Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

VILA FRANCA – 07/10/18 - A TARDE FOI DE FRANCISCO PALHA

12.10.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros “Palha Blanco” – Vila Franca de Xira – 07/10/2018 – Concurso de Ganadarias

Diretor: João Cantinho – Veterinário: Jorge Moreira da Silva – Lotação: ½ praça

Cavaleiros: Manuel Telles Bastos; Francisco Palha e Luís Rouxinol Jr

Forcados do Ribatejo, do Aposento do Barrete Verde e do Ramo Grande

Ganadarias: António Silva; São Torcato; Silva Herculano; Higino Soveral e Veiga Teixeira (2)

IMG_5569 (1).JPGVILA FRANCA – 07/10/18 - A TARDE FOI DE FRANCISCO PALHA

 

Às 17h00 e depois de uma incursão pela arena da banda do Ateneu Artístico Vilafranquense deu-se início às cortesias.

 

A tarde foi de Francisco Palha, a lide ao segundo da tarde foi espetacular, boa colocação, fantásticos remates, tudo lhe saiu perfeito nesta lide, até o toiro que lhe coube em sorte que também teve direito a volta.

 

Manuel Telles Bastos, tentou a sorte de gaiola ao seu primeiro e cravou um comprido de boa nota, nos curtos o toiro metia-se muito por dentro e embora com alguns apontamentos de nota não conseguiu com certeza o êxito esperado. No 4º da tarde, um toiro com arrancadas de manso, que não se parava e não investia por direito, Manuel Telles Bastos bem tentou, trocou de montada para levar a melhor mas não conseguiu.

 

Francisco Palha teve mais uma das suas tardes. Frente a um exemplar de São Torcato teve uma lide daquelas que nos fazem estar inquietos na bancada, cites frontais, colocação como mandam as regras e remates de nos tirar o fôlego, há já algum tempo que não assistia a uma lide tão bem conseguida, volta para toureiro, forcado e ganadero. No 5º da tarde e “no hay 5º malo” mas este mostrava-se bastante desinteressado da lide, Francisco Palha mostrou-lhe quem mandava e conseguiu uma vez mais tirar-lhe tudo o que havia para tirar e levantar novamente a “Palha Blanco”

 

Luís Rouxinol Jr, creio que não entendeu o seu oponente, ressaltando apenas ao seu primeiro o ferro de palmo com que encerrou a lide. Já no 6º da tarde Luís Rouxinol Jr colocou 2 compridos de boa nota, dando primazia ao toiro e nos curtos, com um toiro que foi sempre em crescendo colocou 4 curtos de boa nota, um bom ferro de palmo e terminou a pedido do público com um par de bandarilhas também de boa nota. Na minha opinião faltou ao cavaleiro um pouco mais de calma, de temple, de forma a dar-nos tempo de apreciar o que de bom tinha feito.

 

Pelos Forcados do Ribatejo pegaram Pedro Espinheira à 2ª tentativa numa pega rija e Rafael Costa à 1ª aguentando fortes derrotes.

 

Pelos Forcados do Barrete Verde de Alcochete pegaram Diogo Amaro numa muito boa pega à 2ª tentativa, e Marcelo Loia numa boa pega à 1ª tentativa.

 

Pelos Forcados do Ramo Grande dos Açores pegaram Luis Valadão, numa complicada pega à 3ª tentativa e Manuel Pires à 1ª numa pega de garra.

 

O prémio de apresentação foi para a ganadaria de António Silva, sendo o prémio de bravura atribuído em ex-áqueo às ganadarias de São Torcato e Veiga Teixeira.

 

Texto e Foto: Susana Leitão de Oliveira

NOTA: pedimos desculpa aos nossos leitores pelo atraso na publicação desta crónica que ficou a dever-se a problemas com o nosso email.

 

ANIVERSÁRIO E FEIRA DE OUTUBRO - “PALHA BLANCO” RECUPERA PÚBLICO E PRESTÍGIO; GRANDES MOMENTOS DE TOUREIO

12.10.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

IMG_5694 (1).JPGEste ano o empresário Ricardo Levesinho apostou em 4 espectáculos para o final de temporada da “Palha Blanco” em Vila Franca de Xira: uma corrida mista comemorativa dos 117 anos da praça, uma novilhada, uma corrida concurso de ganadarias e, para encerrar a Feira de Outubro, o duelo Telles/Ventura.

