Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

 

VÍTOR RIBEIRO

FORCADOS AMADORES DA MOITA

MANUEL ESCRIBANO

NUNO CASQUINHA

 

Praça de Toiros “Daniel do Nascimento” – Moita do Ribatejo – 11/09/18 – Corrida Mista

Director: Pedro Reinhardt – Veterinário: Jorge Moreira da Silva – Lotação: 1/3

Cavaleiro: Vítor Ribeiro

Forcados: Amadores da Moita

Matadores: Manuel Escribano, Nuno Casquinha

Ganadaria: Falé Filipe

IMG_2408 (2).JPGCORRIDA DE GESTOS A ABRIR  A FEIRA DA MOITA’2018

 

Bom espectáculo tauromáquico aquele que abriu a Feira Taurina da Moita edição 2018 e que teve um série de gestos que o marcaram em definitivo. Gestos cavalheirescos, de grande significado entre as gentes do toiro e os aficionados que marcaram presença em número considerável. Desde logo o aplauso ao matador espanhol Manuel Escribano em reconhecimento à sua reaparição na Moita após grave colhida em Espanha; depois o brinde de Nuno Casquinha ao seu alternante; ainda o brinde de Escribano ao matador moitense Luís Procuna (actual professor da Escola de Toureio da Moita) e, finalmente, a partilha do último tércio de bandarilhas entre o matador Nuno Casquinha e o bandarilheiro Pedro Gonçalves que este ano se despede das arenas.

 

Um bom curro de toiros que veio das alentejanas planícies do Redondo ostentando ferro e divisa da ganadaria Falé Filipe  veio a permitir o brilho dos três toureiros já que as qualidades que os toiros demonstraram, com destaque para o saído em segundo lugar, com uma investida de muita classe, sempre pro baixo e a perseguir os voos da muleta repetindo as investidas. Em termos de apresentação e trapio, nota superior para estes toiros.

 

Um único cavaleiro Vítor Ribeiro, lidou 1º e 4º da ordem, com duas lides que tiveram motivos de interesse quer nas preparações quer na forma como abordou as sortes e cravou a ferragem da ordem, rematando a sua segunda actuação com dois ferros de muito boa nota.

 

Pegaram estes dois toiros destinados à lide a cavalo os forcados Amadores da Moita com o primeiro forcado de cara Filipe Correia a não estar bem e a consumar apenas à 3ª a sesgo e com ajudas muito carregadas. O quarto da ordem foi superiormente pegado por Fábio Silva, muito bem a citar de largo, a mandar na investida, a recuar e a fechar-se no momento certo suportando depois alguns derrotes mas a superar-se com imensa garra e o grupo a ajudar bem.

 

Reapareceu e em bom plano o matados espanhol Manuel Escribano. Boas prestações com o capote e as bandarilhas e uma faena de muleta de elevado quilate frente ao bom segundo toiro da tarde. Quer pelo lado direito quer pelo lado esquerdo, sucederam-se os passes com imensa qualidade, largos e profundos, com sabor e com saber. Aproveitou ao máximo as qualidades do toiro e concebeu uma excelente faena de muleta. No quinto da ordem, que exigia um pouco mais e não repetia as investidas com tanta qualidade, voltou a estra bem e a proporcionar bons momentos aplaudidos pelo público.

 

Nuno Casquinha que foi volteado de má forma num quite de capote no toiro de Escribano apresentou-se em bom plano no seu primeiro quer de capote quer com as bandarilhas. Boa faena de muleta, metendo bem o toiro na rubra flanela, correndo bem a mão para que os passes tivessem outra e melhor expressão. Entendeu bem o toiro e sacou-lhe o melhor partido. Voltou a estar bem no que encerrou praça e ao qual sacou meritória faena de muleta.

 

Dirigiu bem Pedro Reinhardt assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

Texto e foto: António Lúcio