Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

EM VILA FRANCA, EXPOSIÇÃO "VICTOR MENDES TOUREIRO UNIVERSAL"

25.06.17 | António Lúcio / Barreira de Sombra

IMG_9920.JPG

Assim se denomina a exposição inaugurada na tarde de sábado 24 na Patriarcal, em Vila Franca de Xira e que estará patente ao público até Outubro deste ano,

Nela se retrata a carreira, a trajectória profissional, do matador de toiros que nasceu em Marinhais mas se radicou em Vila Franca, terra onde despontou para o toureio.

Entrando  na Patriarcal, entra-se ao mesmo tempo, num domínio muito próprio onde se sente a personalidade e a perseverança do matador que se tornou figura mundial e que teve uma carreira verdadeiramente invejável, tantos foram os troféus conquistados e o prestígio granjeados ao longo de mais de duas décadas.

A edilidade vila-franquense e todos quantos se envolveram na concretização desta exposição estão de parabéns pelo magnífico trabalho que permitirá ao grande público perceber um pouco mais da magia da festa brava.

Pode visitar a exposição de 3ª a domingo das 14h às 19h e durante o Colete Encarnado entre as 14h e as 24h na sexta e sábado e até às 20h no domingo dia 2.

 

JORNAL OLÉ ENTREVISTOU ANTÓNIO LÚCIO

24.06.17 | António Lúcio / Barreira de Sombra

foto 4.jpgAntónio Lúcio é colaborador do OLÉ desde a sua fundação e cumpriu no passado dia 13 a bonita soma de 30 temporadas como crítico tauromáquico, tendo debutado a 13 de Junho de 1987, pelas 21h, na Rádio Europa de Torres Vedras com o seu programa “Da Barreira ao Redondel” precursor do actual “Barreira de Sombra”. O jornal OLÉ quis saber junto de António Lúcio um pouco sobre este percurso de 3 décadas e sobre o que pensa quanto ao actual panorama taurino e perspectivas de futuro.

 

OLÉ António, há 30 anos iniciavas uma aventura cujo futuro se desconhecia…

 

António Lúcio – É verdade. Tinha 22 anos, alguns conhecimentos técnicos e práticos sobre toureio, e aceitei o desafio de Justino Moura Guedes para passar a ter um espaço de tauromaquia na Rádio Europa em Torres Vedras, com a primeira emissão a 13 de Junho de 1987.

 

 

Depois, como os toureiros, trilhei um percurso nem sempre fácil, procurando analisar os espectáculos sob o ponto de vista do aficionado que não se escusa a criticar, dar a conhecer aos ouvintes essas vivências fazendo a crítica de cada corrida e procurando ganhar o respeito de toureiros, ganadeiros e empresários e, claro está, de quem nos ouvia.

 

Felizmente posso dizer que isso foi alcançado e tenho que agradecer a todos quantos me ajudaram a aprender mais e a fazer melhor e espero que os mais novos aprendam alguma coisa com este meu percurso e que percebam o significado de uma palavra muito importante: respeito.

 

OLÉ – Passaste por muitas e diversas experiências: rádio, jornais, televisão, internet… Podes contar-nos um pouco?

 

António Lúcio Quando comecei, em 1987, a rádio era a aposto. Foram anos muito interessantes e intensamente vividos, com acompanhamento ao vivo de muitas corridas (houve épocas que foram mais de 100!...), muitas entrevistas em estúdio ou via telefone, muitas colaborações com outros colegas e outras rádios (Ribatejo, Voz de Alenquer, Voz do Sorraia, Popular Fm).

 

Mais tarde surgiram os jornais (Nova Verdade em Alenquer e Correio da Manhã, duas ou três crónicas na Vida Ribatejana a pedido do saudoso João Mascarenhas), mas sem nunca deixar a rádio (desde 1992 na Oásis FM em Sobral de Monte Agraço e até ao seu encerramento).

 

Em 2005 surge a RTP (estreia a 24/07/2005 na Póvoa de Varzim com Virgílio Palma Fialho e Paulo Pereira) e ainda antes disso a internet com Fernando Dias (Tauromaquia Portuguesa On-line em www.gabicontoria.pt) e com esse grande mestre que foi o Eduardo Leonardo (Toiros&Cavalos em www.toirosecavalos.com), dois projectos pioneiros nesta área que estava em estado embrionário.

