Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Todos os aficionados pdoem enviar a sua manifestação de indignação para o Primeiro Ministro, Ministros e Secretários de Estado e para os diversos Grupos Parlamentares, utilizando os seguintes email's:

 

gabinete.pm@pm.gov.pt;

gabinete.ministro@mc.gov.pt;

gabinete.sec@mc.gov.pt;

gabinete.seap@seap.gov.pt;

gabinete.seapm@pm.gov.pt;

gp_ps@ps.parlamento.pt;

gabinete.ministro@mf.gov.pt;

gabinete.seaf@mf.gov.pt;

gabinete.seo@mf.gov.pt;

gabinete.mj@mj.gov.pt;

ccesar@ps.parlamento.pt;

gp_psd@psd.parlamento.pt;

gp_pp@pp.parlamento.pt;

gp_pcp@pcp.parlamento.pt;

 

 

PróToiro exige demissão da ministra da Cultura

Primeira intervenção pública de Graça Fonseca sobre tauromaquia revelou-se um insulto a todos os portugueses e à Cultura. Por isso, tal como Humberto Delgado, a PróToiro diz: 'Obviamente demitimo-la'

PróToiro – Federação Portuguesa de Tauromaquia exige a imediata demissão da ministra da Cultura por ter insultado todos os portugueses e por ter atacado de forma cega a Cultura e a Constituição da República Portuguesa que ainda há dias jurou defender. É inaceitável que um governante se proponha governar por convicções ideológicas preconceituosas, discriminatórias e atentatórias do Estado de Direito. Mais inaceitável se torna, quando se trata de uma ministra que sempre lutou, muito e bem, pelo direito à diferença e contra a discriminação.

Em causa está a primeira intervenção pública de Graça Fonseca, enquanto ministra da Cultura, sobre Tauromaquia, durante a qual deixou perceber no Parlamento que considera os aficionados incivilizados.

"A senhora ministra, ao dizer que discriminar a Tauromaquia não é uma questão de gosto, mas uma questão de civilização, está a insultar os portugueses e particularmente os mais de três milhões que todos os anos assistem livremente a espetáculos tauromáquicos em praças, TV e que enchem ruas de cidades e aldeias de norte a sul do País. Nós pertencemos à civilização de Picasso, Hemingway, Vargas Llosa, Amália, Lobo Antunes, Júlio Pomar, Pedro Cabrita Reis, Marcelo Rebelo de Sousa, Jorge Sampaio, Manuel Alegre entre muitos outros cidadãos e artistas apreciadores das Touradas.  Esta sua declaração demonstra o quanto não está preparada para assumir as funções para as quais foi nomeada, nem para defender a Constituição da República Portuguesa. A sua demissão não é uma questão de gosto, mas de civilização. Por isso e muito mais, citamos Humberto Delgado e 'Obviamente demitimo-la", defende Hélder Milheiro, secretário-geral da PróToiro, para quem as propostas de discriminar o IVA na Tauromaquia são manifestamente ilegais e inconstitucionais.

Para a PróToiro, quando o Estado impõe medidas à população, por uma questão de gosto, deixa-se de viver em Democracia mas numa tirania. "Quem tem preconceitos, sejam eles os agora tornados públicos pela ministra ou de outra qualquer natureza, não pode exercer cargos públicos. Por muito menos o antigo ministro da Cultura João Soares abandonou esta mesma pasta. Alerto para o que disse, na altura, António Costa – 'Já recordei aos membros do Governo que, enquanto membros do Governo, nem à mesa do café podem deixar de se lembrar que são membros do Governo", acrescenta Hélder Milheiro.

Para a PróToiro, "esta ministra revela uma total incompetência e inaptidão para o cargo, ao desconhecer a legislação de uma das áreas que tutela". Na PróToiro, porém, não discriminamos ninguém e propomo-nos a ajudar o próximo ministro ou ministra da Cultura, fornecendo-lhe algumas das leis sobre esta atividade artística e cultural:

- Constituição da República Portuguesa, sobretudo artigos 13º, 17º, 43º, 73º e 78º que definem as obrigações do estado de acesso dos cidadãos à cultura e salvaguarda do património cultural.

