Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

RAFAEL VILHAIS EMPRESÁRIO DA MOITA POR 5 ANOS

30.11.16 | barreiradesombra

Comunicado

A Sociedade Moitense de Tauromaquia, SA. informa, que o seu Conselho de Administração decidiu aceitar a proposta apresentada pelo Exmo. Senhor Rafael Vilhais, para a Exploração Taurina da Praça de Toiros Daniel do Nascimento nos próximos cinco anos.

 

       Moita, 29 de Novembro de 2016

 

                                                  O Conselho de Administração.

Padilla inaugura a temporada dos 125 anos do Campo Pequeno

28.11.16 | barreiradesombra

Padilla.jpg

O matador de toiros espanhol Juan José Padilla, o novo ídolo dos aficionados portugueses, inaugurará a temporada de 2017, no Campo Pequeno, no dia 6 de Abril.

 

Padilla, com dez voltas à arena e duas saídas em ombros do Campo Pequeno, nos dias 14 de Julho e 29 de Setembro de 2016, foi o triunfador absoluto da temporada de Lisboa.

 

A próxima temporada tem para o Campo Pequeno um significado especial pois será a da comemoração dos 125 anos da inauguração da praça, ocorrida a 18 de Agosto de 1892.

Foto: Frederico Henriques

AS GANADARIAS QUE VI LIDAR EM 2016

27.11.16 | barreiradesombra

IMG_0014.jpg

Uma verdade sempre repetida e que, um ano mais, aqui fica: sem o toiro de raça brava de lide não havia tauromaquia. Não haveria esta paixão desatada por esse animal único que permite as paixões e discussões acesas acerca de uma lide, de um ferro, de uma pega. E mais ainda quando a esse animal, no final de uma lide, pelas suas excepcionais condições de bravura, lhe é concedido o direito a voltar ao campo e a padrear na ganadaria que, um dia, quatro anos atrás, o vira nascer.

grave mourão 2.jpeg

Existem encastes que permitem um maior brilho ou uma melhor expressão artística aos executantes, sejam eles cavaleiros sejam eles matadores de toiros. Todos sabemos das preferências das figuras e que estes, de certa forma, ajudam a que os ganadeiros moldem os toiros ao que são as exigências do toureio actual. Um produto que só se poderá ver nas arenas 3, 4, 5 anos depois. E até lá muita coisa pode ter mudado.

drtelles lisboa2.jpeg

Escolha-se o toiro para o essencial, para o toureio. Mas sem nunca esquecer as especificidades do toureio a cavalo e do toureio a pé. As empresas e as figuras sabem bem o que melhores resultados artísticos proporciona em cada modalidade. E por isso os escolhem sabendo que, por vezes, também, isso faz com que a emoção e o risco pareçam diminuídos. O que não é verdade.

celajo pires, sobral 1.jpeg

O toiro que investe com o focinho a roçar a arena, que repete essas humilhadas investidas, por ambos os pitóns, sempre na busca da muleta que lhe colocam por diante, terá de ser bravo e com muita classe. O que aconteceu por diversas vezes na temporada de 2016.

manuel veiga_1012.JPG

O ano de 2016, nas corridas onde estive presente, teve alguns toiros de nota elevada, com trapio, toiros bravos, encastados, com raça e levarem emoção ás praças onde foram lidados. E se dissermos que a generalidade desses toiros foram lidados a pé, onde a exigência no comportamento e na resistência é muito maior do que a do toureio a cavalo, então teremos alguns toiros de quem os ganadeiros muito se devem orgulhar.

 

 

 

 

 

 

 

 

CAMPO PEQUENO - RETROSPECTIVA 2016 - FAENAS E TOIROS

26.11.16 | barreiradesombra

campo pequeno TV.jpg

Os triunfadores de Lisboa. Análise da temporada 2016 a partir das votações de um júri formado por críticos tauromáquicos.  Toiros e toureio a pé em destaque. Comentários de Rui Bento, João Queiroz, Domingos Xavier e António Lúcio. 24 Novembro

Disponível  por subscrição mensal no canal 165 da MEO e no Videoclube da NOS, por 7,50€, com novos conteúdos semanalmente. Subscreva no MEO na NOS. Também estarão disponíveis online conteúdos selecionados no Vimeo On Demand. 

