Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

QUANDO CAEM AS MÁSCARAS….

28.02.17 | barreiradesombra

IMG_3510.JPGMostra-se o verdadeiro caráter das pessoas. Não restam dúvidas que, muitas das vezes, a fachada não corresponde ao interior e, no caso do ser humano, as máscaras não são apenas um apetrecho que se utiliza nesta época do Carnaval.

 

A máscara permite a fantasia, o disfarce, que até pode ser grotesco (e representar na perfeição quem o utiliza), como se assiste nestes dias de presunta folia mas onde muita gente aproveita para viver aquilo que na vida real não passa de um imaginário qualquer, querendo assumir a fantasia do que não são e nunca poderão vir a ser e que os mais grotescos, quiçá, o sejam assim na sua própria vida diária, na sua verdadeira essência.

 

E se essa essência não resiste à máscara, ao disfarce, para mostrar aquilo que não são, continuarão sempre assim, a precisar desse disfarce, que cai com frequência, porque tudo o que é genuíno não carece de máscara ou de disfarce.

 

Se transpusermos isto para a tauromaquia, sem máscaras e sem disfarces está, sempre, o toiro.  E as grandes figuras, que sempre o serão. Reconhecidos e deixando saudades dos seus feitos, dos que os tornaram diferentes dos demais, sem máscaras, em disfarces. Figuras dentro e fora das arenas.

 

As tentativas de imitação nuca passarão disso e a sua mentalidade não lhes permite ver além do seu ângulo de visão, do que lhes dizem os aduladores mais próximos, presumindo também eles, mas que ao fim de algum tempo, e caída a capa do disfarce, já não se podem ver nem ouvir. E ainda são capazes de negar as evidências. Desses não rezará a história dos grandes…

 

Quando caem as máscaras vê-se o quão déspotas podem ser alguns e o quão faltos de personalidade e de caráter podem ser outros.

 

A livre expressão de opinião – consagrada na Lei Fundamental, a Constituição da República Portuguesa -, dentro dos limites do respeito pela verdade e pela dignidade das pessoas, não pode nunca ser cerceado ou limitado apenas porque não se gosta dessa opinião. E o respeito pela Lei e pela dignidade das pessoas é muito bonito. Ainda que para alguns…

CORRIDA DO TOMATE, PALHA BLANCO 7 DE MAIO 2017

28.02.17 | barreiradesombra

Montra.jpg

A empresa Toiros e Cultura Lda, de Paulo Pessoa de Carvalho dá a conhecer o cartaz da corrida de Toiros de dia 7 de maio na PALHA BLANCO, corrida que será a Corrida de Toiros do Tomate 2017.

 

Nessa corrida será lidado um imponente lote de toiros de 6 afamadas ganadarias, ficando o cartel com a seguinte composição:

 

Cavaleiros

- Francisco Palha

- Jacobo Botero

- João Salgueiro da Costa

 

Forcados

- Vila Franca de Xira

- Alcochete

 

Toiros

- Branco Núncio

- Pinto Barreiros

- António Silva

- Eng. José Luis Vasconcelos e Sousa d`Andrade

- Eng. Jorge de Carvalho

- Passanha Sobral

 

Esta corrida será mais um Concurso de Ganadarias na PALHA BLANCO, estando em disputa os troféus bravura e apresentação, que serão atribuídos por um júri constituído pelos representantes das ganadarias a concurso.

 

Estará ainda em disputa na sua 3ª edição, o Troféu João Vila Verde para o melhor grupo em praça, sendo o júri constituído pelos Senhores: João Franco, João Cortes, António Manuel Cardoso (Néné), Jorge Faria (GFAVFX) e Vasco Pinto (GFAA).

CAVALOS DE MÓNICA SERRANA JÁ CHEGARAM A PORTUGAL

27.02.17 | barreiradesombra

Depois de terem viajado para os Estados Unidos e daí terem viajado de avião até á Holanda, viajaram de camião até Portugal, mais precisamente para a Quinta da Estrela, na Caparica propriedade do cavaleiro Vitor Ribeiro, que neste momento ocupa o lugar de equitador da cavaleira mexicana.