- Declaração Universal dos Direitos do Homem, artigo 2, onde estabelece o princípio de não discriminação, no qual cada pessoa tem o direito de participar livremente na vida cultural da comunidade e aceder às artes.

- Decreto-Lei nº 23/2014 - Define, no artigo 2, número 2, que a tauromaquia integra o conceito de espetáculos de natureza artística;

- Lei nº 31/2015 - Estabelece o regime de acesso e exercício da atividade de artista tauromáquico e de auxiliar de espetáculo tauromáquico;

Decreto-lei n.º 89/2014, de 11 de Junho, que considera que "a tauromaquia e?, nas suas diversas manifestações, parte integrante do património da cultura popular portuguesa".

A reação da PróToiro surge "após uma prolongada e ponderada avaliação às declarações da ainda ministra da Cultura no Parlamento". A PróToiro aguardou que Graça Fonseca apresentasse publicamente um pedido de desculpas aos portugueses ou que tivesse a dignidade de sair pelos próprios pés. Porém, conclui Hélder Milheiro, "a altivez com que se expressou na casa da democracia e a sobranceria demonstrada desde então motiva-nos a defender a Cultura portuguesa, a democracia e a igualdade de direitos até às últimas consequências".

A notícia está no site da ANGF e passamos a transcrever na íntegra, com a devida vénia, o texto, acessível também em http://www.angfportugal.org/noticias_detail.php?aID=115

A Associação Nacional de Grupos de Forcados, vem manifestar o seu total repudio pelas afirmações que a Senhora Ministra da Cultura efetuou na casa da Democracia, que transcrevemos: “Tauromaquia não é uma questão de gosto, é uma questão de civilização”. Consideramos que esta afirmação é um atentado ao Estado de Direito e à Liberdade Cultural de cada Português.

Conforme a Senhora Ministra da Cultura sabe, ou deveria saber, uma vez que, pelas funções que ocupa, está obrigada a garantir a efectivação dos direitos e liberdades fundamentais de acordo com o artigo n.º 2 da Constituição da República Portuguesa:

- “A República Portuguesa é um Estado de direito democrático, baseado na soberania popular, no pluralismo de expressão e organização política democráticas, no respeito e na garantia de efetivação dos direitos e liberdades fundamentais e na separação e interdependência de poderes, visando a realização da democracia económica, social e cultural e o aprofundamento da democracia participativa.”


- A Tauromaquia faz parte da Cultura, conforme consta no preâmbulo do DL 89/2014 que transcrevemos:  “A tauromaquia é, nas suas diversas manifestações, parte integrante do património da cultura popular portuguesa.”


- A Constituição da República Portuguesa, a alínea e) do artigo 9.º - Tarefas Fundamentais do Estado – diz que: “Proteger e valorizar o património cultural do povo português….”


- Também, na Constituição da República Portuguesa, o número 2 do Artigo 43.º - Liberdade de aprender e ensinar – diz que: “O Estado não pode programar a educação e a cultura segundo quaisquer directrizes filosóficas, estéticas, políticas, ideológicas ou religiosas.”


- Continuando na Constituição da República Portuguesa, o CAPÍTULO III - Direitos e deveres culturais, o nº 1 do Artigo 73.º - Educação, cultura e ciência -  diz que: “Todos têm direito à educação e à cultura.”


A afirmação da Senhora Ministra atrás transcrita, não respeita os princípios básicos elencados na Constituição da Republica Portuguesa, não sendo por isso V. Exa. ser merecedora de ter qualquer cargo ou responsabilidade na prossecução dos interesses do Estado Português.


Pelo juramento que realizou quando tomou posse do cargo que actualmente ocupa na República Portuguesa, e por não o respeitar, atentando contra dos princípios fundamentais consagrados da Constituição da República Portuguesa, pedimos a sua DEMISSÃO.

