Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

ANÁLISE Á TEMPORADA 2016 DO BARREIRA DE SOMBRA

21.10.16 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Terminada que está a temporada (faltam Évora dia 30 e Cartaxo dia 1 de Novembro), é tempo de começar a fazer alguma análise ao que vimos em 2016 nos cerca de 40 espectáculos em que estivemos presentes.

Não perca a partir de domingo, aqui no seu Barreira de Sombra.

TEMPORADA 2016 EM ANÁLISE.jpg

 

Touradas voltam à Catalunha; Tribunal Constitucional espanhol anula lei do Governo catalão

20.10.16 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Lisboa, 20 de Outubro de 2016 – O Tribunal Constitucional de Espanha acaba de declarar inconstitucional a lei da Catalunha que proibia as touradas na Região.

A lei 28/2010 de 3 de Agosto alterava a lei de protecção animal, proibindo desta forma as touradas, tinha sido aprovada por 68 votos, com 55 contra. Em vigor desde 1 de Janeiro de 2012, o TC espanhol considerou agora que estava em directa violação do artigo 149 da Constituição, que atribui a competência exclusiva ao Estado da defesa do património cultural, artístico e monumental espanhol. A relatora da decisão foi a juíza Encarnácion Roca, oriunda da Catalunha.

A decisão demorou seis anos a ser tomada, dizendo muito claramente numa maioria de 8 contra 3 que, ainda que as comunidades autónomas tenham poder para regular os espectáculos públicos – e não para os proibir, a tauromaquia enquanto espectáculo cultural é competência do Estado espanhol, e não das Regiões.

Do lado português, a notícia foi recebida com regozijo pelo sector tauromáquico. Hélder Milheiro, porta-voz da Protoiro, Federação Portuguesa de Tauromaquia, declarou que "este é um dia muito feliz porque é um dia em que se fez justiça. Fica provado que a cultura tem protecção constitucional em qualquer país democrático, pelo que não é possível proibir a cultura taurina em democracia. A cultura pertence ao povo, é um direito constitucional deste, à qual o Estado tem a obrigação de dar acesso a todos. A Liberdade tem de vencer, e venceu, a demagogia e o totalitarismo animalista."

 Ana Craveiro

 

FESTIVAL ENTRETIDO EM VILA BOIM. DESTACARAM-SE FRANCISCO PALHA, DIAS GOMES E MEDINA. GRANDE PEGA DE LUIS VALÉRIO (MONTEMOR)

16.10.16 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros de Vila Boim (Elvas) – 15.10.16 – Festival Taurino

Director: Marco Gomes – Veterinário: José Miguel Guerra – Lotação: cheia

Cavaleiros: Francisco Palha, João Maria Branco, António Núncio

Forcados de Montemor e Évora

Espadas: Luis Reina, Manuel Dias Gomes, António Medina (N), Paula Santos (N)

Ganadarias: Falé Filipe (1º, 3º e 6º), Manuel Veiga (2º), Passanha (4º), Canas Vigoroux (5º), Luís Rocha (7º)

 

FESTIVAL ENTRETIDO EM VILA BOIM. DESTACARAM-SE  FRANCISCO PALHA, DIAS GOMES E MEDINA. GRANDE PEGA DE LUIS VALÉRIO (MONTEMOR)

 

Em final de temporada realiza-se um festival taurino em Vila Boim, localidade do concelho de Elvas, organizado por um grupo de bons aficionados e, este ano, uma vez mais deram voz aos anseios do público que encheu a simpática praça e assistiu a um bom espectáculo de toiros.

 

Francisco Palha foi o triunfador no que ao toureio a cavalo diz respeito. Esteve bem a lidar, procurando os melhores terrenos para cravar a ferragem a um novilho de Falé Filipe que cumpriu. Muito bom foi o primeiro comprido em sorte de gaiola. Nos curtos, segundo, quarto e sexto foram de muito boa nota, dois deles bem de frente e o último num quiebro.

 

João Maria Branco lidou um Passanha que mostrou qualidade. Uma lide irregular e onde houve dois bons curtos, primeiro e terceiro. Esteve bem na brega.

 

António Núncio teve por diante um cinquenho de Canas Vigoroux que cedo se parou e foi manso. O jovem cavaleiro esteve decidido para cravar a ferragem da ordem, destacando-se no terceiro e quinto curtos.