A quadra que Mónica Serrano trouxe para Portugal é composta por 12 cavalos.

Esta previsto Mónica Serrano tourear em Portugal esta temporada cerca de 15 corridas de toiros.

A primeira corrida de Mónica Serrano, será no dia 29 de Abril na Corrida da Ovibeja e compartirá cartel com Andy Cartagena e Francisco Palha. Nessa corrida actua ainda o amador Joaquim Brito Paes.

Serão lidados toiros da ganadaria Vinhas e pegam os grupos de forcados de S. Manços, Cascais e Beja.

 

Fotos: João Silva

SOCIEDADE MOITENSE DE TAUROMAQUIA ENTREGOU PRÉMIOS 2016

24.02.17 | barreiradesombra

A Sociedade Moitense de Tauromaquia, presidida por Pedro Brito de Sousa, entregou ontem os prémios aos triunfadores da Feira da Moita 2016 num jantar no Solar da Freira. Uma noite agradável e com a presença de quase todos os premiados (apenas El Fandi não pode estar presente e delegou em Rafael Vilhais).

Palavras bonitas e sentidas as de Paulo Caetano, como também importante foi o reconhecimento de José Maria Bettencourt para com Gonçalo Veloso, ou as palavras de Diego Ventura, confirmando o alto nível dos premiados e a forma como entendem o valor deste prémio.

As fotos de João Dinis/Touro e Ouro ilustram o que se passou no jantar.

_MG_1567.JPG_MG_1566.JPG

_MG_1569.JPG

_MG_1573.JPG

_MG_1579.JPG

_MG_1580.JPG

_MG_1581.JPG

_MG_1585.JPG

_MG_1586.JPG

_MG_1587.JPG

_MG_1589.JPG

_MG_1592.JPG

_MG_1596.JPG

_MG_1599.JPG

_MG_1600.JPG

_MG_1602.JPG

 

 

SÓ PARA NÃO DEIXAR ESQUECER O QUE FEZ HISTÓRIA HÁ MAIS DE 10 ANOS ATRÁS

23.02.17 | barreiradesombra

Creio que algumas pessoas se entretêm a perorar sobre as organizações e os eventos sem tomarem conta de que muitas das coisas que se dizem nas redes sociais apenas aproveitam àqueles que são contra a Festa Brava, qualquer que seja a sua manifestação.

Estive presente na I Feira Mundial do Toiro em Sevilha, como estive presente nas Feiras do Toiro em Santarém, na Feira de Campo na Torrinha e agora no Bullfest. Nenhuma das três Feiras teve continuidade apesar do enorme sucesso que fizeram em termos de público e de actos que ocorreram durantes os dias em que estiveram abertas ao público.

Se calhar não tiveram continuidade porque algumas pessoas se fartaram das críticas (nem sempre construtivas) e do árduo trabalho que é erguer e manter estes eventos, ao invés dos que apenas gostam de criticar por criticar apenas porque sim.

Em Santarém, recordam-se ? houve 4 festivais em defesa da Festa Brava com uma enorme presença de público e recolheram-se, nessa altura, muitos milhares de assinaturas numa petição cujo primeiro elemento era Francisco Moita Flores, ao tempo Presidente da Cãmara Municipal de Santarém.

Na Assembleia da República, e fruto de trabalho de bastidores de bastante gente, foram sendo travadas todas as inicitaivas que visavam proibir a Festa Brava...

Mas para não deixar esquecer alguns e mostrar a ouytros o que foi feito há mais de 10 anos, deixo-vos notícias retiradas do Correio da Manhã, da Lyfestile, do Mirante. Atestam bem o êxito que foram as Feiras do Toiro em Santarém mas que teve o seu fim em 2006...