DELEGADOS TÉCNICOS TAUROMÁQUICOS: DIRECTORES DE CORRIDA E VETERINÁRIOS

Chegamos ao fim da nossa análise da temporada 2018 do “Barreira de Sombra” deixando aqui os nomes e números de espectáculos de cada uma das categorias.

DIRECTOR

CORRIDAS

João Cantinho

10

Francisco Calado

7

Lourenço Luzio

7

Manuel Gama

5

Agostinho Borges

4

Pedro Reinhardt

6

Tiago Tavares

4

Sem Director

2

Badajoz

2

Sevilha

2

 

VETERINÁRIO

CORRIDAS

Jorge Moreira da Silva

21

José Manuel Lourenço

8

Carlos Santos

5

José Luis Cruz

5

Feliciano Reis

2

Matias Guilherme

2

Sem veterinário

2

Badajoz

1

Hugo Rosa

1

José Miguel Guerra

1

Sevilha

1

 

A Direção da ATTP, representante dos mais de 2 milhões de portugueses que gostam de toiros, vem, desta forma, expressar o total repúdio e a sua indignação face às declaração da Ministra da Cultura que nos trata, cidadãos de pleno direito deste país, como incivilizados, porque nos revemos na cultura tauromáquica. Por menos dimitiu-se o Ministro da Cultura João Soares. 

 

A Ministra não é nem mais culta nem mais civilizada do que nós, pelo que lhe exigimos respeito e consideração. Se não o pode fazer por fanatismo ideológico, então que saia do lugar que ocupa, que não merece e do qual não está à altura
 
O Presidente da Direção da Associação de Tertúlias Tauromáquicas de Portugal

Luís Capucha

Senhor Primeiro Ministro, Senhores Deputados, caros Governantes e dirigentes públicos.

A dita senhora ministra da Cultura, de um governo, que se diz do meu País, coisa que por certo não cabe na sua cultura urbana e obscena, ainda por cima um governo do Partido Socialista, que agora com este novo chefe, António Costa, Senhor que se diz querer longe do cadastrado, perdão, indiciado, Sócrates, veio agora em discussão do O.E., fazer um frete aos seus 'amiguinhos' que têm como relação privilegiada aqueles que não são racionais. os cães e os gatos, já que os passarinhos, esses, vem podem piara nas gaiolas, que as suas bicadas nunca serão línguas de conveniência.

Pode a senhora graça gostar do que gosta. Respeitamos o seu gosto ou desgosto. E porque respeitamos o seu gosto, como ministra de um governo socialista, partido humanista, plural e democrático, isto é um governo de um país Ocidental, livre, Europeu, não pode a dita senhora, por muito que a desgoste o gosto de mais de DOIS Milhões de PORTUGUESES, servir de mote para os agredir com ofensivos dislates, como o fez hoje mesmo na Assembleia da Republica.

Senhor Primeiro Ministro, Senhores Deputados, caros Governantes e dirigentes públicos, parece que os exemplos da Polónia, da Hungria, do Brasil, e até das eleições de domingo passado na Alemanha, que motivaram a declaração de ontem da Senhora Merkel, parece que não entenderam o sinal. Se não travam este tipo de asneira... e já, vem podem depois fazer amigos com fardas. A PIDE e o Carmo, também caíram.

Mandem esta senhora pedir desculpa... e façam da Democracia, um acto de Liberdade... para todos, porque a maioria assim o quer.

Aceitem o meu Protesto... e mandem a senhora dona graça a  banhos... de Cultura Democrática, de História, de Civismo.

Com os cumprimentos

josé andrade

PEOES DE BREGA.JPGBNDARILHEIROS.JPG

 

PEÕES DE BREGA E BANDARILHEIROS

São elementos que compõem as quadrilhas de cavaleiros e matadores de toiros e novilheiros e que se cumprirem bem a sua missão, são auxiliares imprescindíveis para o êxito dos toureiros às ordens de quem actuam e na colocação dos toiros para os forcados poderem efectuar as pegas.

