Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

AS FOTOS DO "TIRA-TEIMAS" - MONTIJO 23/09/18

25.09.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

JOÃO RIBEIRO TELLES

FRANCISCO PALHA

LUÍS ROUXINOL JR

FORCADOS DA TERT. TAUROM. MONTIJO

FORCADOS DO MONTIJO

FORCADOS DE TOMAR

 

EXCURSÃO AO CAMPO PEQUENO EM DEFESA DA FESTA DE TOIROS NA PÓVOA... E DA LIBERDADE

25.09.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

O Convite que aqui reencaminho, tem já a minha presença confirmada.

Sei quanto alguns gostariam de poder mostrar e participar em mais esta iniciativa em prol da Liberdade de escolha, Tradição e Cultura. Os usos e costumes estão cada vez mais a serem postos em causa, agora já não só por uns quantos medrosos e frustrados, mas sobretudo por gente 'diferente', 'urbana', incapaz de saber as suas origens, e que tem da Liberdade, apenas e só, aquilo que a sua libertinagem de momento interessa.

Sabemos, como sempre soubemos, respeitar a diferença, o diferente, o espaço do outro. A Liberdade, a nossa, termina onde começa a do outro. Sem imposições, sem reservas, sem afrontas ou intimidações. Gostamos da Festa dos Toiros, como gostamos da Natureza, Animal e Humana. A Liberdade que defendemos, ou na Liberdade que defendemos, também está a Liberdade dos que pensam e têm gostos diferentes dos nossos.

Este Convite que aqui reencaminho... é em defesa da Liberdade de escolha, de gosto,

Hoje é a Festa dos Toiros, amanhã será o passear pelo lado da rua que quero... depois, por certo o impensável. E não queremos ter de ainda tecer armas para que aqueles que hoje nos querem privar da Liberdade... sejam livres.

Um abraço amigo

José Andrade

Excursão ao Campo Pequeno
 
Não vamos deixar que roubem os nossos direitos e a nossa liberdade. Não podemos desprezar as nossas tradições. 
 
A festa dos Toiros na Póvoa esta viva e é para manter ao contrário da vontade política da nossa autarquia.
 
Vamos mostrar a todo o país que os Poveiros estão descontentes com a vontade do município.
 
Daí todos os aficionados estão convidados a participar na excursão, com saída da Póvoa de Varzim, para ir assistir a 
Corrida RTP de gala à Antiga Portuguesa Campo Pequeno 11 de Outubro de 2018
 
 
14:00 saída praça de Almada póvoa de Varzim
 
Viagem + bilhete 40 bandarilhas  - PT50 0018 0000 3710 5656 0016 6
Inscrições ate 28 de Setembro 
 
Para mais informações 
 
 

ELVAS - 22 DE SETEMBRO - AS FOTOS DA CORRIDA DO JORNAL OLÉ NO CONFRONTO CAETANOS/BASTINHAS

24.09.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

PAULO CAETANO

JOAQUIM BASTINHAS

JOÃO MOURA CAETANO

MARCOS BASTINHAS

FORCADOS DE ÉVORA

FORCADOS ACADÉMICOS DE ELVAS

 OUTROS MOMENTOS

 

FORCADO ANTÓNIO PEREIRA TEM ALTA HOSPITALAR

24.09.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

ant pereira.JPGO forcado António Pereira (Montijo) vai ter alta hospitalar depois dos exames a que foi sujeito terem revelado que o coágulo estava a ser absorvido pelo organismo e que não corria perigo. Segundo informação que nos foi prestada por familiares do forcado, aguardavam pelo relatório médico para que António Pereira pudesse sair do Garcia de Orta em Almada e regressar à sua residência em Sobral de Monte Agraço.