* * * * * * * *

EMOÇÕES IBÉRICAS: SANTARÉM ACOLHE FEIRA DO TOURO

São três dias dedicados à festa brava, na primeira grande feira nacional dedicada ao animal. O programa é variado, e não descura nada do que tenha a ver com faenas taurinas. Em Santarém, entre 14 e 16 deste mês.

Terra de touros, bandarilhas e forcados, Santarém foi o cenário escolhido para a primeira Feira Nacional do Touro Bravo, que decorre entre 14 e 16 de Fevereiro. Em três dias, o programa da Feira – sob o tema “Emoções Ibéricas” – é vasto e diversificado. Como garante Joaquim Grave, um dos ganadeiros presentes no certame, “é preciso lembrar que a realidade cultural do toiro não se esgota nas duas horas de espectáculo de uma corrida.” Para quem gosta das lides taurinas as corridas serão, sem dúvida, um dos pontos altos. Mas há mais. No centro da Feira, as principais Ganadarias e Coudelarias portuguesas – juntas perfazem 60 representações – expõem anos de tradição. Depois, uma alargada panóplia de organismos do universo taurino ajuda a “compor o ramalhete”: museus e clubes taurinos, associações taurinas nacionais e internacionais e grupos de forcados amadores. Para todos os gostos e feitios – leia-se, leigos e ‘experts’ em questões de tauromaquia – a Feira considerou vários atractivos para marcar a sua estreia nacional. As ‘mais’ nobres manifestações culturais, como a pintura, a escultura e a fotografia também marcam presença, bem como o artesanato, os acessórios e artigos de referência que dispersam a atenção sem se desviarem do tema: o toiro é o rei da festa mas, em seu torno, rodam vários “satélites” que atraem o turismo à região. Como é pretensão de Pedro Torres, da comissão executiva da Feira: “Queremos, com esta feira, continuar a chamar os valores mais altos da região e ajudar a colocar o Ribatejo no roteiro dos destinos turísticos nacional e internacional”. Como convém.

VINHOS E GASTRONOMIA Se Portugal aposta na sua imagem a nível internacional – recorde-se a recente campanha apresentada pelo ICEP para promover o nosso País – não deve esquecer-se também de dignificar as várias regiões. A tauromaquia impera durante três dias no Ribatejo mas a gastronomia e os vinhos são outros trunfos de relevo, numa mostra variada de restaurantes e tasquinhas distribuídos pelo recinto. E, pela dimensão da Feira – oito mil metros quadrados – é possível antecipar a multiplicidade de expositores institucionais e comerciais que não quiseram faltar à festa. No recinto, espaço ainda para a indispensável praça (de 50 metros de diâmetro), palco de um elenco de luxo. Já confirmadas estão duas gerações de toureiros: Joaquim Bastinhas e (o filho) Marco, Ana Baptista, Rui Bento Vasquéz, Joaquín Diaz, a família Ribeiro Telles, Paulo Caetano e o filho João, e João Moura Jr. Só para citar alguns. Os forcados também não faltam à festa e, vestidos a rigor, pisam a praça para enfrentar os touros. O Grupo de Forcados Amadores de Santarém, Lisboa e Moura (Sábado) e os de Montemor, Aposento da Moita e Aposento da Chamusca (Domingo), também já estão garantidos. Já sabe, nos próximos dias 14 a 16, entre as 12h00 e as 22h30 (com excepção de domingo com encerramento às 19h15), a primeira Feira Nacional do Toiro Bravo custa cerca de seis euros. Portugal e Espanha, os anfitriões, saúdam a tradição tauromáquica.