Depois das corridas de Maio e do Colete Encarnado, o público voltou a marcar presença na “Palha Blanco”, ainda que em dois dos espectáculos – corrida mista e concurso de ganadarias- apenas metade da lotação fosse preenchida, o que se repetiria na novilhada e uma lotação esgotada na corrida de terça-feira. Por alto poderemos dizer que nestes 4 dias passaram pela praça cerca de 10500 pessoas, o que não deixa de ser significativo.

Os cartéis foram montados com base na competição, juntando alguns dos melhores e mais destacados toureiros desta temporada, com ganadarias que davam, á partida, algumas garantias de êxito. E neste campo, o das ganadarias, a maioria das escolhas revelou-se acertada, com alguns bons toiros a serem lidados na “Palha Blanco”.

OS TOIROS

Comecemos por aqui, pelo toiro. Na corrida do aniversário, dos toiros de David Ribeiro Telles destacou-se o bom 5º, lidado por João Moura Jr; na novilhada de Mata-o-Demo nenhum exemplar se destacou positivamente.

No concurso de ganadarias, o toiro mais bravo do concurso e de todos os que se lidaram nesta Feira, foi o da ganadaria de São Torcato claramente destacado do outro toiro que mereceu a distinção em empate com este, o de Veiga Teixeira (que foi um manso encastado). No capítulo apresentação venceu o toiro de Dr. António Silva.

E na corrida de encerramento da Feira, foi bom o primeiro de Prudêncio e os lidados em 5º e 6º lugares, da ganadaria de Maria Guiomar Moura.

TOUREIO A CAVALO / TOUREIO A PÉ

Na corrida do aniversário da praça o toureio a pé triunfou claramente sobre o toureio a cavalo. De muito valor foram as actuações de António João Ferreira e de Nuno Casquinha, boa prestação dos bandarilheiros e que no toureio a cavalo teve me João Moura Jr na lide ao quinto da ordem o seu melhor momento.

O toureio a cavalo esteve em grande destaque especial nos dois últimos espectáculos. Se na primeira corrida triunfou João Moura Jr, no dia 7 foi Francisco Palha alçou-se ao plano cimeiro com uma grande lide, daquelas que fazem o público  levantar-se das bancadas e ficar com as mãos dormentes de tantas palmas bater. E Luís Rouxinol Jr com outra grande actuação no toiro que encerrou a corrida e a afirmar-se também na dianteira.

 35 e 20 anos de alternativa. António Ribeiro Telles e Diego Ventura. O veterano cavaleiro da Torrinha levou a melhor na corrida de encerramento da temporada com 3 lides redondas, de triunfo sonante enquanto que Ventura só no último toiro se impôs e arrebatou o público com uma lide triunfal.

FORCADOS: A DESPEDIDA DE RICARDO CASTELO

Cinco Grupos de Forcados pegaram nos 4 espectáculos, sendo que o de Vila Franca pegou em 3 ocasiões e os restantes em um espectáculo: Ribatejo, ABV Alcochete e Ramo Grande (Açores).

Houve grandes pegas a par de outras menos conseguidas no capítulo artístico e da espectacularidade mas a grande nota tem de ir para a despedida de um grande cabo e de enorme forcado como foi Ricardo Castelo. Momentos que ficam na retina, que causaram emoção, que fizeram estremecer os corações e ouvir grandes ovações. Ricardo Castelo que se cotou com uma grande pega na despedida e deu duas ovacionadíssimas voltas á arena.

Dos outros Grupos que passaram por Vila Franca destaque para as pegas de António Pombeiro Taurino de Santarém; de Rafael Costa do Ribatejo e de Manuel Pires do Ramo Grande.

Na última corrida o destaque vai para a coesão demonstrada pelo Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca com o conjunto a sobrepor-se aos valores individuais de onde destacamos Márcio Francisco com uma rija e dura pega ao segundo  intento com um enorme par de braços a aguentar os derrotes do toiro.

E agora, que venha 2019!!!