 

Lances de capote bem dados, bons pares de bandarilhas, intervenções oportunas e os sempre importantes quites quando algum toureiro ou forcado é colhido deveriam ser objecto de alguma análise nas crónicas das corridas. E muitas vezes são, injustamente, esquecidos.

 

Não temos uma estatística de bandarilheiros e peões de brega idêntica àquela que fazemos para outros toureiros mas podemos sempre dar algum destaque aos que mais se evidenciaram.

 

Nos mais veteranos mantiveram um nível elevado João Ribeiro Curro, Diogo Malafaia, Manuel dos Santos Becas, Nuno Oliveira, João Prates Belmonte, João Pedo “Açoriano”. António Telles Bastos e Duarte Alegrete, a par de Filipe Gravito, consolidaram a sua posição e qualidade na brega para os cavaleiros. E no que ao toureio a pé diz respeito, destacaram-se Cláudio Miguel, Joaquim e João Oliveira, João Pedro Martins e João Ferreira.

 

Em termos de alternativa, assistimos à de Pedro Noronha, numa temporada em que se registaram duas despedidas: João Boieiro em Lisboa e Pedro Gonçalves em Santarém.

cptv.pngAo longo da temporada um júri residente formado por Vasco Lucas, João Queiroz e Patrícia Sardinha, e ainda pelos comentadores de cada uma das corridas realizadas em Lisboa, apurou os triunfadores em cada espectáculo.

 

No final da época, ao júri residente, juntaram-se José Cáceres e Luís Filipe Cochicho (comentadores) e fez-se uma avaliação global da temporada, da qual resultaram os triunfadores do Campo Pequeno em 2018:

 

Melhor Faena – António João Ferreira

Melhor Par de Bandarilhas – João Ferreira

Melhor Peão de Brega – Cláudio Miguel e João Pedro Silva “Açoriano” – em igualdade

 

Melhor Lide a Cavalo – Duarte Pinto – 9 de Agosto de 2018

 

Melhor Pega – Francisco Faria – Grupo Vila Franca de Xira

Melhor Grupo – Amadores de Vila Franca de Xira

 

Melhor Toiro Apresentação – General - Grave 

Melhor Corrida Apresentação – 24 de Agosto de 2018 – Murteira Grave 

Melhor Toiro para Pé – Carteiro – S. Torcato 

Melhor Toiro para Cavalo – Aguadeiro – Pinto Barreiros

Melhor Ganadaria – Pinto Barreiros – 19 de Julho de 2018 

 

Brevemente o Campo Pequeno TV irá apresentar um conjunto de programas de debate, retrospectivos da temporada 2018 em Lisboa.

GANADARIAS.JPG

AS GANADARIAS: O TOIRO BRAVO- SOB O SIGNO PINTO BARREIROS E SÃO TORCATO

O toiro de lide é um animal excepcional: pela sua beleza, pelo seu carácter, pela sua forma de investir, por transmitir perigo (real) e emoção. Quantos deles vimos serem aplaudidos na entrada na arena e na recolha, prémio máximo ao toiro bravo em Portugal, com chamada á arena do ganadeiro ou do maioral pelo seu comportamento excepcional.

 

Há ainda a registar aqueles que venceram os prémios de bravura e apresentação em várias corridas concurso de ganadarias.  E nesta temporada de 2018 assistimos  a 4 corridas-concurso de ganadarias: Salvaterra de Magos, Arruda dos Vinhos, Moita e Vila Franca de Xira.

 

13/05/18 – Salvaterra de Magos – Veiga Teixeira (bravura e apresentação) - Duplamente premiada foi a ganadaria de Veiga Teixeira, pelo excelente comportamento do quarto da fria tarde (climatologicamente falando) em Salvaterra. Um toiro de extraordinária presença e trapio, que foi bravo, com mobilidade e com classe e que, justamente, foi premiado no que a apresentação e bravura diz respeito, em decisão unânime dos 3 elementos do júri: D. Francisco de Mascarenhas, António Vasco Lucas e José Luís Gomes, após uma lide soberba do clássico dos clássicos António Ribeiro Telles.