FILHO DE ANTHONY QUINN VAI À FEIRA Artista tauromáquico? Talvez a expressão seja exagerada mas o filho do conceituado actor Anthony Quinn – Lorenzo Quinn - vem a Portugal mostrar o seu trabalho. E não se pense que vai representar um personagem taurino. Nada disso. Na verdade, a sua deslocação serve para mostrar uma obra poética e plástica (escultura) em sintonia com o tema que dá o mote a estas “Emoções Ibéricas”. Lorenzo Quinn tem 36 anos e já 21 de carreira artística com créditos assinaláveis. Associando o texto à escultura, o artista traz a Santarém cinco peças escultóricas, avaliadas em 150 mil euros, nas quais o espectador é transportado para o ambiente taurino na imediatez do primeiro olhar. E ainda traz nos textos uma sombra de Hollywood…”Ser filho de uma lenda não é fácil/e formam-se opiniões pré-concebidas, /que na maioria dos casos são incorrectas. /Este peso que me rodeia, sem dúvida,/motiva-me a esforçar-me mais/e a tentar alcançar a perfeição,/que, no fundo, sei que nunca alcançarei/ e dou graças a Deus por isso.../porque no dia em que sinta que alcançei tudo,/será o dia em que morrerei como artista”

07/02/2013 – Correio da Manhã

 

Emoções Ibéricas na 1ª Feira Nacional do Toiro

25 Fev 2003 21:00 // Sabores // Notícias

A 1ª Feira Nacional do Toiro, consagrada ao Toiro Bravo e a uma variedade produtos e temas associados, terá lugar entre os dias 14 e 16 de Fevereiro, no Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), em Santarém. Uma forma de renovar e

O evento tem como lema “Emoções Ibéricas” e como objectivo “dar a conhecer ao público a vida privada do toiro e as vertentes artísticas e do espectáculo a ele associadas”, revela o ganadeiro Joaquim Grave. Promovido pelo CNEMA e pela Câmara Municipal de Santarém, a Feira Nacional do Toiro aposta também numa mostra diversificada de Gastronomia e Vinhos. Os restaurantes e tasquinhas montados no recinto vão ser acompanhados por espectáculos de música e folclore. Os organizadores esperam agradar aos visitantes, sobretudo, na área dos vinhos, devido às novidades regionais apresentadas. O encerramento da mostra gastronómica está previsto para as 4h30 da madrugada.

In http://lifestyle.sapo.pt/sabores/noticias-sabores/artigos/emocoes-ibericas-na-1a-feira-nacional-do-toiro

Santarém recebe Feira Nacional do Toiro

15 Fev 2004 20:00 // Sabores // Notícias

Santarém prepara-se para receber de 13 a 15 de Fevereiro a Feira Nacional do Toiro, certame que conta com uma considerável área de restauração.

De 13 a 15 de Fevereiro, Santarém, capital ribatejana, recebe a 2ª edição da Feira Nacional do Toiro, a maior concentração ibérica de criadores de toiros e cavalos. O certame envolve o trabalho diário de cerca de 300 pessoas, no apoio ao programa alargado para a presente edição. Para a Feira deste ano haverá um aumento significativo da área de restauração de modo a poder atender os mais de 50 mil visitantes esperados em Santarém. Também o espaço para os amantes da noite foi alargado. À variedade de expositores presentes na feira, associar-se-á uma diversificada e apelativa mostra de Gastronomia e Vinhos, espanhola e portuguesa, em restaurantes e tasquinhas montados no recinto para o efeito, e nas inúmeras casetas distribuídas pela Feira. O auditório do CNEMA, que tem capacidade para 1000 pessoas, irá estar a transmitir em directo e durante toda a feira, os espectáculos que decorrem na Praça da Feira. A organização assegura ainda um sistema audiovisual que possibilitará a todos os visitantes em qualquer ponto do recinto, a visualização destes mesmos espectáculos. A Feira Nacional do Toiro cujo preço do bilhete ronda os sete euros, pode ser visitada entre as 12h00 e as 23h00, excepto Sexta-feira, que abre às 14h30 e Domingo, que encerra às 20h00.