 

 

Mas a rádio foi sempre, e creio que nunca deixará de ser, a minha grande paixão. Por isso vou fazendo o “Barreira de Sombra” no blog (http://barreiradesombra.blogs.sapo.pt) para não perder essa vertente.

 

Se quando me iniciei nestas lides a grande referência era o programa “Sol e Toiros”, aos poucos foram acabando os programas de tauromaquia e hoje os dedos de uma mão serão suficientes para contar os que ainda restam. Há, nitidamente, medo dos anti-taurinos e das chantagens que fazem junto das direcções das rádios.

 

Existiam jornais diários com páginas dedicadas á tauromaquia e com bons cronistas. Mas aqui também a dita evolução dos tempos fez com que muitos fechassem portas e os outros não querem toiros.

 

Hoje fala-se muito nas redes sociais, onde se “vomita” muita porcaria, muita frustração, e onde há muita falta de respeito por tudo e por todos e, sobretudo, pela Festa Brava, por parte de gente que até se diz aficionada mas que não sabem quem foi o toureio x ou y e menos ainda sobre a essência da própria tauromaquia.

 

Estamos mal neste capítulo.

 

OLÉViste tourear grandes figuras do toureio. Hoje faltam valores?

 

António Lúcio – Sem qualquer problema digo que tive oportunidade de ver quase todas as figuras dos anos 80 para cá e ainda alguns dos meus tempos de infância que foram referências dos anos 70. Toureavam um toiro muito diferente do que vemos lidar nos dias de hoje; havia mais competição e toiros que pediam “meças” a quem quer que fosse. O toureio a cavalo era muito mais linear que hoje (é muito mais arredondado como o toureio a pé). As praças enchiam, é verdade, mas também não devemos esquecer que se dariam pouco mais de 100/120 espectáculos ao ano e nas datas das festas das localidades e agora chegam aos 300 (e Portugal não tem mais habitantes).

 

Não faltam valores, creio eu. Falta é a muitos toureiros darem o tal passo em frente que faz toda a diferença. Que arrisquem mais, que coloquem a carne no assador (um toque na espádua direita do cavalo não é o mesmo que se for na garupa… só para dar um exemplo); procurar ganadarias que coloquem algumas dificuldades (e não falo de toiros com maus instintos). E há toureiros que o podem fazer. Basta quererem!

 

Com alguns destes jovens toureiros, com uma diminuição do número total de espectáculos, acredito que as praças voltem a encher. Não podemos esquecer que temos toureiros com mais de 25 anos de alternativa, vistos e revistos, e jovens que querem romper e que, por vezes ficam tapados. Uma das coisas que acho que faz falta a estes jovens toureiros é a de que têm de criar o seu próprio estilo, não copiar os outros porque a cópia nunca é melhor que o original. Devem mostrar a sua personalidade e o público os acolherá de braços abertos e com presença massiva nas corridas.

 

OLÉ – Toureio a cavalo e toureio a pé. Têm cabimento mais corridas mistas na temporada portuguesa?

 

António Lúcio – Acima de tudo acho que tem de haver bom toureio. A cavalo e a pé. Os bons acabam por vencer, por marcar pontos junto do público e do aficionado.

De há 2 anos para cá o toureio a pé tem vindo a conquistar maior destaque, a ter mais espectáculos, figuras espanholas a triunfarem, e alguns portugueses a darem mostras do seu valor. Também é verdade que portugueses são poucos mas têm sabido aproveitar as poucas oportunidades, como são os casos de Manuel Dias Gomes em Lisboa e António João Ferreira em Vila Franca no passado ano.

 

Quanto ao número de espectáculos com toureio a pé (corridas mistas ou só com matadores), há que ir devagar, consolidar a ideia, montar cartéis equilibrados e com interesse e, aos poucos, teremos mais e melhores espectáculos que tragam competição às duas vertentes do toureio.

 

Isto é essencial: poucos, bons e com competição.

 

OLÉ – António, como vês o panorama da chamada comunicação social taurina?

 

António Lúcio – A quantidade é inimiga da qualidade. Há por aí demasiados sites e blogues que não sabem o que é fazer uma crítica/crónica, redigir uma notícia, escrever em bom português e saber um pouco do que é a técnica do toureio, o que é o comportamento do toiro, e por aí fora…

 

Muitos, para não terem problemas (provavelmente porque sabem pouco para criticar…), despacham montes de fotografias que até podem ser boas (ou não) mas nada dizem sobre o que se passou na arena. E por aí fora…

 

Na generalidade, escreve-se mal e percebe-se pouco do toiro e da lide.