Informação: siste do Campo Pequeno

TROFEUS CAMPO PEQUENO 2016 - VOLAPIÉ – FARPAS

26.11.16 | barreiradesombra

Regressam este ano os Óscares da Tauromaquia numa louvável parceria do
"Farpas" com o "Volapié" de Joaquín Moreno, o bar mais taurino da praça do
Campo Pequeno.

 

Os prémios deste ano dizem exclusivamente respeito à Temporada Sensacional do Campo Pequeno.

 

Elegemos os melhores e vamos ainda prestar duas merecidas homenagens.

A entrega destes prémios vai ter lugar em seis jantares durante este Inverno nos corredores do átrio principal da praça de toiros, junto ao "Volapié”


Informação e Reservas para o primeiro evento dia 29 de Novembro

Em breve farei chegar informação sobre o segundo evento que sera dia 14 de Dezembro com entrega do Trofeu ao Matador “Padilla”

Entrega do primeiro trofeu dia 29 de Novembro

Trofeu VOLAPIÉ – FARPAS

Triunfadores Campo Pequeno Temporada 2016

Grupo de Forcados de Vila Franca de Xira

 

Dress Code: Semi Formal or Business, Business Casual

19.45h – Restaurante Volapié – Tapas y Copas , Welcome Drink

20.15h – Discurso Sra. Maria José Garcias e Sr. Luís Capucha

20.30h – Jantar

21,45h – Fados Voz Margarida Arcanjo e Francisco Sobral

Guitarra portuguesa Luís Petisca

Viola Armando Figueiredo

22,15h – Entrega Trofeu

22.00h Fados

Valor Jantar 25€

Reservas Telefone 217930043

Email: volapie.tapascopas@gmail.com

Data limite para reserva de mesa: 12h do dia 28 de Novembro

A TEMPORADA DE FRANCISCO NÚNCIO

26.11.16 | barreiradesombra

Francisco F. Núncio participou em sete espectáculos taurinos em Portugal que tiveram palco as arenas de Arronches, Alcochete, Albufeira, Alcáçovas, Lisboa, Sobral da Adiça e Alcácer do Sal.

 

f2.jpg

A 9 de Abril em Arroches tirou a Prova de Praticante diante de um Murteira Grave marcado com o Nº1 e Joaquim Grave escreveu sobre esse dia:

 

"No sábado o Francisco Núncio irá fazer a prova de praticante de cavaleiro em Arronches com um novilho Murteira Grave.
Desde o primeiro momento me tocou particularmente que um cavaleiro da dinastia Núncio se encontrasse com um novilho da casa. Há muitos, mas muitos anos que uma amizade genuína une a família Núncio e a família Grave.
Nunca me poderei esquecer das sensações de assombro que o seu bisavô me fez sentir! O Senhor João Núncio ficará para sempre no limbo da tauromaquia portuguesa. Tive o privilégio de contar com a amizade do seu tio avô José Barahona Núncio um artista maravilhoso e um Homem de que me faltam palavras para definir a sua grandeza. Fui testemunho da grande dignidade com que o seu pai Francisco pisou as arenas, transportando o enorme peso do apelido que, mais de uma vez, lhe dificultou a vida.
É gratificante ver a quarta geração na linha de partida!
Apelo do mais fundo do meu coração a todas as musas que acompanhem o Francisco no arranque de uma carreira que desejo de enorme sucesso.
Curiosamente, o novilho está ferrado com o número 1. Espero que seja o primeiro de muitos e nesse dia abdicarei com todo o prazer do quinhão da sorte que pertence ao ganadero que, é suposto, Deus repartir! Toda a sorte do mundo Francisco!
Um abraço

Joaquim Grave"

Passou a mesma com distinção tendo como juris, Ana Batista, António Brito Paes e director de corrida nomeado para esse dia Marco Gomes.

Durante a temporada de 2016 lidou toiros e novilhos das Ganadarias, Murteira Grave, Palha, Fernando Santos, José Pereira Palha, Santa Maria, São Martinho e Pinto Barreiros.

Utilizou os cavalos, Boémio, Dirceu, Sebastião e o Golias.

f4.jpg

 

Fazendo a sua estreia no Campo Pequeno a 11 de Agosto e tendo as suas melhores actuações no Sobral da Adiça a 20 de Agosto da qual se sagrou triunfador da corrida e na praça que leva o nome do seu bisavô em Alcácer do Sal a 2 de Outubro.

