Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

IMG_5601.JPG

Praça de Toiros “Palha Blanco” – Vila Franca de Xira – 30/06/19 – Novilhada

Director: Fábio Costa – Veterinário: Jorge Moreira da Silva – Lotação: ½ casa

Cavaleiros: António Núncio, Ricardo Cravidão

Forcados Amadores de Vila Franca

Novilheiros: Alejandro Contreras, Valentin Hoyos, Marcos del Rincon, Duarte Silva

Ganadarias: Lopes da Costa (1º), Felicidade Dias (2º), São Torcato (3º, 5º e 6º), Palha (4º)

 

Falemos do que realmente foi bom e teve impacto ainda que um senhor delegado técnico tauromáquico recém-empossado não tivesse tido “pedalada” para tanto… A praça tinha a sombra completamente cheia o que, desde logo, é uma vitória. Depois, houve alguns momentos de bom toureio, duas pegas fáceis e um eral de São Torcato que foi de campeonato, excelente pelo lado esquerdo e muito bom pelo lado direito (mas que o senhor DTT não soube ver nem entender a manifestação do público que aplaudiu o eral na recolha)…

 

Este excelente eral foi lidado por Alejandro Contreras que o recebeu com uma larga cambiada de joelhos e alguns lances á verónica e uma chicuelina. Com a muleta, e apesar de algo acelerado ao início, cedo se centrou e entendeu a qualidade do eral, que só tinha “olhos” para a muleta, investindo com qualidade e humilhado pelo lado direito e depois com enorme classe e recorrido pelo lado esquerdo, numa faena que teve impacto. Foram os momentos de maior expressividade e qualidade da ventosa tarde.

 

Outro jovem toureiro que foi de menos a mais na sua actuação foi Marcos del Rincon que foi, aos poucos, metendo o eral de São Torcato na muleta, contrariando a sua tendência para sair solto. Muleta na cara, e o eral a investir pelo lado esquerdo sendo que pelo direito não queria nada. Não teve direito a música nem foi autorizada a volta a este jobem novilheiro que deu a volta ao eral!!!

 

Valentin Hoyos lidou, em 4º lugar, um sonso e sem transmissão eral de Palha. Recebeu-o por verónicas e iniciou a faena de muleta de joelhos. O eral foi-se apagando e o jovem toureiro foi-lhe sacando os passes sem solução de continuidade por falta de repetição das sonsas investidas. Esteve decidido mas sem um exemplar que lhe permitisse o triunfo.

 

Duarte Silva esteve francamente bem de capote à verónica depois de uma larga cambiada de joelhos e um tércio de bandarilhas onde o último par foi excelente. Com a muleta não houve continuidade porque o eral de São Torcato derrotava no estaquilhador da muleta e o vento descompunha muitas vezes o toureiro deixando-o à mercê do eral. Houve ainda um susto mas Duarte esteve em toureiro.

 

A novilhada abriu com a lide de António Núncio a um eral de Lopes da Costa que foi mansote. Recebeu-o com um ferro em sorte de gaiola e deixou dois curtos de boa nota.

 

Ricardo Cravidão teve por diante um eral de Felicidade Dias que saiu sobre o mansote. Altos e baixos na lide, onde já se exige maior segurança, com dois curtos de melhor nota.

 

Para as pegas saltaram à arenas os Forcados Amadores de Vila Franca que concretizaram as duas pegas de caras ao primeiro intento por intermédio de João Matos e Rodrigo Andrade.

 

Umas últimas palavras para a prestação do Delegado Técnico Tauromáquico Fábio Costa. Os tempos mortos já são demais quando acontecem os imponderáveis. Não se pode é criar desnecessariamente um tempo morto por desatenção como sucedeu com o trabalho dos areneiros. Depois o não ter premiado com volta o ganadeiro de São Torcato após a lide do excelente terceiro da ordem. É falta de conhecimento e de sensibilidade. Ainda, os jovens toureiros merecem mais atenção quando se está num espectáculo de promoção. Não entendeu o labor do quinto novilheiro e a forma como estava a dar a volta ao eral? O novilheiro esteve assim tão mal que não merecesse pelo menos volta? Mas antes deu música e permitiu a volta numa faena de muito menos interesse e valor artístico… Enfim, critérios!!! Como os toureiros, outras tardes melhores virão, assim o espero. Foi assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

Texto e foto: António Lúcio

A PróToiro – Federação Portuguesa de Tauromaquia e o partido Aliança estão em sintonia, quanto à necessidade da RTP transmitir touradas, garantindo assim a sua função de serviço público. A conclusão surge na sequência de uma reunião, realizada esta semana, entre a PróToiro e Pedro Santana Lopes, líder do partido. No encontro foram apresentados ao dirigente factos irrefutáveis do crescimento e da importância da tauromaquia na Cultura portuguesa.

 

No cumprimento dos seus objetivos de salvaguarda e promoção da cultura tauromáquica portuguesa, a PróToiro traçou um retrato fiel da tauromaquia nacional, desmistificando todas as ideias erradas que influenciaram as propostas e hipóteses constantes na carta enviada pelo presidente do partido aos seus militantes.

 

O balanço da reunião com o Aliança é, naturalmente, positivo, até em virtude do comunicado tornado público pela direção do partido e que está disponível no seguinte endereço: https://partidoalianca.pt/2019/06/26/audiencia-tauromaquia-2/.

