Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

GABINETE DE R.P. E COMUNICAÇÃO DA C. M. PÓVOA DE VARZIM DIVULGA A DECISÃO ANTI-TOURADAS

20.06.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

sem nome (2).png

sem nome1 (1).png

Póvoa de Varzim declara-se Anti-Touradas

Póvoa de Varzim, 20.06.2018

A Póvoa de Varzim virou, em definitivo, uma página da sua História.

O Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira, já tinha anunciado, na passada semana, que a Praça de Touros, uma vez feito o investimento de cinco milhões de euros previsto para transformar aquele espaço num pavilhão multiusos, deixaria de acolher touradas. Ontem, o autarca declarou “o corte inevitável com uma tradição que, tendo feito o seu caminho e prosseguido o seu objetivo, não tem, nos nossos dias, razão de ser” e declarou o concelho anti-touradas.

Depois de proibir a utilização de animais selvagens em espetáculos de circo (mesmo antes de ser proibido por lei), de criar mais condições para a população canina, quer no nosso Centro de Recolha Oficial de Animais de Companhia (onde se não fazem abates), quer nas instalações d’“A Cerca” (associação de voluntários com foi estabelecido protocolo de suporte à sua atividade), e depois de, com esta associação e os Bombeiros Voluntários, ter criado a Ambulância Animal para socorro de animais em sofrimento na via pública, a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim aprovou, por unanimidade, a interdição de corridas de touros ou outros espetáculos que envolvam violência sobre animais a partir de 1 de janeiro de 2019.

Lembramos, porém, que em 2017 a cedência da Praça de Touros já tinha deixado de ser gratuita.

Aires Pereira explicou que “com a progressiva perda de público dos espetáculos tauromáquicos (mais acentuada a norte que a sul), refletida numa queda global de 50% nos últimos 7 anos, as praças de touros do norte passaram a ter um uso residual.

Disse ainda que, ultimamente, apenas se realizavam duas touradas por ano naquela praça e que a sociedade "se tem vindo a posicionar de forma diferente" em relação a essas corridas: "há uma outra sensibilidade em relação às touradas, as novas gerações olham-nas de forma diferente, este ano já não se fizeram garraiadas nas festas académicas e a Câmara decidiu dar um novo uso àquela praça", referiu.

sem nome2.png

in

http://www.cm-pvarzim.pt/noticias/povoa-de-varzim-declara-se-anti-touradas

PRÓTOIRO PROCESSA CÂMARA DA PÓVOA DE VARZIM

20.06.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Proibição de touradas no concelho é um ataque ao direito e à Cultura

Autarquia viola Constituição da República Portuguesa.

 

Lisboa, 20 de junho de 2018 – A PróToiro – Federação Portuguesa de Tauromaquia vai avançar com uma queixa na Justiça contra a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, contra o autarca Aires Pereira e contra todos os que estejam associados a esta proibição de touradas no concelho.

A intromissão da autarquia na liberdade dos espetáculos culturais no concelho revela uma postura antidemocrática, uma desclassificação e desrespeito pelos cidadãos poveiros e um ataque feroz à legislação, principalmente, à Constituição da República Portuguesa.

A Lei é clara e nos termos da Constituição da República Portuguesa as touradas devem ser protegidas. O Estado deve garantir o acesso de todos os cidadãos – se estes assim o quiserem – à cultura, neste caso às touradas.

Refere o nº2 do artigo 43º da CRP: “O Estado não pode programar a educação e a cultura segundo quaisquer diretrizes filosóficas, estéticas, políticas, ideológicas ou religiosas”. O nº 1 do artigo 73º: “Todos têm direito à educação e à cultura”. E os nºs 1 e 2 do artigo 78º: “Todos têm direito à fruição e criação cultural, bem como o dever de preservar, defender e valorizar o património cultural” e “Incube ao Estado (…) Promover a salvaguarda e a valorização do património cultural, tornando-o elemento vivificador da identidade cultural comum”.

Também o Decreto-Lei nº 89/2014 define que a “tauromaquia é, nas suas diversas manifestações, parte integrante do património da cultura popular portuguesa”.