A temporada de 2016 fica ainda marcada pela entrada do Francisco F. Núncio para a empresa de apoderamento a Casa do Toureio.

Informa: Casa do Toureio

A TEMPORADA DE DUARTE PINTO

24.11.16 | barreiradesombra

+.jpg

2016 - Uma época importante, de evolução e de consagração de Duarte Pinto!

 
Foi, sem dúvida, uma temporada importante, de acesa competição, em cartéis importantes e em datas e praças marcantes da temporada taurina. Em 16 corridas feitas, 24 touros toureados nos 5 cavalos principais da quadra: Barão, Visconde, Espectáculo, Vigo e Cesário!
 
Depois de um arranque em 3 festivais taurinos, Monforte, Arronches e Samora Correia, seguiram-se praças e datas de enorme importância como Chamusca, Cartaxo Figueira da Foz, Campo Pequeno, Nave de Haver, Póvoa do Varzim, Alter do Chão, Arruda dos Vinhos, Almeirim, Vila Franca, Redondo e, novamente Campo Pequeno, na tradicional corrida de gala de encerramento da temporada!

++.jpg

 

 
De salientar a repetição na mais importante praça do país, Campo Pequeno, em duas datas fortes, a participação em duas corridas transmitidas pela RTP bem como os 2 troféus conquistados pela melhor lide em Alter do Chão e na Arruda dos Vinhos!!
 
 

OS FORCADOS E OS GRUPOS DE FORCADOS QUE VI EM 2016

20.11.16 | barreiradesombra

Alcalá la Real 037.jpg

A tão portuguesa manifestação tauromáquica que é a pega teve em 20165, de novo, uma grande expressão em muitas corridas, fosse por pegas de caras de enorme mérito fosse pela actuação de conjunto do Grupo em corridas de grande importância. E o público pode desfrutar desses momentos e aplaudir com força.

 

O êxito de uma pega depende muito do forcado escolhido, dos terrenos eleitos, de como o forcado cita, provoca a investida, recua e se fecha e de como o grupo ajuda até que se consiga imobilizar a rês. E houve momentos em que os toiros bateram forte, os forcados de cara se fecharam de forma impressionante e aguentaram esses derrotes e com as ajudas a funcionarem em pleno para que se consumassem essas pegas. E houve actuações de conjunto, em corridas em que um só Grupo se encerrou com 6 toiros que ainda hoje se recordam.

 

Numa temporada em que se despediram vários cabos de forcados, os novos cabos deram bem o exemplo para os outros elementos dos vários grupos, pegando toiros duros e difíceis. Todos eles já tinham provas dadas e por isso espera-se que a nova temporada traga ainda mais emoção nas pegas.

 

E como em todas as temporadas volta a discutir-se se determinadas pegas deveriam ou não ter sido repetidas ou se efectivamente elas foram consumadas. Isto a propósito de que em algumas situações em que os toiros bateram mais forte ou o grupo não conseguiu aquela coesão total, alguns forcados ficaram com as mãos na córnea mas “pendurados” como também se diz na gíria, ou que ficaram noutra posição menos cómoda ou menos académica.

 

É uma discussão interessante do ponto de vista da técnica da pega de caras e que deveria ser objecto de análise profunda por parte dos cabos dos diversos grupos de forcados porque é sempre importante conseguir grandes pegas e onde a emoção esteja presente mas que tecnicamente seja correcta e sem que haja dúvidas. Todos sabemos que há toiros e toiros, uns mais complicados que outros e aos quais não se podem dar muitas vantagens mas…

 

Nesta temporada de 2016 escolhi um conjunto de pegas de caras e de actuações de conjunto de Grupos de Forcados e que foram as seguinte

José Maria Bettencourt (Apos. Moita), Moita, 22.05.16

Diogo Sepúlveda e João Grave (Amadores de Santarém), Santarém, 10.06.16

Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca de Xira, Lisboa, 16.06.16

João Romão Tavares (Amadores de Montemor), Lisboa, 28.07.16

G.F.A. Tertúlia Tauromáquica Terceirense, Abiúl, 06.08.16

Miguel Raposo (Amadores de Coruche), Coruche, 17.08.16

Grupo de Forcados Amadores do Aposento da Moita, Moita, 13.09.16

Grupo de Forcados Amadores da Moita, Moita, 15.09.16

 

 

 Aguardemos que os sucessos se mantenham fortes na próxima temporada.

Pág. 1/4