 

Foram estabelecidas pontes que nos permitem encarar o futuro com otimismo, tendo a PróToiro obtido a garantia do Aliança do respeito e da defesa da tauromaquia como parte da realidade cultural portuguesa.

290619 - vila franca (4).jpg

No próximo domingo – 30 Junho às 17:30 horas - a centenária Palha Blanco em Vila Franca de Xira abre as suas portas para a celebração de uma novilhada popular.

 

Com o objetivo da presença massiva de público seja uma realidade no apoio aos jovens artistas, o espetáculo é de ENTRADA GRATUITA e estão anunciados os cavaleiros praticantes António Núncio e Ricardo Cravidão, os forcados amadores de Vila Franca, e os espadas Alejandro Contreras, Valentin Hoyos, Marcos del Rincón e Duarte Silva.

 

Lidam-se novilhos de Felicidade Dias, para as lide a cavalo, e de São Torcado, para as lides a pé.

 

Não falte e apoie o futuro da festa brava

É com orgulho e satisfação que nós, Movimento a Favor da Festa dos Toiros na Póvoa de Varzim, anunciamos que a tradicional corrida de touros do próximo dia 21 de julho, na Praça de Touros da Póvoa de Varzim, já tem cartel definido. E que cartel.

 

 

Marcada para as 22h00, na principal praça de touros de toda a região norte do País, a corrida vai contar com a participação dos cavaleiros Filipe Gonçalves, Marcos Bastinhas e Moura Caetano. Os forcados chegam do Montijo e de Alcochete. Os touros são da ganadaria Paulo Caetano. São artistas que garantem um nível exibicional de luxo, capaz de levantar os espectadores nas bancadas da praça durante esta tradicional corrida na Póvoa de Varzim. 

 

 

Esta corrida é organizada pela empresa Aplaudir, com o nosso apoio, do Clube Taurino Povoense e da PróToiro. Não havendo qualquer proibição legal que impeça a realização de corridas em Portugal, apelamos a toda a afición para comparecer em grande número na Póvoa de Varzim e, assim, poder assistir a um enorme espetáculo da cultura portuguesa e da cultura poveira. 

A ganadaria de São Torcato é indiscutivelmente uma das ganadarias de maior postín do panorama ganadero do nosso país.

 

Após o assinalável êxito que um toiro desta mesma ganadaria obteve na Feira Taurina de 2018, quis a empresa premiar a divisa de cruz de malta com a sua presença na tradicional corrida do colete encarnado.

 

A seriedade que os exemplares apresentam dizem bem do gosto que o ganadero teve em aceder ao desafio da empresa em estar nesta tão emblemática tarde – 7 Julho pelas 18:00 horas.

 

Em praça estarão para lidar os exemplares de São Torcato anunciam-se os cavaleiros António Telles e Francisco Palha, os forcados amadores de Vila Franca, e o matador António João Ferreira.

 

De seguida apresentamos os exemplares a lidar.

 

O Cabo do Grupo de Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, João Pedro Ávila, considera “um grande privilégio estar presente na corrida em que o Campo Pequeno presta homenagem à Região Autónoma dos Açores”, a 11 de Julho, no Campo Pequeno.

“Queremos representar com o maior sentido de responsabilidade e orgulho a nossa região”, acrescentou.

Sobre a disputa do prémio para a melhor pega, entre o seu grupo e os Amadores do Ramo Grande e os Amadores de Beja, João Pedro Ávila disse que “será uma oportunidade para os três Grupos se apresentarem em praça, para competirem com o máximo de respeito entre eles”, e fez votos para que “seja uma grande noite de pegas”.

Outra figura açoriana participa nesta corrida: o cavaleiro Tiago Pamplona, que confirmará a alternativa das mãos de Ana Batista, com o testemunho de Filipe Gonçalves, Manuel Ribeiro Telles Bastos, Miguel Moura e João Salgueiro da Costa, frente a toiros da ganadaria Jorge de Carvalho, que comemora as suas “Bodas de Ouro”.

A anteceder a corrida, que será abrilhantada pela Banda da Sociedade Filarmónica Rainha Santa Isabel, sob a direção do Maestro Durval Festa, exibir-se-á a Marcha dos Veteranos de Angra do Heroísmo (Ilha Terceira).

Por mais um ano consecutivo as Sanjoaninas voltaram a ter a habitual Tourada das Crianças e Idosos, onde centenas de crianças assistiram à lide de dois novilhos, um a cavalo e outro a pé. Após a lide das reses as crianças tiveram a oportunidade de ter acesso à arena para brincar aos toiros em pleno palco dos intervenientes da festa.

Agrupoados grupos de colégios acompanhadas por educadores de infância, ou a simplesmente com os seus encarregados de educação, as centenas de crianças estiveram atentas à forma correcta como o cavaleiro amador Filipe Peseiro lidou o novilho de Rego Botelho, e à faena que o novilheiro sevilhano Javier Illanguas fez a um exemplar de jogo escasso proveniente da mesma ganadaria.

O novilho lidado a cavalo foi pegado ao primeiro intento por Bernardo Belerique dos Forcados Juvenis da Tertúlia Tauromáquica Terceirense. Após a lide das reses o mesmo grupo de forcados, com um conjunto de taurinas, brincou aos toiros com centenas de crianças na arena, sendo essa parte aquela que melhor resume o grande trabalho de defesa e promoção do espectáculo feito pela Tertúlia Tauromáquica Terceirense com o intuito de garantir a continuidade das tradições taurinas da Ilha Terceira.

Informa: Pedro Correia/TTT

 

Pág. 1/7