In http://lifestyle.sapo.pt/sabores/noticias-sabores/artigos/santarem-recebe-feira-nacional-do-toiro

Feira do Toiro regressa a Santarém

Centro Nacional de Exposições acolhe evento entre 17 e 19 de Fevereiro

Edição de 01.02.2006 | Economia

 

A Feira Nacional do Toiro tem novo encontro marcado com os aficionados entre 17 e 19 de Fevereiro no recinto do Centro Nacional de Exposições (Cnema), em Santarém.O mundo rural e as raízes ribatejanas vão estar em foco através de “um conjunto de valores, artes e tradições que constituem no nosso país um património cultural de valor inestimável”, diz a organização.O projecto iniciou-se em 2003 numa parceria que envolveu figuras ligadas à festa brava, a Câmara de Santarém e o CNEMA. Entre os cerca de 200 expositores que irão estar presentes contam-se 70 ganadarias e coudelarias portuguesas mais representativas, enquadrando cria-dores espanhóis de “solera” como Eduardo Miura, Álvaro Domecq e Vitorino Martin.A organização prevê ainda uma presença maciça dos meios de comunicação social da especialidade, portugueses e espanhóis, das instituições, dos clubes taurinos e das empresas ligadas ao meio. No plano das artes o ponto mais alto será a exposição promovida pela Casa dos Patudos de Alpiarça onde se poderá apreciar o legado de Carlos e José Relvas relacionado com o mundo rural e a tauromaquia. Exposição inédita com obras de valor incalculável de Silva Porto, Malhoa, Columbano, Roberto Domingo etc.Estará também presente a obra de Lorenzo Quinn entre outros escultores de reconhecido valor. haverá várias exposições fotográficas salientando-se a do célebre “Cano” através da qual se poderá reviver a história da tauromaquia espanhola do século passado.O comercio - pintores, livreiros, artigos de campo, vinhos, “trastes de tourear” etc. - e o artesanato estarão presentes. A música e a gastronomia fazem parte de uma festa que se prolonga pela noite dentro e por isso não poderiam faltar.Irão funcionar em permanência dois recintos de espectáculos, um em cada nave, onde decorrerão espectáculos que permitirão ao visitante conhecer melhor a realidade que não chega às praças de toiros. A família Ribeiro Telles vai de novo levar-nos à “Torrinha”, Emídio Pinto conta-nos a sua “Lusitana Paixão” e Salvador Távora recupera “Emoções Ibéricas”. A figura do inesquecível João Vilaverde vai estar presente num espectáculo todo inspirado na sua dedicação ao toiro e ás fainas do campo.A demonstrar como se preparam os cavalos de toureio, a quase totalidade dos cavaleiros portugueses. Serão homenageados os “4 cavaleiros da apoteose” – irmãos Peralta, Lupi e Domecq.Toureiros portugueses e espanhóis demonstrarão como se seleccionam nas ganaderias mais conhecidas as reses bravas, tudo ao som da Banda de Alcochete e, imagine-se, ao som da banda da Real Maestranza de Sevilha.Muitos outros espectáculos, que serão revelados nos programas definitivos, poderão ser vistos ao vivo ou, quando as lotações esgotarem, através dos ecrãs espalhados pelo recinto da Feira, que, pela sua decoração, mais vai parecer uma herdade alentejana ou ribatejana.Valerá a pena estar entre os mais de 50 000 visitantes que se espera visitem uma festa só possível pela mobilização generalizada de todos os que acreditam que o mundo rural guarda alguns dos tesouros da nossa identidade.

In https://omirante.pt/semanario/2006-02-01/economia/2006-02-01-feira-do-toiro-regressa-a-santarem

Feira do Toiro regressa a Santarém

Um vasto leque de toureiros a pé e a cavalo, forcados, músicos, actores e outras figuras do mundo da festa brava vai marcar presença nos espectáculos da terceira edição da Feira Nacional do Toiro, que decorre em Santarém entre 17 e 19 de Fevereiro. Ao longo dos três dias, no recinto do Centro Nacional de Exposições (CNEMA), os espectáculos vão suceder-se sem interrupção entre as 12h00 e as 23h00.