 

Os Forcados Amadores de Montemor pegaram o primeiro novilho por intermédio de João Câmara à primeira a emendar Vasco Carolino que se lesionou na única tentativa que fez e por Luís Valério (num misto dos dois grupos) este na pega da tarde, rija e difícil com o toiro a bater no final da viagem. Pelos Amadores de Évora foi cara Rui Bento, com facilidade à primeira.

 

No toureio a pé abriu a tarde o veterano matador espanhol Luís Reina que se enfrentou com um novilho de Falé Filipe que apertava um pouco pelo lado esquerdo. Algumas verónicas rematadas com meia e uma faena curta, em especial pelo lado direito e uns quantos ajudados pelo lado esquerdo foram aplaudidas pelo público.

 

Manuel Dias Gomes esteve muito bem frente a um toiro de Manuel Veiga de pouca presença mas com alguma qualidade. Bem no capote, seria na muleta que construiria a faena da tarde. Começou pelos 2 lados e por baixo, com classe, metendo o toiro na muleta. Bons derechazos e bons naturais, com plástica, com expressividade, correndo bem a mão, e os remates primorosos por baixo deram a nota mais de um toureiro com classe e que precisa mais corridas.

 

António Medina, jovem novilheiro da Escola de Badajoz, enfrentou com um complicado novilho de Falé Filipe e esteve em bom plano. Quase inédito de capote, veio a subir o tom na muleta e em especial na fase final o temperamento do novilho já estava mais dominado. Boas séries pelos dois lados depois de ter tragado imenso no início. Uma boa prestação.

 

Paula Santos, novilheira da Escola da Moita e que tembém passou pela de Badajoz, lidou um eral de Luís Rocha e teve um desempenho razoável com a muleta, por ambos os pitóns, com alguns naturais de melhor nota.

 

O espectáculo foi bem dirigido por Marco Gomes assessorado pelo veterinário José Miguel Guerra.

GALERIA FOTOGRÁFICA

CORTESIAS

 

CAVALEIROS

FORCADOS

TOUREIO A PÉ

 

SORAIA COSTA É IMAGEM DA MARCA CAVALINHO

16.10.16 | António Lúcio / Barreira de Sombra

A cavaleira praticante Soraia Costa, será o novo rosto da tão prestigiada marca Cavalinho. Uma campanha que passará nos países de expressão portuguesa e nas televisões.

 

PARREIRITA CIGANO, O MAIS DESTACADO NA CORRIDA DE GALA NO CAMPO PEQUENO

14.10.16 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros do Campo Pequeno – 13-10-16 – Corrida de Gala

Director: Lourenço Lúzio – Veterinário: Jorge M. Silva – Lotação: quase cheia

Cavaleiros: António Telles, Brito Paes, Marcos Bastinhas, Duarte Pinto, Miguel Moura, Parreirita Cigano

Forcados Amadores de Lisboa e de Coruche

Ganadaria: Fernandes de Castro

 

PARREIRITA CIGANO, O MAIS DESTACADO NA CORRIDA DE GALA NO CAMPO PEQUENO

 

Noite de encerramento da temporada lisboeta e uma vez mais foi o mais jovem do cartel a marcar a noite com uma grande actuação, em crescendo e com ferros de enorme mérito na fase final. Um nome a tomar em linha de conta: Parreirita Cigano.

 

António Telles andou muito bem a lidar a cravar com a habitual maestria. Brito Paes exibiu as suas qualidades de exímio equitador numa lide morna enquanto Marcos Bastinhas andou algo acelerado após dois compridos de excelente nota em sortes de praça a praça.

 

Duarte Pinto abriu a segunda parte deste longo espectáculo e terminou com dois bons curtos. Miguel Moura aqueceu as bancadas com dois curtos em sortes cambiadas muito bem executadas e rematou da mesma forma com um palmo.

 

Na forcadagem despediram-se Manuel Guerreiro e João Lucas dos Amadores de Lisboa, ambos com boas pegas á segunda tentativa e abriu praça pelo mesmo grupo João Varanda também á segunda e com boa intervenção do primeiro ajuda. Por Coruche foram caras Paulo Oliveira muito bem à primeira, seguido por João Tomás que dobrou á primeira entre divisão de opiniões o seu colega João Peseiro que foi desfeiteado 4 vezes e encerrou praça José Marques com uma rija intervenção à primeira.

 

Os toiros de Fernandes de Castro estavam gordos e forma mansotes no geral, destacando-se pela positiva terceiro e sexto.

 

Direcção com pouco critério de Lourenço Lúzio assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.