 

16/08/18 – Arruda dos Vinhos - Dos seis, destacou-se pela qualidade das suas investidas o que saiu em primeiro lugar e era de Santiago. Levou o prémio “Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos para Melhor Toiro”.

 

14/09/18 – Moita - E como se tratava de corrida concurso de ganadarias, diga-se que bravura não abundou e que a apresentação de alguns toiros ficou aquém da expectativa( dois toiros eram bizcos do piton esquerdo…). Venceu os troféus “Bravura” e “Apresentação” o toiro com ferro e divisa do Engº Jorge Carvalho marcado com o nº 52 e com o peso de 565 kg

 

07/10/18 – Vila Franca de Xira - A corrida concurso de ganadarias do domingo 7 em Vila Franca teve na ganadaria de São Torcato no capítulo dos toiros e em Francisco Palha no dos cavaleiros, os grandes triunfadores. Uma tarde onde o toureio raiou a grande altura e onde  a bravura, a classe e codícia nas investidas do toiro nº3 14, de 460kg da ganadaria de São Torcato, os expoentes máximos logo seguidos de perto pela brilhante actuação de Luís Rouxinol jr no último da tarde e que na opinião do júri também mereceu o prémio de bravura (foi um manso encastado!), sendo o prémio de Apresentação para o primeiro toiro da corrida, da ganadaria de António Silva.

 

Mas houve outros toiros de nota destacada e curros que se destacaram na temporada onde Pinto Barreiros e São Torcato foram os grandes triunfadores no capítulo ganadeiro. Vejamos o que, ao longo da temporada fomos escrevendo sobre o comportamento dos toiros.

 

05/05/18 – Vila Franca de Xira - grande actuação de João d’Alva frente a um excelente erale de Falé Filipe, com o ganadeiro a dar volta com o jovem novilheiro e o público a ovacionar fortemente o erale no final da lide.

 

21/06/18 - Lisboa, Campo Pequeno - Este cartel tinha como principal aliciante o curro de toiros de Veiga Teixeira e que, á excepção do que tocou em segundo lugar a Marco José, deu bom jogo, com destaque para 1º, 4º e 6º da ordem, motivando a justa chamada do ganadeiro à arena após lide do sexto. Foram bons colaboradores para os toureiros que vieram a Lisboa em busca de uma oportunidade.

 

30/06/18 – Montijo - O curro de toiros de António Charrua, muito no tipo da ganadaria alentejana, teve bastante qualidade, destacando-se o bravo primeiro, com boa nota o segundo e cumprindo com nobreza e suavidade os restantes, justificando a chamada do maioral após a lide do quinto da ordem.

 

19/07/18 -Lisboa, Campo Pequeno - Falamos muitas vezes que o toiro é o eixo fundamental da Festa, que sem ele não existiriam as corridas e vice-versa. Queixamo-nos muitas vezes de que não sai o toiro com idade, peso e trapio, com bravura, casta, mobilidade que proporcionam a emoção nas bancadas e obrigam os toureiros a aplicarem-se a fundo. Na verdade, quando sai o toiro-toiro que reúne estes predicados nem todos têm argumentos para se impor ou apenas em contadas vezes em cada lide o são capazes de fazer. E ferros bons nesta noite no Campo Pequeno, os dedos das duas mãos chegam para os contar… Triunfo forte da ganadaria de Pinto Barreiros e de Joaquim Alves, ganadeiro experiente e conhecedor e que conseguiu recuperar os atributos que fizeram desta ganadaria um caso sério de sucesso no século passado. Dois toiros de elevada nota, segundo e quinto, nos quais deu volta com o cavaleiro e escutou fortes ovações, foram a cereja no topo do bolo de uma corrida muito bem apresentada, com boas condições de lide no geral e onde apenas o terceiro nos pareceu a menos na qualidade devido a prováveis problemas de visão que se foram acentuando ao longo da lide. Parabéns pelo magnífico curro apresentado em Lisboa.

