Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

PORQUE SÃO LONGAS AS CORRIDAS DE TOIROS?

30.01.18 | barreiradesombra

As 11 corridas da temporada 2017 foram analisadas ao segundo para um estudo inédito, feito por José Cáceres, para o Campo Pequeno TV.

Sabia que em 42% do tempo o toiro não está em praça?

Qual a duração média do espectáculo?

Quanto duraram as pegas, as lides e as voltas?

Estas e outras questões vão ser minuciosamente abordadas e debatidas no Campo Pequeno TV e para o público em geral, dia 15 de Fevereiro, no Salão Nobre do Campo Pequeno. 

A não perder!

Debate.jpg

 

A TAUROMAQUIA VAI VOLTAR A ASIA

30.01.18 | barreiradesombra

Num projeto que visa contribuir para o desenvolvimento turístico de Guizhou , a tauromaquia vai marcar presença com espetáculos de demonstração tauromáquica, onde a corrida de touros à portuguesa terá o seu espaço.

 Tudo acontecerá no New Português Guizhou Pecuária, um projeto onde o cavaleiro tauromáquico Marco José está inserido, Sr. Joaquim Rodrigues, Sr. Wang e Sr Yang  que conta ainda com o apoio expresso do governo da República da China.

Assim pode-se dizer que a Tauromaquia está de regresso à Asia, onde nos anos 60, 70 e 80 ocorreram manifestações tauromáquicas de elevada adesão de público.

Neste sentido, no dia 1 de Fevereiro, pelas 10.30h, na Herdade Monte Pintor , situado na Igrejinha em Arraiolos, será feita a apresentação deste projeto.

CADERNOS DE VIAGEM - UMA NOVA RUBRICA NO "BARREIRA DE SOMBRA"

28.01.18 | barreiradesombra

Esta é uma nova rubrica no "Barreira de Sombra" e visa dar a conhecer um pouco mais sobre os locais onde me desloco para assistir a espectáculos tauromáquicos ou apenas para dar a conhecer um pouco mais do nosso País. As imagens prevalecem sobre os textos, Espero que seja do Vosso agrado e arrancamos com Mourão e Barrancos.

IMG_7732.JPG

 

PELO ALENTEJO – MOURÃO E BARRANCOS

Mourão e Barrancos, um percurso que é obrigatório para todos os amantes da festa brava e também da boa gastronomia e paisagens alentejanas, para além da sua rica história. A primeira tem as suas festividades da Srª. Das Candeias ainda nos rigores do inverno, sempre a 1 de Fevereiro, enquanto a segunda as celebra já no pico do verão em finais de Agosto.

 

E como grande parte do percurso é o mesmo, nada melhor que levantar cedo e tomar o pequeno-almoço para rumar em direcção a Évora, cidade monumental e que obriga a uma visita, ainda que curta para que não se perca muito tempo e atingir Mourão pela hora de almoço. A partir de Évora sucedem-se os vinhedos mas também muitas culturas hortícolas e olival até se atingir Reguengos de Monsaraz, célebre pelos seus vinhos mas também por ali bem perto (São Marcos do Campo) ter nascido essa grande figura da tauromaquia que foi José Mestre Baptista. 

 

A praça central de Reguengos de Monsaraz ponde pontifica a sua bela igreja, merece uma visita e os seus restaurantes são sobejamente conhecidos, permitindo uma ampla escolha, assim como em termos vinícolas a oferta é, também, enorme. Saindo de Reguengos, podemos tomar a direcção de São Pedro do Corval, célebre pela sua olaria tradicional, e subir até Monsaraz e ao seu castelo para desfrutar de magníficas vistas sobre o grande lago da barragem do Alqueva. Monsaraz onde também se podem degustar os bons pratos alentejanos e onde o entramado de ruas e vielas merece um calmo passeio.

 

O Alqueva, omnipresente por onde quer que nos desloquemos, acompanha-nos até Mourão, povoação onde se respeita o tipicismo da construção urbana e da organização do espaço, é dominada pelo seu castelo, símbolo do poder e de defesa da população desde os tempos mais remotos. Como já referido, as suas festividades da Srª das Candeias atrai milhares de forasteiros aos seus festivais taurinos e a Adega Velha é ponto de referência e paragem gastronómica obrigatória.

 

Saindo de Mourão e para sul, tomamos a estrada que nos leva a passar por Granja e Amareleja e que nos permite, uns bons kilómetros depois, atingir a vila de Barrancos, não sem antes termos serpenteado pela estrada que também sobe e desce pelos montes qual montanha russa. Montada numa encosta, Barrancos, que é bem conhecida pelos produtos oriundos do porco preto alentejano e pelas suas touradas de morte em Agosto, é muito mais que isso. Tem uma identidade muito própria e até um dialecto local, o barranquenho, , com o espaço urbano muito bem conservado, com bons pontos para admirar a paisagem natural e que convida ao relaxe e ao envolvimento e isolamento com a própria natureza. O Parque Natural de Noudar, cujo castelo infelizmente precisa de grandes obras de recuperação, tem um percurso algo difícil devido a ser quase todo em terra batida e com muitas pedras soltas desde que se passa ponte do rio que serpenteia pelos vales e permite grandes fotos. Vale bem a pena atravessar esse Parque, vindo de Barrancos e, para o carro de vez em quando, dar umas passadas e inspirar esse ar puro.

 

No percurso até ao Castelo de Noudar encontram-se cabras, ovelhas e vacas a pastar, algumas cabanas onde os pastores se abrigavam quer dos rigores do inverno quer do imenso calor do verão e é possível encontrar muitas espécies animais neste espaço que é protegido e onde o sobreiros e azinheiras nos permitem descansar à sombra das suas frondosas copas. Um passeio extraordinário e, se quiser, até pode dormir no hotel do Parque, desfrutando ainda mais desta perfeita comunhão com a natureza.

