniciou-se a corrida cerca das 21h45 com umas atípicas cortesias em que todos os artistas usarma máscaras de protecção com os cavaleiros a apenas poderem saudar o director de corrida e de seguida a recuarem até à porta de quadrilhas. Cantou-se o hino no início e guardou-se em minuto de silêncio em memória das vítimas do Covid-19, dos bombeiros falecidos em combate aos incêndios e do matador de toiros Mário Coelho. Nas bancadas todos usavam máscaras e havia algumas clareiras.

É a anormal normalidade dos nossos tempos!...

A empresa Toiros e Cultura de Paulo Pessoa de Carvalho será a responsável pela 138ª corrida do 15 de Agosto em Caldas da Rainha conforme nota informativa enviada á Comunicação Social.

"

Serve a presente informação, para comunicar que a corrida mais antiga de Portugal, este ano na sua 138ª edição consecutiva, irá realizar-se na Praça de Toiros das Caldas da Rainha no próximo dia 15 de Agosto.

 

Num esforço conjunto entre a proprietária da praça de toiros Alfredo Ovelha Lda., entre a empresa PPC Unipessoal, Lda. (Toiros & Cultura) e entre um grupo de aficionados das Caldas da Rainha, decidiu-se unir esforços num ano de crise, para que a data mais taurina, antiga e emblemática de Portugal, viesse a acontecer nas Caldas da Rainha.

 

Assim informamos que haverá toiros no dia 15 de Agosto nas Caldas da Rainha, sendo cabeça de cartaz o cavaleiro António Ribeiro Telles e havendo a apresentação em Portugal de um dos mais recentes matadores de toiros português, estando naturalmente em praça os Forcados Amadores das Caldas da Rainha. Não quisemos deixar de dar hoje mesmo esta notícia que a todos os envolvidos e à afición deixa contente e no inicio da próxima semana, será apresentado o cartel oficial da 138ª Corrida de toiros do 15 de Agosto nas Caldas da Rainha.

 

A empresa promotora,

Paulo Pessoa de Carvalho

Na passada quinta-feira 23, na apresentação da temporada 2020 do Campo Pequeno, entrevistámos o cabo do Grupo de Forcados Amadores de Lisboa, Pedro Maria Gomes e o representante da ganadaria Brito Paes, António Maria Brito Paes, sobre as perspectivas para a corrida do próximo dia 30.

Clique nos seguintes links e ouça

http://videos.sapo.pt/sYpFSoKz216P8lQJVPrB

http://videos.sapo.pt/CRJyHOCiJtn1Sl6gKzDf

 

Pág. 1/5