 

28/07/18 – Caldas da Rainha - Os toiros de Fernandes de Castro cumpriram no geral e trouxeram emoção ao espectáculo. O ganadeiro deu volta á arena após a lide do 5º.

 

02/08/18 – Lisboa, Campo Pequeno -  Emoção não faltou com os toiros de São Torcato e o ganadeiro foi premiado com volta á arena após a lide do 5º da ordem.

 

05/08/18 – Abiul - E duas voltas á arena, justíssimas, para o ganadeiro Joaquim Grave após a lide dos bravos 4º e 6º da ordem, o primeiro muito bem lidado por Filipe Gonçalves e o segundo pelo matador Octávio Chacón.

 

15/08/18 – Caldas da Rainha - Os toiros de Dr. António Silva, muito bem apresentados e com trapio, deram condições de lide desiguais, encastados e a pedirem contas a cavaleiros e forcados, trouxeram emoção ás bancadas.

 

23/08/18 – Baião - A volta a praça de José Luís Gomes, após a lide do último da tarde, enquanto representante da ganadaria Fontembro, foi justa e merecida. Um bom curro merece ser destacado. (José Andrade)

 

24/08/18Lisboa, Campo Pequeno - O curro enviado pela ganadaria Murteira Grave estava muito bem apresentado, algumas estampas de toiro de lide, com trapio, e teve um comportamento díspar sendo os dois últimos claramente os melhores dos seis que se lidaram.

 

02/09/18Montemor-o-Novo - Montemor foi praça cheia e a ganadaria de Pinto Barreiros foi a grande triunfadora da tarde pela magnífica presença e trapio dos toiros e pela grande qualidade do primeiro e do sexto, este com honras de voltar para o campo. 

 

11/09/18 – Moita - Um bom curro de toiros que veio das alentejanas planícies do Redondo ostentando ferro e divisa da ganadaria Falé Filipe  veio a permitir o brilho dos três toureiros já que as qualidades que os toiros demonstraram, com destaque para o saído em segundo lugar, com uma investida de muita classe, sempre pro baixo e a perseguir os voos da muleta repetindo as investidas. Em termos de apresentação e trapio, nota superior para estes toiros.

 

22/09/18 – Elvas - Foram bons os dois toiros de Paulo Caetano.

 

A listagem final da nossa temporada quanto ás ganadarias que vimos lidar (43), ficou assim ordenada:

GANADARIAS

CORRIDAS

TOIROS

Falé Filipe

6

23

São Torcato

5

20

Murteira Grave

3

18

António Silva

6

16

Passanha

5

16

Veiga Teixeira

5

16

Canas Vigoroux

4

14

Pinto Barreiros

3

13

Fernandes de Castro

5

11

Palha

3

11

David Ribeiro Telles

2

10

Vinhas

2

10

António Charrua

2

9

Calejo Pires

2

7

Fontembro

2

7

Maria Guiomar Moura

2

7

Prudêncio

4

7

Santos Silva

2

7

El Parralejo

1

6

Manuel Cary

1

6

Mata o Demo

1

6

Paulino Cunha e Silva

1

6

Paulo Caetano

2

6

Vale Sorraia

1

6

Zalduendo

1

6

Jorge Carvalho

2

4

Rodolfo Proença

1

4

Silva Herculano

3

4

Varela Crujo

2

3

Santa Maria

2

2

Sociedade das Silveiras

1

2

Conde de la Maza

1

1

Cunhal Patrício

1

1

Dolores Aguirre

1

1

Higino Soveral

1

1

João Ramalho

1

1

José Luis Cochicho

1

1

Lopes Branco

1

1

Manuel Veiga

1

1

Miura

1

1

Passanha Sobral

1

1

Rio Frio

1

1

Santiago

1

1

 

 

 

Pág. 1/6