 

E para rematar a rigor, deixe-se envolver pelo magnífico pôr-de-sol perto do Castelo de Noudar.

António Lúcio/Jan.18

Fotos: AL/DP

GALERIA FOTOGRÁFICA

 

JOÃO BRANCO NÚNCIO MORREU HÁ 42 ANOS

27.01.18 | barreiradesombra

Completaram-se ontem 42 sobre a data em que, na Golegã, faleceu Mestre João Branco Núncio, figura ímpar e incontornável do toureio a cavalo.

 

Nascido em Alcácer do Sal, o Mestre preparava-se, aos 75 anos de idade para regressar às arenas, pela primeira vez na vida com a preocupação de se valer da sua arte para garantir o sustento da sua família, em consequência do esbulho que o seu património fora alvo, na sequência do Processo Revolucionário que então se vivia. João Núncio falece, no picadeiro da família Veiga, quando montava a cavalo.

 

Mais do que falar de Mestre João Núncio, deixemos que seja ele a falar de si, através de um programa exibido na década de 1960, na RTP

 

https://arquivos.rtp.pt/conteudos/joao-branco-nuncio/  

Neste link poderá ter acesso ao referido programa.

MUSEU TAURINO DE MADRID NO CAMPO PEQUENO TV

27.01.18 | barreiradesombra

O Campo Pequeno TV convida-o a partilhar uma visita guiada ao Museu Taurino de Madrid, que se encontra na Praça de Toiros de Las Ventas.

Para além de dar a conhecer o seu importante espólio é também uma viagem à história da tauromaquia.

Campo Pequeno TV, disponível agora na posição 164 do MEO, no videoclube da NOS e no VIMEO.

 

Assista ao Trailer do Programa em: goo.gl/6n7Tfx

CAMPO PEQUENO - JOVENS DEBATERAM EXPECTATIVAS PARA A TEMPORADA DE 2018

26.01.18 | barreiradesombra

Jovens aficionados das tertúlias “José Maria Cortes”, “P’ra Diante”, “Sol e Moscas”, “Tertúlia Tauromáquica de Medicina Veterinária” e “Taurisa” (Instituto Superior de Agronomia) debateram quinta-feira, com a Empresa do Campo Pequeno as suas expectativas quanto à temporada de 2018.

 

As expectativas são comuns e baseiam-se fundamentalmente na emoção que é necessária ao sucesso do espectáculo e, para tal, as opiniões são unânimes: Toiros de ganadarias que proporcionem emoção, figuras do toureio nos principais cartéis, oportunidade a novos valores e preços mais atractivos e mais lugares para jovens.

 

Também foi defendida a realização de iniciativas que divulguem a tauromaquia como foi o “Bullfest”, em 2017, treinos de grupos de forcados, demonstrações de toureio, bem como o regresso das garraiadas académicas.

 

As tertúlias referiram que seria benéfico que a empresa organizasse sessões de promoção do abono jovem nas universidades, em colaboração com as tertúlias, de modo a facilitar a captação de novos aficionados, área em que surgiu a questão: ”saberão as empresas, hoje em dia, comunicar a tauromaquia ao público jovem?”

 

Na oportunidade, o Director de Actividades Tauromáquicas do Campo Pequeno, Rui Bento disse que a empesa irá “apostar em toiros com trapío, mobilidade e transmissão” e referiu as ganadarias em que já foram vistos toiros para 2018: Pinto Barreiros, São Torcato, Veiga Teixeira, Manuel Assunção Coimbra, David Ribeiro Telles, António Charrua, Passanha, Vinhas, Varela Crujo, Paulo Caetano e Manuel Veiga.

 

Rui Bento disse também que “serão criadas condições ainda mais favoráveis para os jovens, no que respeita a preços e a número de lugares disponíveis”.

 

Referiu também que o Campo Pequeno “ainda não se adaptou de todo ao boom turístico da cidade de Lisboa” e afirmou que essa será uma das áreas em que a empresa também tem de melhorar.

Fotos de Fernando Clemente - www.parartemplarmandar.com

MOURÃO EM CONTAGEM DECRESCENTE...

26.01.18 | barreiradesombra

mourao 1.jpgJá falta menos de uma semana para que as portas se abram na Praça de Toiros Libânio Esquível em Mourão e para que a temporada2018 em Portugal arranque.

 

O "Barreira de Sombra" estará, uma vez mais, em Mourão e contar-lhe-á o que se passar na arena alentejana nos dia 1 e 4 de Fevereiro.

mourao 2.jpg

 

mourão 3.jpg

 

TAUROLEVE VOLTA Á PALHA BLANCO

25.01.18 | barreiradesombra

family_@Emilio.jpgÉ com esta nota que a família Levesinho dá a conhecer que está de volta á gestão da Praça de Toiros Palha Blanco em Vila Franca de Xira:

 

"VILA FRANCA ESTAMOS DE REGRESSO!!!

 

Obrigado a todos!!

 

Informamos que tomámos conhecimento que a Santa Casa da Misericórdia confiou no nosso projeto para gerirmos a Centenária Palha Blanco, Praça de Toiros Mítica de Vila Franca de Xira.

 

Para nós é um orgulho e uma imensa responsabilidade e tudo faremos para contribuir para o engrandecimento da Palha Blanco, de Vila Franca e da Festa Nacional!"

 

Foto: Emilio

Pág. 1/4