“É a lei que reconhece a Tauromaquia enquanto manifestação cultural, pelo que o Estado está obrigado a promover e assegurar o acesso dos seus cidadãos à Tauromaquia. Nem os municípios, nem nenhum outro órgão, têm poderes para proibir a cultura, a não ser que vivêssemos numa ditadura. Qualquer decisão tomada no sentido de limitar ou proibir o acesso a um espetáculo cultural é ilegal e inconstitucional”, defende Hélder Milheiro, da PróToiro.

Esta postura é ainda altamente danosa para a cidade e a região, como bem disse Aires Pereira em 2014: "Não está em causa se eu gosto ou não de touradas, mas sim o que representam para o município em termos de turismo. É a única praça de raiz ativa no norte do país, não é por acaso que tem imensa procura. Sempre disse que estes espetáculos iam continuar a ser realizados na Póvoa, mesmo respeitando quem tem opinião contrária.”

Aires Pereira já devia ter percebido, com o exemplo de Viana do Castelo, que o poder local não pode impedir a realização de uma atividade cultural. Com esta tentativa de proibição, o presidente da câmara está a dizer aos poveiros que existem cidadãos de primeira e de segunda.

É com o sentido de denunciar a falta de transparência política e na defesa dos cidadãos que a PróToiro vai avançar com a ação na Justiça.

SEMANA DA CULTURA TAUROMÁQUICA EXALTA A LIGAÇÃO DE VILA FRANCA DE XIRA À FESTA BRAVA

20.06.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

A 29.ª edição da Semana da Cultura Tauromáquica vai decorrer de 29 de junho a 05 de julho em Vila Franca de Xira. Esta é uma iniciativa da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira que conta com a colaboração de ganadarias, tertúlias, associações e personalidades individuais ligadas à Festa Brava, na organização de um programa cultural de elevada qualidade que inclui exposições, colóquios e espetáculos tauromáquicos.

Destacamos a Exposição “Revisitando a Ganadaria Palha”, que inaugura a 30 de junho, pelas 17h00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Vila Franca de Xira e que assinala os 170 Anos da Ganadaria Palha. Esta mostra expõe elementos representativos do seu percurso até aos dias de hoje, permitindo um breve olhar sobre uma das mais antigas e importantes ganadarias portuguesas com uma forte projeção além-fronteiras.

O programa da iniciativa conta ainda com a abertura de mais duas exposições, “A Tauromaquia e Arte do Ex-Líbris” no Museu Municipal de Vila Franca de Xira e o “Universo Taurino”, na Galeria GART no Jardim Municipal da cidade. As três exposições estarão patentes de 30 de junho a 08 de julho.

O programa da Semana da Cultura Tauromáquica conta ainda com a realização de colóquios com personalidades que debatem esta expressão cultural, um Treino dos Forcados aberto ao público pelo Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca de Xira, uma Novilhada com a Escola de Toureio José Falcão, com entrada livre, a promoção de tertúlias no Jardim Municipal, a Esperita (atividade dirigida ao público infantil) e muita animação.

Consulte o Programa completo da Semana da Cultura Tauromáquica.

MAIS UMA DECISÃO CONTRÁRIA Á TRADIÇÃO: PÓVOA DE VARZIM ANTI TOURADAS

20.06.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Enquanto uns se preocupam com os recortadores no final de uma corrida televisionada, outros assumem o seu papel de anti-touradas - que não de defensores dos animais - e o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, apresentou uma prposta em sessão camarária que saíu vencedora determinando que o Concelho da Póvoa de Varzim será anti-touradas a partir de 1 de janeiro de 2019.

A RTP tem prevista a transmissão da sua corrida RTP/Norte a 20 de Julho nessa praça. Queremso ver qual vai ser a atitude que irá tomar, assim como os toureiros e respetivas associações de classe quanto a esta decisão cuja notícia poderá ler na íntegrea clicando no link abaixo, enviado pelo nosso colega José Andrade.

https://maissemanario.pt/reuniao-de-camara-decide-povoa-de-varzim-e-concelho-anti-touradas/