A organização prevê, entre muitos outros, a participação de nomes como os de Paulo Caetano, família Ribeiro Telles, Joaquim Bastinhas, José Manuel Duarte, Luís Rouxinol, João Salgueiro, Álvaro Domecq, Vítor Mendes, José Luís Gonçalves e Gonçalo Veloso.“O nível destes artistas constitui garantia da qualidade e diversidade dos espectáculos”, diz a organização. Quem não conseguir lugar na praça de toiros e picadeiro montados para o efeito, poderá ver as actuações através de ecrãs gigantes montados no recinto.O mundo rural e as raízes ribatejanas vão também estar em foco através de “um conjunto de valores, artes e tradições que constituem no nosso país um património cultural de valor inestimável”.A Feira Nacional do Toiro iniciou-se em 2003 numa parceria que envolveu figuras ligadas à festa brava, a Câmara de Santarém e o CNEMA. Entre os cerca de 200 expositores que irão estar presentes contam-se 70 ganadarias e coudelarias portuguesas mais representativas, enquadrando criadores espanhóis de “solera” como Eduardo Miura, Álvaro Domecq e Vitorino Martin.A organização prevê ainda uma presença maciça dos meios de comunicação social da especialidade, portugueses e espanhóis, das instituições, dos clubes taurinos e das empresas ligadas ao meio. No plano das artes o ponto mais alto será a exposição promovida pela Casa dos Patudos de Alpiarça onde se poderá apreciar o legado de Carlos e José Relvas relacionado com o mundo rural e a tauromaquia. Exposição inédita com obras de valor incalculável de Silva Porto, Malhoa, Columbano, Roberto Domingo etc.Estará também presente a obra de Lorenzo Quinn entre outros escultores de reconhecido valor. Teremos várias exposições fotográficas salientando-se a do célebre “Cano” através da qual se poderá reviver a história da tauromaquia espanhola do século passado.O comércio - pintores, livreiros, artigos de campo, vinhos, “trastes de tourear” etc… - e o artesanato estarão presentes. A música e a gastronomia fazem parte de uma festa que se prolonga pela noite dentro e por isso não poderiam faltar.Irão funcionar em permanência dois recintos de espectáculos, um em cada nave, onde decorrerão espectáculos que permitirão ao visitante conhecer melhor a realidade que não chega às praças de toiros. A família Ribeiro Telles vai de novo levar-nos à “Torrinha”, Emídio Pinto conta-nos a sua “Lusitana Paixão” e Salvador Távora recupera “Emoções Ibéricas”. A figura do inesquecível João Vilaverde vai estar presente num espectáculo todo inspirado na sua dedicação ao toiro e às fainas do campo.Teremos, demonstrando como se preparam os cavalos de toureio, a quase totalidade dos cavaleiros portugueses. Serão homenageados os “4 cavaleiros da apoteose” – irmãos Peralta, Lupi e Domecq.Toureiros portugueses e espanhóis demonstrarão como se seleccionam nas ganaderias mais conhecidas as reses bravas tudo ao som da Banda de Alcochete e, imagine-se, ao som da banda da Real Maestranza de Sevilha.Muitos outros espectáculos, que serão revelados nos programas definitivos, poderão ser vistos ao vivo ou, quando as lotações esgotarem, através dos ecrãs espalhados pelo recinto da Feira, que, pela sua decoração, mais vai parecer uma herdade alentejana ou ribatejana.

