Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

QUEIMA DAS FITAS VAI TER GARRAIADA

14.03.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Movimento ‘Coimbra dos Estudantes’ garante que vai manter tradição e pondera realizá-la em Coimbra. Valores democráticos da academia devem garantir que alunos possam escolher participar no evento.

 

O movimento ‘Coimbra dos Estudantes’ está determinado em manter a tradição da academia coimbrã e garante que vai organizar a Garraiada durante a Queima das Fitas, mesmo que o Conselho de Veteranos decida excluir este evento com 115 anos de história.

 

O resultado do referendo apenas demonstra que o tema, para uma enorme maioria, não é sequer motivador para o exercício do voto. De um universo de 24 mil alunos, apenas cerca de 5600 manifestaram a sua opinião.

 

Demonstra também, como já denunciámos, que as irregularidades cometidas pela direção-geral da AAC e pela Comissão de Organização da Queima das Fitas conseguiram impor a vontade de uma minoria sobre toda a comunidade estudantil.

“Acreditamos numa universidade plural, na qual cabem todas as ideias, e não num espaço onde se fomentam proibições e se impõem as ideias de uns a outros. Assim sendo, caso exista uma decisão de exclusão da organização da garraiada pela COQF este movimento de alunos vai organizar a garraiada na Queima das Fitas de 2018”, afirma Ricardo Marques, presidente do movimento ‘Coimbra dos Estudantes’. 

Estão duas opções em cima da mesa: continuar a realizar a garraiada na Figueira da Foz ou o regresso da garraiada à cidade de Coimbra. 

Uma coisa é certa, os estudante poderão continuar a viver a cultura e tradição da Universidade de Coimbra, com a inclusão da Garraiada. 

PRÓTOIRO CONTRA FUNDAMENTALISMOS E INTOLERÂNCIA NA QUEIMA DAS FITAS

14.03.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Cerca de 5600 estudantes não podem impor a sua vontade aos restantes 18400.
É mentira que esmagadora maioria dos portugueses queira o fim da tauromaquia.

Na sequência do resultado do referendo à continuidade da Garraiada na Queima das Fitas de Coimbra, vem a PRÓTOIRO – Federação Portuguesa de Tauromaquia comunicar o seguinte:

  1. A Prótoiro é contra todo e qualquer fundamentalismo e não pode deixar de criticar a intolerância demonstrada por um pequeno grupo de estudantes que quer impor a sua vontade à dos outros e proibir um evento com 115 anos de história;
  2. Os cerca de 5600 alunos que votaram no referendo, a bem da convivência democrática, não podem condicionar o direito à escolha dos restantes 18400;
  3. A Prótoiro defende que os valores da liberdade, tolerância e diversidade, os mesmos que sempre caracterizaram a Universidade de Coimbra e que agora estão a ser colocados em causa;
  4. O resultado de uma sondagem, levada a cabo pela Eurosondagem em 2011, demonstrou que 86,1 % dos portugueses não defende qualquer proibição das Corridas de Toiros; 32,7% declararam-se aficionados; 20,6% são indiferentes às touradas; 32,8% não é aficionado, mas não aceita que se retire a liberdade de escolha e 11% são contra as touradas, defendendo a sua proibição.
  5. A Prótoiro já manifestou total apoio aos estudantes que desejam a continuidade da garraiada e que a vão realizar na Queima das Fitas de 2018.

Perante tudo isto, a Prótoiro coloca-se ao lado de quem defende os valores da liberdade e da salutar convivência em sociedade, criticando quem não aceita e não permite a liberdade individual de escolha, escondendo-se atrás de resultados pouco representativos.