 

No que há de muito bom, a revista Novo Burladero que é um baluarte da nossa imprensa taurina, já que se mantém há mais de 30 anos com uma linha editorial muito própria e de grande independência, com categoria e solera, e o nosso OLÉ que se impôs ao longo destes 10 anos como uma referência,

 

O tempo e os leitores serão sempre os grandes juízes.

 

Resta-me agradecer ao jornal OLÉ e a ti Luís Miguel esta distinção nos meus 30 anos de crítico tauromáquico.

 

 

40 ANOS DE ALTERNATIVA - JANTAR DE HOMENAGEM A MANUEL JORGE DE OLIVEIRA

24.06.17 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Fotos de Fernando Clemente

www.parartemplarmandar.com

MAESTRO VICTOR MENDES HOMENAGEADO NA SEMANA DA CULTURA TAUROMÁQUICA

23.06.17 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Nota de Imprensa - Vila Franca de Xira, 23 de junho 2017 – A 28.ª edição da Semana da Cultura Tauromáquica (SCT), organizada pela Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, decorre a partir desta sexta-feira, 23 de junho, até dia 29.

 

A iniciativa pretende aprofundar os conhecimentos e vivência da tauromaquia, sendo o grande homenageado desta edição o Maestro Victor Mendes. É um dos nomes de maior relevância do toureio em Portugal, Espanha, França e América Latina, tendo atingido patamares de projeção e excelência que poucos alcançam nesta arte.

 

A homenagem realiza-se através de uma grande exposição, no edifício do Celeiro da Patriarcal, em Vila Franca de Xira (R. Luís de Camões), com o tema “Victor Mendes. Toureio Universal”, que promete mais uma vez surpreender o público. A inauguração está marcada para dia 24, sábado, pelas 18h30.

 

A mostra completa o ciclo de quatro homenagens a figuras do toureio que se pretendeu realizar neste mandato autárquico, prolongando-se até à Feira Anual de outubro, encerrando no dia 8 desse mês.

 

Complementando a exposição haverá um programa de três colóquios, no mesmo local, com oradores e moderadores de destaque, para debater temas que permitem enriquecer o nosso conhecimento sobre o Maestro e sobre a Tauromaquia (ver programa abaixo).

 

Na noite do dia 24, é de destacar também uma Novilhada, na Praça de Toiros “Palha Blanco”, com jovens valores da Escola de Toureio José Falcão (Vila Franca de Xira) e escolas convidadas de Espanha e México (o programa pode ser visto em anexo).

 

A SCT inclui ainda o lançamento do livro “Rituais de Bravura”, que também assinala os 85 anos do Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca de Xira, com o patrocínio da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira. O momento decorrerá no dia 29, quinta-feira, pelas 18h30, na Praça de Toiros “Palha Blanco”, no antigo espaço do “Redondel”.

 

As Tertúlias da cidade também se apresentam ao público no dia 25, no Jardim Municipal Constantino Palha, para um dia de convívio e alegria, fora do seu espaço habitual. Algumas delas, abrem as portas das suas sedes também durante a semana.

A restante programação é intensa e variada, incluindo um espetáculo de Fado e Flamenco; uma exibição equestre, um Treino de Forcados aberto ao público ou uma uma ida ao campo para conhecer os toiros das Esperas do Colete Encarnado.

 

Programa de colóquios:

25 Junho (domingo)

21h30 – Colóquio “Victor Mendes. Toureiro Universal”

Moderador:

- Juan Miguel Nuñez (Diretor EFE Madrid)

Oradores:

- Dr. Carlos Franco (Médico cirurgião)

- Vicente Ruiz “El Soro” (Maestro)

- José Nelo “Morenito Maracay” (Maestro)

- Victor Mendes (Maestro)

 

26 de Junho (segunda-feira)

21h30 – Colóquio “O Toureio do Final do Milénio”

Moderador:

- Paco Aguado (jornalista, escritor e crítico taurino espanhol)

Oradores:

- Juan António Ruiz “Espartaco” (Maestro)

- António Ferrera (Maestro)

- Victor Mendes (Maestro)

- Luís Ramos (Médico cirurgião)

 

FALECEU PEDRO CARDOSO

23.06.17 | António Lúcio / Barreira de Sombra

luto.jpg 

Fui colhido de surpresa com a notícia que esta madrugada era dada a conhecer. Pedro Cardoso falecera vítima de acidente de viação perto de Valada, Cartaxo.