In http://omirante.pt/cultura-e-lazer/2006-02-17-feira-do-toiro-regressa-a-santarem

3ª Feira Nacional do Toiro - 2006 17 a 19 Fevereiro

 

 

Apresentação

 

Programa [PDF]

Nos dias 17,18 e 19 de Fevereiro de 2006 realizar-se-à  a 3ª Feira Nacional do Toiro nas instalações do CNEMA, em Santarém. Pelo extraordinário êxito das duas primeiras edições de 2003 e 2004, decidiu a organização cuidar ao extremo este importante evento taurino e realizá-lo com uma periodicidade bienal. Com efeito, cada feira supõe um gigantesco esforço e um conjunto de boas vontades praticamente impossível de levar acabo todos os anos. A próxima edição de 2006, terá por todos os motivos um esplendor ainda maior, se possível. Estarão presentes todas as ganadarias e coudelarias de relevo, assim como figuras de toureio de renome internacional. Os espectáculos terão a qualidade a que o público já se habituou nas anteriores edições. Haverá igualmente grande participação da parte comercial e, como já vem sendo hábito, uma envolvente cultural significativa. A 3ª Feira Nacional do Toiro proporcionará uma vez mais, na verdadeira sala de visitas do Ribatejo, um ambiente único só possível pela magia que os dois reis da zoologia estética, Toiro Bravo e Cavalo Lusitano, encerram. Os valores, a arte e a simbologia ibérica, voltarão a estar imanados durante cada um dos três dias que culminarão com o tão esperado  espectáculo “Emoções Ibéricas”, onde todos sentirão apaixonadamente um mundo tão enraizado no passado, tão verdadeiro no presente e tão genuíno e diferente no futuro.

Horário

Dia 17/02 - 12/23h Dia 18/02 - 12/23h Dia 19/02 - 11/21h Bilhetes 1 Dia - 8,00 € 3 Dias - 18,00 €

In http://www.cnema.pt/calendario_apresentacao.php?aID=878

17fev – Praça de Toiros

Toureio a Cavalo

Toureio Apeado

Forcados

Doma Vaquera”

Banda de Musica

Mulas de “La Linea"

Esc. Equit. Tradicional Portuguesa

Fado

Cavalos Toureiros

“Recordando Emoções”

 

Picadeiro

Selecção de Garanhões Lusitanos

“Doma Vaquera”

Troféu “Emoções Ibéricas” - Dressage

Baile Flamenco Equestre

Mulas de "La Linea"

Cavalos Toureiros

Esc. Equit. Tradicional Portuguesa

 

18fev – Praça de Toiros

Toureio Apeado

Banda de Musica

Toureio a Cavalo

Forcados

Toureio Apeado

Equitação de Trabalho

avaleiros da Apoteose”

Um Dia na Torrinha”

Intervalo

Banda de Musica

Veiga "Tradição e Futuro”

Toureio Apeado

Mulas de "La Linea"

Escola Portuguesa de Arte Equestre

Toureio a Cavalo

Forcados

Cavalos Toureiros

“Recordando Emoções”

 

Picadeiro

Troféu “Emoções Ibéricas” - Obstáculos

Campo Infante da Câmara

“Doma Vaquera”

Gentes do Ribatejo

Equitação de Trabalho

Mulas de “La Linea”

Demonstração de Ensino

Escola Portuguesa de Arte Equestre

Baile Flamenco Equestre

Fado Marialva

Cavalos Toureiros

Festa Vilaverde

 

19Fev – Praça de Toiros

Toureio Apeado

Forcados

Banda de Musica

Toureio a Cavalo

Forcados

Toureio Apeado

Lusitana Paixão”

Toureio a Cavalo

Forcados

Toureio Apeado

Festa Vilaverde

 

Picadeiro

Troféu “Emoções Ibéricas” - Velocidade

Gentes do Ribatejo

Lusitanus Team

Equitação de Trabalho

Baile Flamenco Equestre

“Lusitana Paixão”

 

NAVE A – Auditório Taurino

17 fev

15.00 - Filmes Taurinos

17.30 - Colóquio Taurino

A Lide no Campo”

Correndo os Toiros”

20.00 - Conferência

Lusitano - O Cavalo de Sempre”

21.30 - Banda de Musica de Alcochete

 

18 fev

14.30 - Filmes Taurinos

16.00 - Teatro Taurino - “O Touro"