MONTIJO - NO “TIRA-TEIMAS” ROUXINOL CANTOU MAIS ALTO. MELHOR PEGA PARA HÉLDER PARKER (G.F.A.TOMAR

24.09.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros “Amadeu Augusto dos Santos” – Montijo – 23/09/18 – Corrida de Toiros

Director: Tiago Tavares – Veterinário: Jorge M. silva – Lotação: 1/3

Cavaleiros: João Ribeiro Telles, Francisco Palha, Luís Rouxinol Jr

Forcados: Tertúlia Tauromáquica do Montijo, Montijo e Tomar

Ganadaria: Paulino da Cunha e Silva

coretsias montijo.JPGNO “TIRA-TEIMAS” ROUXINOL CANTOU MAIS ALTO. MELHOR PEGA PARA HÉLDER PARKER (G.F.A.TOMAR)

 

Tarde de muito calor e de verdadeira competição com os toureiros “picados” nesta disputa e a querem, todos eles, vencer o troféu em disputa e afirmar o seu nome. Cantou mais alto o jovem Rouxinol, em tarde onde João Ribeiro Telles esteve muito bem no seu segundo e Francisco Palha apontou na direcção do triunfo mas o “tiro” saiu um pouco ao lado. Tarde dura para os forcados, onde mais uma vez as ajudas não o foram na plena acepção da palavra e toiros a pedirem contas, a trazerem emoção e com o sexto a ser de muito boa nota e o melhor de todo curro de Paulino da Cunha e Silva.

 

João Ribeiro Telles abriu praça com uma lide de bom tom, com boa brega e alguns ferros de boa execução com sortes frontais de que se destacou o segundo curto. Frente ao quarto da tarde carregou um pouco mais no acelerador, no bom sentido, ou seja, arriscou um pouco mais e teve a colaboração do toiro para uma série de curtos de muito boa nota, marcando bem os tempos das sortes e a cravar bons ferros, destacando-se no terceiro com entrada ajustada ao pitón contrário. Uma das lides da tarde.

Francisco Palha voltou a dar tudo por tudo em duas actuações de entrega total em busca do triunfo. Tem um enorme sentido competitivo e isso foi visível em ambas as actuações. Houve alguns bons momentos na lide do primeiro, nomeadamente o segundo curto, mas duas passagens em falso e alguma velocidade a mais imprimida no último curto ficaram aquém do expectável. E com as atenções no máximo, voltou a empregar-se frente ao quinto, mais conseguida a lide com dois bons compridos a abrir e os três últimos curtos de muito mérito, com o último de maior risco e a passar pelo “buraco da agulha” sem sofrer toques.

Luís Rouxinol cantou mais alto no que encerrou praça e que para o júri composto por elementos de 7 Tertúlias montijenses foi a melhor da tarde/noite. A sua primeira lide foi curta, marcada por boa brega e com dois curtos de boa cravagem, rematando com um de palmo. No que encerrou praça, codicioso e que saiu com pata e foi bem recebido pelo cavaleiro de Faias, Pegões, deixou dois bons compridos e uma série de bons curtos rematando com um bom par de bandarilhas e um palmito entre as fortes ovações do público.

Tarde dura para os forcados. Pelos Amadores da Tertúlia Tauromáquica do Montijo abriu praça Luís Carrilho que á segunda tentativa consumou uma dura pega; para o quarto da tarde foi o cabo Márcio Chapa, enorme na 1ª tentativa em que foi muito mal ajudado, falhou a reunião na segunda e esteve de novo muito bem na dura 3ª tentativa em que consumou bem. Os Amadores do Montijo tiveram João Paulo Damásio a consumar bem à primeira frente ao segundo da tarde e o estóico, enorme no valor apesar da pequena estatura José Pedro Suissas a aguentar “porrada da grosssa” e a consumar à 5ª tentativa numa pega onde o ajuda António Pereira saiu fortemente lesionado com um traumatismo craniano que o obrigou a internamento no Hospital Garcia de Orta em Almada. Finalmente, pelos Amadores de Tomar foram caras Vasco Freire numa vistosa pega à 1ª e Hélder Parker também à 1ª numa grande pega e que seria declarada, justamente, a melhor da corrida.

O espectáculo foi dirigido por Tiago Tavares assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

Texto e foto: António Lúcio

FORCADO ANTÓNIO PEREIRA ESTÁVEL DENTRO DA GRAVIDADE

24.09.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

O Forcado António Pereira (Amadores do Montijo) sofreu ontem uma violenta colhida no 5º toiro da tarde ao ajudar o valoroso forcado José Pedro Suissas, sofrendo um traumatismo craneano com alguma gravidade. Foi socorrido por vários elementos dos Bombeiros e por José Ribeiro da Cunha (técnico do INEM) que acompanhava o cavaleirto João Telles e um outro elementod o INEM que estava a assistir à corrida.