O Pedro foi proprietário e director da revista Contra-Barreira da qual fui colaborador. Casado com a Sandra Batalha, filha de José Júlio Batalha outro insígne aficionado, tinha uma filha ainda menor, fruto deste casamento.

Tendo terminado a vida da revista, o Pedrod edicou-se à apicultura e à agricultura, era formador, e não deixara de ser um dos nossos, um bom aficionado.

Á família enlutada, e em especial à Sandra, os meus mais sentidos pêsames. Que o Pedro descanse em paz.

OLÉ Nº 405, AMANHÃ NAS BANCAS

21.06.17 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Estará nas bancas amanhã, quinta-feira 22, a edição nº 405 do jornal OLÉ.

 

Além das habituais rubricas duas grandes entrevistas a não perder: Matador e Empresário Fernando Santos e do Crítico António Lúcio. 
 
 
Crónicas de Albufeira, Cartaxo, Santarém e Tentadero do Cabo.

OLE 405 CAPA.jpg

 

PESSOA DE CARVALHO DESTACA 5 PONTOS PARA A CORRIDA DE 16 DE JULHO EM MOURA

20.06.17 | António Lúcio / Barreira de Sombra

160717 - mOURA.jpgNo próximo dia 16 de Julho pelas 22H30 a Praça de Toiros José de Almeida em MOURA volta a abrir as suas portas, para uma fabulosa corrida de toiros!

 

Será um concurso de ganadarias com 6 imponentes exemplares, que prometem desde já trazer emoção à ARENA da José Almeida e fazer reviver em MOURA, os áureos tempos das grandes corridas de toiros.

1º - António Ribeiro Telles, figura Máxima em todo o mundo tem demonstrado já este ano toda a sua Arte na defesa do bom Toureio a Cavalo à portuguesa com êxitos inolvidáveis em Salvaterra e mais recentemente em Évora. 

2º - Luis Rouxinol, na comemoração dos seus 30 anos de alternativa, um toureiro completo, um guerreiro de grande qualidade!

3º - João Ribeiro Telles, um cavaleiro ainda jovem, mas cheio de maturidade e arte, não tem toureado muito e privilegia os bons carteis e de verdadeira competição!

 

4º - Grupo de Forcados de VFX e os do Real Grupo de Moura, competição à vista com um dos melhores e mais sólidos grupos da actualidade e os sempre valentes da terra, dois grupos juntos com mais de 130 anos de História!

 

5º - Um Imponente Concurso de Ganadarias para rematar esta abertura da histórica praça de toiros de MOURA, como MOURA merece!

Estarão em praça os seguintes intervenientes:

 

160717 - mOURA 2.jpgCAVALEIROS

- António Telles

- Luis Rouxinol

- João Ribeiro Telles


FORCADOS

- Forcados Amadores de Vila Franca de Xira

- Real Grupo de Forcados Amadores de Moura

 

Concurso de Ganadarias com TOIROS de:

- Pinto Barreiros

- António Lampreia

- Falé Filipe

- Santiago

- Calejo Pires

- Monte Cadema

SÃO CRISTÓVÃO - EM DATA TRADICIONAL, UM MOMENTO PARA A HISTÓRIA

20.06.17 | António Lúcio / Barreira de Sombra

160717 - São Cristovão.jpgA localidade de São Cristóvão volta um ano mais a receber a sua tradicional Corrida de Toiros por ocasião das Festas em Honra de São Cristóvão e São Sebastião, e no qual ficará marcada com um dos momentos para a história da tauromaquia portuguesa.

A edição XXIX da sua corrida terá lugar no dia 15 de Julho pelas 22:00 contará com um cartel onde pela primeira vez António Ribeiro Telles atua junto a seu filho – António Ribeiro Telles Jr – num cartel composto ainda pelo cavaleiro Marcelo Mendes, e os forcados amadores de Montemor e Ribatejo.

Em noite para a História lidam-se quatro toiros e um novilho da prestigiada divisa portuguesa de Ribeiro Telles.