Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

AS PRÓXIMAS CORRIDAS DE TOIROS DE OUTUBRO

05.10.16 | António Lúcio / Barreira de Sombra

 

AS FOTOS DA CORRIDA DE 4 DE OUTUBRO EM VILA FRANCA

05.10.16 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Para aceder a todas as fotos, em cada galeria, carregue na seta da direita.

ANTÓNIO TELLES

DUARTE PINTO

FRANCISCO PALHA

FORCADOS DE VILA FRANCA

PEGA 1

PEGA 2

PEGA 3

PEGA 4

PEGA 5

PEGA 6

OS TOIROS 

PALHA

CANAS VIGOROUX

 

VILA FRANCA, 4 DE OUTUBRO - FALTOU BRAVURA E CASTA PARA O ÊXITO DO ESPECTÁCULO

05.10.16 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros Palha Blanco - Vila Franca de Xira – 04.10.16 – Corrida de Toiros

Director: Pedro Reinhardt – Veterinário: Miguel Matias – Lotação: 75%

Cavaleiros: António Telles, Duarte Pinto, Francisco Palha

Forcados Amadores de Vila Franca

Ganadarias: Palha (1º, 2º 3º) e Canas Vigoroux (4º, 5º, 6º)

IMG_1333.JPG

FALTOU BRAVURA E CASTA PARA O ÊXITO DO ESPECTÁCULO

Anunciada como um grande duelo entre duas ganadarias da campina ribatejana, Palhas versus Canas Vigoroux, teve como resultado final um fiasco de bravura. Os toiros das duas ganadarias, bastante semelhantes em tipo e presença, não primaram pela bravura e pela casta, excepção feita ao primeiro, da ganadaria Palha, um toiro sério e de encastadas investidas, bruto por vezes na busca que fez pelo cavalo, carregando forte e levando a emoção às bancadas. Nos de Canas Vigoroux destaca-se o último pelo seu trapio. Cinco dos seis toiros estavam muito bem apresentados, à excepção do saído em segundo lugar, escorrido de carnes e com alguns problemas de locomoção, sendo assobiado pelo público que pretendia a sua substituição. Convenhamos que para o aficionado ao toureio foi muito pouco e fracassou a bravura.

 

António Ribeiro Telles abriu praça com um Palha que colocou bastantes problemas pelas encastadas investidas, bruto por vezes na busca que fez pelo cavalo, carregando forte e obrigando o cavaleiro da Torrinha a puxar dos galões para lhe dar a volta (só o director de corrida não o entendeu). É que apesar de um ou outro toque pela forma bruta de investir ou alguma falha no momento de cravar, a actuação de António Telles foi meritória. Procurou os melhores terrenos, cravou três curtos de muito boa nota, o segundo a pisar terrenos de muito compromisso. E no quarto da noite, um Canas que ao terceiro curto se rachou e buscou tábuas, de novo uma actuação de mérito. Sortes bem preparadas (a lidar o toiro), ferros  cravados com valor pelos terrenos que pisou e pela forma como se ajustou nas reuniões, justamente aplaudidas pelo público.

 

O segundo toiro da noite, de Palha, saíu com problemas de locomoção e foi assobiado. Andarilho de início, foi-se fixando e investindo sem convicção, e Duarte Pinto apenas se luziu no quarto ferro curto, momento em que se centrou e entrou nos terrenos do toiro para cravar bem e de alto a baixo. No quinto da ordem, de Canas Vigoroux, sonsote e sem chama e que cedo se parou, procurou executar o seu toureio, indo para o toiro a passo nos curtos mas a falta de raça do toiro não permitiu o luzimento do toureiro que tudo fez para triunfar.

 

Francisco Palha lidou um manso de Palha em terceiro lugar. A sua vontade de triunfo proporcionou aos aficionados presentes na Palha Blanco o melhor e mais emotivo ferro da noite, o quarto curto. Atacou o toiro de largo, com este quase fechado em tábuas. Fez a batida ao pitón contrário e cravou um grande ferro, rematando por dentro em terrenos muito apertados. Foi o momento da corrida. No que encerrou praça, um Canas Vigoroux que era uma estampa de toiro, o de mais trapio, e manso, bastante parado, Francisco Palha voltou a dar nota mais pela forma como abordou as sortes, mostrando-se ao toiro na brega e preparação das sortes e com um terceiro curto de eleição.

 

Os Forcados Amadores de Vila Franca, único grupo em praça, teve uma noite dura, difícil e complicada frente a estes seis toiros. Abriu praça o cabo Ricardo Castelo com uma rija cara ao primeiro intento. Emanuel Matos, que se despedia, consumou uma boa cara à segunda tentativa, tal como Francisco Faria no terceiro da noite, com ajudas carregadas. Vasco Pereira só à quarta conseguiu consumar dados os derrotes violentos que sofreu em duas das tentativas; Rui Godinho esteve tecnicamente perfeito e fechou-se com decisão à primeira, enquanto David Moreira se lesionou na única tentativa que efectuou e foi Dobrado, também à primeira por Marco Ventura.

 

A corrida foi dirigida por Pedro Reinhardt (sem critério) assessorado pelo veterinário Miguel Matias e com a praça a registar uma entrada a rondar cerca de três quartos de lotação.