CORRIDA DE GALA A ENCERRAR A TEMPORADA LISBOETA TEVE GRANDES MOMENTOS

12.10.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros do “Campo Pequeno” – Lisboa – 11/10/18 – Corrida de Toiros

Director: Pedro Reinhardt – Veterinário: Jorge M. Silva – Lotação: Cheia

Corrida de Gala à Antiga Portuguesa

Cavaleiros: António Ribeiro Telles, Rui Salvador, Rui Fernandes, Francisco Palha, Marcelo Mendes e Miguel Moura

Forcados Amadores de Lisboa e A.B.V.Alcochete

Ganadaria: Passanha

 

CORRIDA DE GALA A ENCERRAR A TEMPORADA LISBOETA TEVE GRANDES MOMENTOS

 

A tradicional Corrida de Gala à Antiga Portuguesa que encerra a temporada lisboeta, com honras de transmissão televisiva e casa cheia, foi um espectáculo de grande promoção da festa brava, acessível ao grande público em todo Mundo com a transmissão directa da RTP (que respeitou toureiros e público) também através da internet. Um espectáculo cheio de figuras públicas, de deputados, da administração da RTP… E com grandes momentos de toureio e algumas boas pegas de caras perante um, no geral, bom curro de Passanha.

 

Não vou fazer uma crónica no estilo tradicional pois ajudei a aumentar as audiências da RTP e até porque todo o País pode ver o que as câmaras da RTP mostraram.

 

Assim, António Telles voltou a mostrar  a sua mestria e maturidade com uma lide de grande nível ao que abriu praça.

 

Rui Salvador com a sua raça e habitual entrega voltou a dar a volta ás dificuldades e cravou dois bons ferros, apresentando uma nova montada que pode vir a dar que falar.

 

Rui Fernandes encerrou da melhor forma a sua 20ª temporada como cavaleiro de alternativa com uma grande lide iniciada com um ferro em sorte de gaiola e uma boa série de curtos.

 

Francisco Palha voltou a não conseguir impor-se em Lisboa depois de uma temporada de êxitos. As coisas não lhe correram bem e… um dia será.

 

Marcelo Mendes mostrou que merece mais oportunidades. Uma lide que, apesar de algumas reuniões passada, chegou ao público.

 

E Miguel Moura deu a volta ao Passanha mais reservado da corrida numa agradável actuação.

 

Os Forcados Amadores de Lisboa abriram praça por intermédio de Martim Cosme Lopes, bem À primeira tal como Vitor Epifânio que se lhe seguiu frente ao terceiro. João Varanda pegou o 5º à 2ª tentativa. Pelo Aposento do Barrete Verde de Alcochete foram caras Diogo Amaro À 1ª, João Armando à 3ª e Marcelo Lóia à 1ª.

 

No final das cortesias foi entregue a João Moura o Galardão Prestígio Campo Pequeno e o veterano cavaleiro alentejano foi alvo de uma estrondosa ovação.

 

Dirigiu o espectáculo Pedro Reinhardt assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

Texto de António Lúcio

‘Tauromaquia para Todos’ vence Orçamento Participativo pelo 2.º ano consecutivo

12.10.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

PróToiro destaca que vitória “mostra a adesão cada vez maior à defesa desta temática cultural”

 

A PróToiro – Federação Portuguesa de Tauromaquia felicita a vitória do projeto ‘Tauromaquia para Todos’, no âmbito do Orçamento Participativo, que foi aprovado esta quinta-feira pelo 2.º ano consecutivo, pelo Ministro da Cultura, Luís Castro Mendes

Este projeto, desenvolvido por um grupo de jovens aficionados (três raparigas e dois rapazes, todos com cerca de 20 anos), prevê a criação de um programa de difusão de informação e conhecimento sobre a cultura tauromáquica portuguesa, mostrando também a sua diversidade territorial e multiplicidade temática inerentes. “Esta vitória de um projeto que apoia e defende a Tauromaquia em Portugal é a prova de que há cada vez mais uma maior adesão dos portugueses a esta temática cultural, também nas camadas mais jovens da população”, realça Hélder Milheiro, porta-voz da PróToiro, que manifesta o seu apoio à iniciativa.

 

Com um orçamento de 50 mil euros, o projeto ‘Tauromaquia para Todos’ pretende criar conteúdos e materiais informativos e pedagógicos sobre a cultura tauromáquica, na sua vertente material e na componente imaterial, para levar o conhecimento e a compreensão desta atividade cultural a jovens e adultos. A isto acrescem campanhas e ações de informação e interação com todos os cidadãos, sem nunca esquecer a importância do contexto escolar.

 

Houve ainda um projeto contra a cultura tauromáquica que foi aprovado no âmbito do Orçamento Participativo e cuja índole atenta contra a defesa do livre-acesso à Cultura que o Estado português tem o dever de assegurar, incorrendo por isso em ilegalidades. Nesse sentido a PróToiro está a preparar-se para tomar ações que permitam travar o avanço desta proposta, junto das entidades competentes.