17.30 - Banda de Musica R. M. Sevilha

18.30 – Colóquios – Falando de Toiros

20.30 - Entrega de Prémios – Tauromania

 

 

19 fev

14.30 - Filmes Taurinos

16.30 - Teatro Taurino - “O Touro”

 

JOÃO D`ALVA ALUNO DA ESCOLA JOSÉ FALCÃO NO CERTAME "LA FRAGUA" EM FRANÇA

22.02.17 | barreiradesombra

La Fragua IV.jpgJOÃO D`ALVA FOI UM DOS DOZE SELECIONADOS, PARA PARTICIPAR NO IV CERTAME LA FRÁGUA EM PONTONX SUR LADOUR (DAX) FRANÇA NOS DIAS 25 e 26 DE FEVEREIRO DO PRESENTE MÊS.

FORAM SELECIONADOS 12 ALUNOS DAS ESCOLAS TAURINAS DE MADRID, TOLEDO, MÁLAGA SEVILHA 2 ALUNOS, CAMAS, BADAJOZ,COLLADO VILLALBA, JOSÉ FALCÃO, MÉXICO, ARLES e ADOUR.

 

SÁBADO, 2 TENTADEROS DE APURAMENTO DE 6 VACAS CADA UM, DO QUAL SAEM OS 4 MELHORES CLASSIFICADOS PARA TOUREAREM A NOVILHADA DE DOMINGO, 5 NOVILHOS DE MIRANDA DE PERICALVO O TRIUNFADOR, TOUREIA O QUINTO NOVILHO.

Informa: José Rainho

SEVILHA 2017 – UMA FEIRA DE LUXO

22.02.17 | barreiradesombra

As maiores figuras e as melhores ganadarias estão presentes em mais uma edição da Feira de Abril (que se prolonga até 7 de Maio) em Sevilha na sua Real Maestranza de Caballeria.

Estes são os cartéis:

Domingo 16 de abril. Páscoa. Toiros de Núñez del Cuvillo para Morante de la Puebla, José María Manzanares e Roca Rey.

Domingo 23 de abril. Toiros de Fuente Ymbro para Diego Urdiales, Manuel Jesús "El Cid" e Joselito Adame.

Quarta-feira 26 de abril. Toiros de Torrestrella para José Garrido, Álvaro Lorenzo e Ginés Marín.

Quinta-feira 27 de abril. Toiros de Garcigrande – D. Hernández para Morante de la Puebla, Julián López "El Juli" e Alejandro Talavante.

Sexta-feira 28 de abril. Toiros de Juan Pedro Domecq - Parladé para Enrique Ponce, José María Manzanares e López Simón.

Sábado 29 de abril. Toiros de Victorino Martín para Antonio Ferrera, Manuel Escribano e Paco Ureña.

Domingo 30 de abril. Rejoneio. Toiros de Fermín Bohórquez para Sergio Galán, Diego Ventura e Lea Vicens.

Segunda-feira 1 de maio. Toiros de Daniel Ruiz para Rivera Ordóñez "Paquirri", Julián López "El Juli" e Cayetano.

Terça-feira 2 de maio. Toiros de García Jiménez – Olga Jiménez para Morante de la Puebla, Miguel Ángel Perera e Javier Jiménez.

Quarta-feira 3 de maio. Toiros de Jandilla - Vegahermosa para Juan José Padilla, David Fandila "El Fandi" e Manuel Escribano.

Quinta-feira 4 de maio. Toiros de Núñez del Cuvillo para Morante de la Puebla, Alejandro Talavante e David Mora.

Sexta-feira 5 de maio. Victoriano del Río – Toiros de Cortés para Sebastián Castella, José María Manzanares e Roca Rey.

Sábado 6 de maio. Toiros de El Pilar – Moisés Fraile para Juan José Padilla, Antonio Ferrera e López Simón.

Domingo 7 de maio. Toiros de Miura para Antonio Nazaré, Pepe Moral e Esaú Fernández.

Pág. 1/5