Dada a gravidade da situação foi evacuado para o Hospital do Barreiro e daí para o Garcia da Orta em Almada onde se encontra em observações, estável dentro da gravidade da situação.

De acordo com informação recolhida junto de familiar do forcado, este será reavaliado ao final da tarde para que seja determinado o seu estado de saúde.

O outro elemento deste Grupo tem 3 costelas fraturadas.

ELVAS - LIÇÕES DE CÁTEDRA DE PAULO CAETANO E JOAQUIM BASTINHAS

23.09.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros “Coliseu Rondão de Almeida” - Elvas – 22/09/18 - Corrida de Toiros

Director: Agostinho Borges – Veterinário: José M. Guerra – Lotação: ESGOTADA

Cavaleiros: Paulo Caetano, Joaquim Bastinhas, João Moura Caetano, Marcos Bastinhas

Forcados: Évora, Académicos de Elvas

Ganadarias: Paulo Caetano (1º, 4º), Rodolfo Proença (2º, 3º, 5º, 6º)

IMG_3993.JPGLIÇÕES DE CÁTEDRA DE PAULO CAETANO E JOAQUIM BASTINHAS 

Cartel de máxima expectativa. A possibilidade de ver actuar, de novo, Paulo Caetano a par de Joaquim Bastinhas. Lotação esgotada com antecedência…. Uma grande noite de toureio. Duas lições de cátedra, quais lições de sapiência de um professor catedrático á beira da jubilação. Momentos inolvidáveis que estiveram a cargo dos dois veteranos cavaleiros. A classe e a souplesse da equitação de Paulo Caetano, aliadas a um entendimento perfeito das boas condições de lide do seu toiro, com seu ferro, da escolha dos terrenos mais idóneos para o colocar e a abordagem perfeita das sortes com cravagem dos ferros num estilo clássico de entradas ao pitón contrário e de muito temple. Não foram, por isso, estranhas as fortes ovações que recebeu durante a lide, muito intensa e muito bem medida no tempo, e na volta que deu com o forcado.

 

Também Joaquim Bastinhas, qual D. Sebastião, regressou às arenas e a sua passagem por esta corrida fica marcada por uma grande lição de toureio, fiel aos cânones mas também aos seus princípios que impõem um ultrapassar das normas, no sentido positivo, quer na forma como recebeu o seu bom toiro, com ferro de Paulo Caetano, á porta dos currais e o levou embebido na garupa do cavalo e deixou preparado para os compridos. E se este início de lição já foi ao som do pasodoble com o seu nome, as ovações sucederam-se pois foi tudo muito bem medido e intenso, templando as sortes e cravando bons ferros, não deixando de cravar um par de bandarilhas a rematar esta triunfal e aplaudidíssima actuação de um toureiro que regressa em grande.

 

Depois das catedráticas lições, o panorama não ficava fácil para os mais novos. Moura Caetano não teve uma actuação feliz no seu primeiro com demasiadas passagens em falso para deixar os ferros, mas no que foi segundo do seu lote, de Rodolfo Proença, esteve em bom plano na brega e na cravagem da ferragem da ordem sob as ovações do público.

 

Marcos Bastinhas cumpriu a função frente ao segundo da ordem com dois bons curtos e rematou de violino a sua actuação. No que encerrou praça voltou a cumprir  e rematou a sua actuação com dois bons pares de bandarilhas.

 

No capítulo das pegas estiveram em praça os Amadores de Évora e os Académicos de Elvas com boas pegas de caras. Por Évora foram caras Miguel Direito à segunda, e António Torres e José Maria Caeiro ambos à primeira. Pelos Académicos de Elvas foram caras António Machado à 1ª, Gonçalo Machado à 2ª e André Bernardino à 1ª.

 

Foram bons os dois toiros de Paulo Caetano e cumpriram em diversos graus os de Rodolfo Proença.

 

Dirigiu o espectáculo Agostinho Borges assessorado pelo veterinário José Miguel Guerra.

Texto e Foto: António Lúcio